GOVERNO

Serpro: Expresso será base do e-mail seguro para os brasileiros

Luís Osvaldo Grossmann ... 24/09/2013 ... Convergência Digital

O Expresso, desenvolvido pelo Serpro, deve ser a base do e-mail seguro que o Ministério das Comunicações quer ver os Correios oferecerem para todos os brasileiros. Ou pelo menos foi esse o tema da conversa entre Paulo Bernardo e o presidente do Serviço Federal de Processamento de Dados, Marcos Mazoni, nesta terça-feira, 24/9.

“Continuamos no foco corporativo, mas as equipes de TI do Serpro e dos Correios vão sentar e se acertar. Como o Expresso já funciona e é baseado em módulos, facilita. Seria possível ter isso disponível até o fim do ano”, afirmou Mazoni após o encontro.

Ele enumerou as vantagens de um serviço já em uso por órgãos do governo por ser: 1) um e-mail seguro; 2) que roda dentro da ‘nuvem’ própria do Serpro; 3) no ambiente de segurança da rede administrada pela estatal e; 4) criptografado no padrão ICP-Brasil. 

A vantagem dos Correios, acredita Mazoni, é a grande capilaridade da instituição. Mas não seria a única forma de disseminação do ‘e-mail seguro’. “O próprio programa de Cidades Digitais do Ministério das Comunicações deve ser utilizado para a oferta”, diz ele.

A questão, porém, é de escala. O presidente do Serpro reconhece que a oferta depende dos acertos com outras instituições para uso de infraestrutura de armazenamento. O uso do Expresso, embora inclua outros serviços como conversa instantânea ou videoconferência, cabe na nuvem do próprio Serpro. 

“Depende de armazenamento. Além dos Correios teríamos Banco do Brasil, Caixa, enfim, uma nuvem híbrida, na qual os custos seriam incorporados pelo governo, de forma partilhadas pelas instituições. E não abandonaríamos parcerias externas, desde que atentam os requisitos de segurança do Expresso.”

O Serpro já enxerga aí até mesmo novos aplicativos. “O e-mail pode servir de veículo de comunicação com o Imposto de Renda, por exemplo. Pode ser a forma de comunicação entre servidores públicos. Até por isso investimentos na nossa ‘nuvem’”, diz Marcos Mazoni. 


ESPECIAL » ESPIONAGEM DIGITAL
Espionagem: EUA negam pedido de perdão para Edward Snowden

Documento assinado por mais de 167 mil pessoas foi rejeitado pelo governo Obama. Snowden, que denunciou a espionagem a autoridades, entre elas, a presidente Dilma Rousseff, se voltar ao país poderá ser condenado a 30 anos de prisão.


Clique aqui para ver a cobertura completa

Reoneração da folha: Empresas tentam 3%. Senado adia votação

ATUALIZADO - Representantes de 44 entidades empresariais, entre elas as que representam o setor de TIC, levaram uma proposta final onde aceitam o reajuste de 50% na alíquota paga ao governo. Não houve acordo. Partes ganham mais 24 horas para negociação.

Adesão de órgãos públicos à transição para IPv6 ainda é baixa

Primeiro relatório semestral de implantação do novo protocolo internet na administração federal mostra que apenas um em cada quatro órgãos apresentou progressos – e somente a metade desses cumpriu parte das metas.

Reoneração da folha: Empresas de software tentam alíquota de 3%

Durante a ABES Software Conference 2015, advogado da entidade admitiu que há negociações para tentar alterar a alíquota para o setor de TI. E que há vantagens e desvantagens nessa nova alternativa. Governo quer passar de 2% para 4,5%.

Governo quer compartilhar base da nova identidade com iniciativa privada

Ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Afif Domingos, pediu tramitação rápida ao projeto e disse que o primeiro interessado é o sistema financeiro. Mas emendas ao PL 1775/15 proíbem essa ideia.



  • Copyright © 2005-2015 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G