INOVAÇÃO

FINEP lança edital de R$ 640 milhões para Parques Tecnológicos

Da redação ... 05/07/2013 ... Convergência Digital

O ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e a FINEP - Agência Brasileira da Inovação lançam, na próxima semana, edital de R$ 640 milhões voltado a parques tecnológicos em operação e em estágio de implantação. A chamada se destina ainda a empresas residentes nos parques ou em incubadoras. O objetivo do edital é atender ao Programa Nacional de Apoio às Incubadoras e Parques Tecnológicos do Governo Federal, que tem como meta elevar a produtividade e a competitividade da economia brasileira, através da ampliação do patamar de investimentos e de maior apoio para projetos de risco tecnológico.

Os recursos serão concedidos por meio de três instrumentos. O primeiro, de R$ 90 milhões em recursos não reembolsáveis, vai apoiar parques tecnológicos em operação e em processo de implantação, de forma a viabilizar a consolidação do projeto do parque.As propostas deverão ser encaminhadas até o dia 17 de agosto via Formulário de Apresentação de Propostas (FAP´s), que estará disponível no site da FINEP a partir de 29 de julho.

É obrigatório o envio de uma cópia impressa da proposta até o dia 18 de agosto. No caso dos parques em operação, serão apoiados projetos de no mínimo R$ 6 milhões até o limite de R$ 14 milhões. Já para propostas de parques em fase de implantação, o valor mínimo é R$ 2 milhões e o máximo R$ 5 milhões. Esse instrumento prevê, ainda, contrapartida financeira de 20% do valor pleiteado à FINEP.

A defesa oral dos projetos classificados na primeira fase ocorrerá a partir do dia 30 de setembro. O resultado final da chamada pública será divulgado a partir do dia 21 de outubro. Também destinado a parques tecnológicos em operação e em implantação, o segundo instrumento oferecerá  R$ 500 milhões em crédito. Neste caso, a solicitação de recursos ocorrerá respeitando o procedimento atual de análise de propostas adotado pelo programa INOVA Brasil.

Já o terceiro instrumento, de R$ 50 milhões, é destinado a empresas apoiadas por Incubadoras e parques tecnológicos, ou ainda graduadas até dois anos, através de participação no capital e apoio gerencial. Para essas empresas, a FINEP oferece ainda possibilidades de captação de recursos reembolsáveis por meio de seus programas INOVA Brasil e INOVACRED.

Fonte: FINEP


Resiliência e Segurança
Se a TI parar quanto essa falha vai custar para o seu negócio?

Estudo adverte aos gestores de TI: se a resiliência não for integrada na adoção inicial de cloud, as organizações estarão aceitando riscos, quer realizem isso ou não.

Falha na criptografia pode 'matar' as bitcoins

Um dos principais desenvolvedores da moeda digital anunciou que está deixando o projeto por reconhecer que a bitcoin 'se tornou um sistema que pode falhar e controlado por apenas algumas pessoas".

Brasil terá centro para implantação de cidades inteligentes

Unidade ficará dentro do Instituto Nacional de Telecomunicações - Inatel e é resultado de uma parceria firmada com a Tacira. Uma das ações é formar profissionais especializados na área.

Projeto piloto testa fibra óptica como meio de transmissão de energia elétrica

Tecnologia nacional foi desenvolvida pelo CPqD e pela Cemig, Companhia energética de Minas Gerais. A prova de conceito está sendo feita na região metropolitana de Belo Horizonte. Meio poderá também levar banda larga às regiões remotas do país.

Carro conectado: Indústria automobilística enfrenta o poder da Apple e do Google

As montadoras Toyota e Ford anunciaram que terão um sistema operacional próprio e prometem agregar novas fabricantes para impedir o domínio das grandes companhias de TI.  As teles tentaram travar batalha semelhante, mas não conseguiram resistir.

BNDES aprova R$ 56,5 milhões para radar de defesa antiaérea

Capaz acompanhar múltiplos alvos aéreos simultâneos voando a distâncias de até 200 km, em altitudes de até 20 km, o SABER M200, do Exército, será apoiado pelo Fundo Tecnológico e pela linha de Inovação do Banco. Tecnologia também tem potencial para uso civil.

CADE atesta que UBER não 'usurpou' o mercado de táxis

Estudo do Departamento de Estudos Econômicos diz que o UBER atendeu a uma parcela da população que não utilizava o serviço de táxi tradicional.

CADE: Regulador não existe para deixar setores tradicionais na 'zona de conforto'

Ao falar sobre a disputa entre o Uber e os taxistas, o economista-chefe do CADE, Luiz Esteves, disse que não cabe ao órgão regulador ser um 'apoio/suporte' para segmentos produtivos. CADE deve se pronunciar, na próxima semana, sobre ação movida pelos taxistas contra concorrência predatória pelo aplicativo.



  • Copyright © 2005-2016 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G