GOVERNO

Serpro: Expresso será base do e-mail seguro para os brasileiros

Luís Osvaldo Grossmann ... 24/09/2013 ... Convergência Digital

O Expresso, desenvolvido pelo Serpro, deve ser a base do e-mail seguro que o Ministério das Comunicações quer ver os Correios oferecerem para todos os brasileiros. Ou pelo menos foi esse o tema da conversa entre Paulo Bernardo e o presidente do Serviço Federal de Processamento de Dados, Marcos Mazoni, nesta terça-feira, 24/9.

“Continuamos no foco corporativo, mas as equipes de TI do Serpro e dos Correios vão sentar e se acertar. Como o Expresso já funciona e é baseado em módulos, facilita. Seria possível ter isso disponível até o fim do ano”, afirmou Mazoni após o encontro.

Ele enumerou as vantagens de um serviço já em uso por órgãos do governo por ser: 1) um e-mail seguro; 2) que roda dentro da ‘nuvem’ própria do Serpro; 3) no ambiente de segurança da rede administrada pela estatal e; 4) criptografado no padrão ICP-Brasil. 

A vantagem dos Correios, acredita Mazoni, é a grande capilaridade da instituição. Mas não seria a única forma de disseminação do ‘e-mail seguro’. “O próprio programa de Cidades Digitais do Ministério das Comunicações deve ser utilizado para a oferta”, diz ele.

A questão, porém, é de escala. O presidente do Serpro reconhece que a oferta depende dos acertos com outras instituições para uso de infraestrutura de armazenamento. O uso do Expresso, embora inclua outros serviços como conversa instantânea ou videoconferência, cabe na nuvem do próprio Serpro. 

“Depende de armazenamento. Além dos Correios teríamos Banco do Brasil, Caixa, enfim, uma nuvem híbrida, na qual os custos seriam incorporados pelo governo, de forma partilhadas pelas instituições. E não abandonaríamos parcerias externas, desde que atentam os requisitos de segurança do Expresso.”

O Serpro já enxerga aí até mesmo novos aplicativos. “O e-mail pode servir de veículo de comunicação com o Imposto de Renda, por exemplo. Pode ser a forma de comunicação entre servidores públicos. Até por isso investimentos na nossa ‘nuvem’”, diz Marcos Mazoni. 


Cai MP que destinava R$ 404 milhões para satélite da Telebras

Estatal confia, no entanto, que os recursos previstos no Orçamento de 2015 vão garantir a continuidade do projeto sem atrasos no cronograma.

Inclusão social ampliou demanda de serviços e papel da TI, diz Mazoni

Em discurso otimista, o presidente reconduzido do Serpro, Marcos Mazoni, tentou evitar menções ao aperto fiscal e listou avanços dos últimos oito anos.

Berzoini insiste na Telebras como parceira do setor privado

Na posse do novo presidente da estatal, Jorge Bittar, o ministro Ricardo Berzoini chegou a comparar a Telebras com a Petrobras das Comunicações, mas sempre “junta" com as empresas de telecomunicações.

Demora do Executivo faz deputado regulamentar guarda de dados na Biometria

Projeto de lei garante privacidade e proteção dos dados biométricos, inclusive os guardados no exterior. Empresa que descumprir pode pagar multa de até R$ 10 milhões.

Dados abertos: reter informação não é mais uma fonte de poder no governo

Mas muitos gestores governamentais ainda têm essa visão arcaica, admite o secretário da SLTI, Cristiano Heckert. “Abrir dados é uma forma de melhorar a prestação de serviços e dar transparência, mas também de estimular a economia”, sustenta.



  • Copyright © 2005-2015 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G