Home - Convergência Digital
RSS Assine gratuitamente as nossas newsletters Quem faz o Convergência Digital Fale conosco Anuncie aqui
Cloud Computing CD TV Carreira Blog Capital Digital



Home - Negócios

Comércio eletrônico brasileiro é falho e terá problemas em 2014

:: Convergência Digital
:: Convergência Digital :: 29/11/2013

O comércio eletrônico brasileiro - por falta de infraestrutura - não está preparado para enfrentar os megaeventos que estão por vir, entre eles, a Copa do Mundo, sustentou o diretor-geral do 3º Seminário Nacional de Comércio Eletrônico, Meios de Pagamento e Negócios na Web (Ecom 2013), Marcelo Castro. A expectativa, segundo ele, é atingir R$ 30 bilhões até 31 de dezembro, cerca de 28% a mais em relação a dezembro do ano passado.

“O primeiro semestre do ano vai ser muito tumultuado. Acho que a gente vai ter um pico de problemas na cadeia lojista. Não tenho dúvida de que quem estiver comprando no e-commerce [comércio eletrônico] vai sofrer um pouquinho, porque o mercado continua crescendo, mas a estrutura de entrega está limitada”, disse. Além dos problemas de logística, das condições das estradas e da segurança, Marcelo Castro destacou que os comerciantes no Brasil estão enfrentando a concorrência de sites estrangeiros que se instalam no Brasil ou oferecem serviços aos clientes do país.

“Europeus e americanos estão vendo um jeito de fugir da crise lá vendendo no e-commerce deles aqui. A expectativa é os estrangeiros comprarem R$1,5 bilhão aqui no Brasil, mas a previsão é que brasileiros comprem R$ 2,6 bilhões em sites estrangeiros. A gente tem que estar preparado para não deixar este mercado vazar para o mercado internacional”, alertou.

Marcelo Castro participou nesta quinta-feira, 28/11, no Rio de Janeiro, da última etapa do Ecom 2013, seminário de e-commerce com foco na Copa do Mundo de 2014 criado para inclusão digital comercial. Antes do Rio, o evento passou pelas outras 11 cidades-sedes da Copa e ainda por Florianópolis e Belém. “As 14 capitais, que são as doze da Copa mais Florianópolis e Belém, representam 90,2% do PIB (Produto Interno Bruto), então dá uma boa cobertura econômica também”, esclareceu.

Segundo o diretor, as empresas procuram se equipar melhor para atender aos clientes que, cada vez mais preferem fazer compras pela internet. Castro disse que, desde a primeira edição, o Ecom aumentou o número de participantes. Em 2011 foram 6 mil e este ano atingiu 11 mil. Além disso, o público se tornou mais qualificado.
 
Segundo o diretor, pesquisas do Serviço de Proteção ao Crédito Brasil (SPC Brasil) e a Câmara Nacional de Diretores Lojistas (CNDL), apontaram que, em média, 70 % de varejistas, lojistas e comerciantes brasileiros não tinham endereço na web. “Na  nova dinâmica da sociedade que a gente vive, onde o e-commerce cresce numa faixa de 30% ao ano, isso mostra que muitos comerciantes e lojistas estão fora desta onda, desse momento de oportunidade. Foi pensando nisso que o projeto Ecom fez em 2011 a sua primeira road show”, completou.

Numa prova que o brasileiro aderiu à Internet é a projeção da E-bit que as compras eletrônicas relacionadas ao Natal de 2013 devem movimentar R$ 3,85 bilhões. A expectativa representa um crescimento nominal (sem descontar a inflação) de 25%, na comparação com o mesmo período de 2012, quando o faturamento foi de R$ 3,06 bilhões.

De acordo ainda com a E-bit, entre 15 de novembro e 24 de dezembro, 10,3 milhões de compras devem ser feitas via internet. O tíquete médio estimado é de R$ 368. "O Natal é a data sazonal mais importante para o e-commerce e corresponde entre 15% a 20% do total das vendas do ano. Dessa vez, com a Black Friday, prevemos um peso ainda maior", afirmou o diretor-geral da E-bit, Pedro Guasti, em nota, referindo-se à quarta edição da Black Friday Brasil, que começa nesta sexta-feira (29) e vai até domingo (1º) tanto para compras em lojas virtuais como no varejo tradicional.

Fonte: Agência Brasil

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 


:: Leia também:

:: 18/12/2014 13:04
Smartphones 'engolem' os PCs e queda nas vendas é de 25%

:: 17/12/2014 18:16
Câmara tira vantagem de produtos com tecnologia nacional em licitações

:: 17/12/2014 11:33
Com 4G à mesa, OMC questiona política industrial do Brasil

:: 17/12/2014 11:00
Com baixa infraestrutura digital, Brasil fica em 34º em ranking global

:: 16/12/2014 10:04
Compras governamentais: parte do Governo briga pela tecnologia nacional

:: 16/12/2014 10:03
2015 será mais um ano difícil para a Segurança da Informação

:: 16/12/2014 10:00
Governo tira estímulo ao software livre de norma sobre Segurança da Informação

:: 15/12/2014 13:33
eSocial: Governo publica decreto que oficializa novo regime

:: 12/12/2014 15:40
Calendário inviabiliza 4G em 700 MHz para Olimpíadas no Rio de Janeiro

:: 12/12/2014 12:33
Neutralidade: titãs da tecnologia rejeitam banda larga 'essencial' nos EUA




Outras matérias desta seção:

ANTERIOR
Por nota fiscal eletrônica, NeoGrid compra G2KA Sistemas

PRÓXIMA
Mercado de impressão respira e registra alta de vendas no Brasil




Smartphones 'engolem' os PCs e queda nas vendas é de 25%

Com a queda expressiva nas vendas, o Brasil perdeu posição no ranking global e caiu da 5ª para a 7º posição, sendo superado pela Índia. Resultado negativo de 2014 não deverá ser replicado em 2015.


Brasil vende 2,3 milhões de tablets só no 3º trimestre

Dispositivos ficam imunes à queda dos PCs e notebooks. Por conta do Dia das Crianças, foram vendidos 963 mil unidades em setembro. Black Friday deverá proporcionar um novo recorde no 4º trimestre.


SAP se une à Indra para resolver ERP da Telebras

A presidente da empresa no Brasil, Cristina Palmaka, informou que há especialistas trabalhando, em conjunto, para acelerar a resolução do problema na estatal. Com cloud como prioridade, data center da SAP no país será ativado em janeiro.


Brasil vai deixar de vender 3,349 milhões de PCs e notebooks em 2014

Deixarão de ser comercializados 1750 milhão de desktops e 1599 milhão de notebooks. Os tablets são o único equipamento de consumo que vai crescer: serão vendidos 1.557 milhão de unidades a mais este ano.


Cobertura em vídeo do Convergência Digital


Agência boa, interface ineficiente: como eliminar sua estratégia de RP
:: Por Mariana Lemos *

RioInfo 2014 - Cobertura especial do Convergência Digital

Mesmo sem política para TICs, Rio de Janeiro soma 75 mil pessoas vinculadas à TI

Pesquisa que está sendo elaborada pelo TIRio, em parceria com a Softex, mostra que o Rio de Janeiro tem 13 mil empresas de TI ativas e cerca de 25% delas são empreendedoras.  O Rio Info 2014 tem como expectativa gerar R$ 15 milhões em negocios nos próximos 12 meses.

» Varejo engatinha na TI e despreza hábitos do consumidor
» Internet das Coisas chega ao mundo dos vinhos
» Big Data vira estratégia de governo na cidade do Rio de Janeiro
» Brasil está andando muito devagar na adoção do big data

Clique aqui e veja a cobertura completa


Veja edição 11 da Revista Abranet - Assossiação Brasileira de Internet REVISTA ABRANET . 11

Na discussão sobre o que vai prevalecer — fibra óptica ou rádio — na construção das infraestruturas, vence quem souber explorar o que cada tecnologia tem de melhor a oferecer.

Veja também: Cidades Digitais: Governo convoca provedores; A transição da IANA foi destaque no ICANN#51; Billing das coisas: quando cobrar certo será o diferencial; e muito mais.

Clique aqui para ver outras edições




Convergência Digital no Facebook Convergência Digital no Twitter RSS do Convergência Digital Newsletters do Convergência Digital
Copyright © 2014 Convergência Digital
Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.
Este Sítio Web é acessível via IPv6!