Home - Convergência Digital
RSS Assine gratuitamente as nossas newsletters Quem faz o Convergência Digital Fale conosco Anuncie aqui
Cloud Computing CD TV Carreira Blog Capital Digital



Home - Internet

Marco Civil: Neutralidade de rede provoca crise com o Governo

:: Luís Osvaldo Grossmann
:: Convergência Digital :: 10/07/2012

O Marco Civil da Internet corre risco de ser postergado. Sob pressão das empresas de telecomunicações e da própria Anatel, o governo interveio e quer “flexibilizar” o conceito de neutralidade de rede, conforme disposto no substitutivo ao PL 2126/2011 e enfraquecer o papel do Comitê Gestor da Internet nesse tema.

O movimento mais incisivo se deu nesta terça-feira, 10/7, durante reunião da Casa Civil e da Secretaria de Relações Institucionais com o relator do projeto, deputado Alessandro Molon (PT-RJ). Como resultado direto dessa nova etapa no processo, a apresentação e votação da proposta, marcada para hoje, foi adiada para amanhã, quarta-feira, 11/7.

O deputado admite a reunião, mas evitou detalhar a conversa. Disse apenas que houve ponderações sobre o papel do CGI.br na forma como descrita no substitutivo. Pelo texto, “a discriminação ou degradação do tráfego respeitará as recomendações do Comitê Gestor da Internet no Brasil”.

“Estamos adiando a votação para terminar de consolidar o relatório, que recebeu 109 contribuições durante os três dias de consulta no e-democracia e mais de 14 mil visualizações. Estou trabalhando em um texto que preserve a atuação do CGI, mas que não dê margens a questionamentos judiciais”, explicou Molon.

O que o relator evita comentar, porém, é a pressão sobre o conceito de neutralidade de rede e, ainda mais significativa, a defesa de parte do governo de que qualquer papel nessa questão esteja sujeita à regulamentação da Agência Nacional de Telecomunicações.

Oficialmente, a alegação é que o CGI não tem poder normativo – e que não caberia ao Legislativo propor essa função, que seria exclusiva do Executivo, de onde surge o argumento de que, na forma como está, o projeto de lei teria vício de iniciativa. A ameaça é que manter a relevância do CGI provocaria questionamentos na Justiça.

Até aqui, a equipe do relator do substitutivo sustenta que, apesar da pressão, a Anatel continuará de fora do texto. Vale lembrar que a agência já propôs um conceito de neutralidade de rede, mas que é suficientemente vago para dar margem a diferentes interpretações.

Tal conceito faz parte da proposta de regulamento do Serviço de Comunicação Multimídia e, embora preveja a neutralidade, sustenta que ela “não impede a adoção de medidas de bloqueio ou gerenciamento de tráfego que se mostrarem indispensáveis à garantia de segurança e da estabilidade do serviço e das redes que lhe dão suporte”.

Assim, apesar do adiamento da votação, em princípio seria mantido o papel do Comitê Gestor da Internet, ainda que com uma redação que não dê margem aos tais questionamentos jurídicos. Nada impede, no entanto, que outro parlamentar peça vistas do texto, postergue novamente a votação e retorne com uma proposta diferente.

Para além da neutralidade, o relatório deverá sofrer modificações na redação do artigo 15 – que trata da retirada de conteúdos do ar. “Ao contrário do que entendemos, aparentemente a redação não deu a segurança pretendida nesse tema. Vamos ampliar a proteção ao usuário”, explica o relator.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 


:: Leia também:

:: 27/02/2015 17:52
Veja o posicionamento dos demais integrantes do CGI.br

:: 27/02/2015 16:09
Thiago Oliveira: Guarda de logs tem falhas que prejudicam prova judicial

:: 27/02/2015 15:55
Flavio Wagner: Regulamentação não pode prejudicar inovação

:: 27/02/2015 15:43
Nivaldo Cleto: É crítica a definição sobre dados pessoais

:: 27/02/2015 15:02
Eduardo Levy: Celular também chega onde não há interesse comercial

:: 27/02/2015 14:54
Flávia Lefèvre: Internet móvel não leva em conta política pública

:: 27/02/2015 14:23
Neutralidade e dados pessoais dominam consulta sobre Marco Civil

:: 24/02/2015 12:55
CGI.br vai discutir sugestões ao Marco Civil da Internet em reunião aberta

:: 23/02/2015 16:23
Anatel prioriza comércio de redes em consulta sobre Marco Civil da Internet

:: 23/02/2015 10:56
FGV: Marco Civil da Internet impede o "acesso grátis"




Outras matérias desta seção:

ANTERIOR
Marco Civil: Teles tentam evitar votação e querem mudar neutralidade de rede

PRÓXIMA
Comércio eletrônico: Prejuízo à parte, ICMS partilhado encerra bitributação



Abranet 2014 - Desafios e Oportunidades: Profissionais de Internet

IPv6: Quanto mais demorar, mais cara a migração vai ficar

Essa foi a avaliação feita pelo presidente da Associação Brasileira da Internet - Abranet, Eduardo Nejer, que defende que o assunto seja tratado como prioridade máxima nos próximos meses no Brasil.

CDTV Abranet apela ao associado para responder pesquisa TIC Provedores
CDTV Brasil quer fazer um cadastro nacional de provedores Internet
Clique aqui para ver a cobertura completa


Projeto de lei nos EUA tenta barrar “globalização” da ICANN

Republicanos tentam novamente adiar, via parlamento, o fim do vínculo entre a entidade de gerencia os endereços na Internet e o governo dos Estados Unidos. Mas a própria preparação dessa transição enfrenta dificuldades e a data de 30/9, prevista para a “internacionalização” do controle sobre a ICANN, dificilmente será cumprida.


FGV: Marco Civil da Internet impede o "acesso grátis"

Mas a entidade, que elaborou a base do projeto que virou a Lei 12.965/14, vê espaço para acordos de ‘serviços especializados’, ainda que com restrições. Proposta faz parte da consulta do CGI.br sobre a regulamentação das Lei, especialmente sobre as exceções à neutralidade de rede. “A exceção é uma necessidade técnica, não uma porta dos fundos que permite acordos comerciais proibidos’, diz a FGV Direito Rio.


Teles temem que Marco Civil reforce neutralidade de rede

“Devíamos nos centrar em princípios e atuar depois, caso haja alguma violação”, defende o presidente da TIM, Rodrigo Abreu.


Marco Civil: Quem tem a real obrigação da guarda dos logs?

Quem tem o poder de guardar ou não essas informações e por quanto tempo são questões a serem esclarecidas na regulamentação do Marco Civil da Internet. O uso dos logs para a venda de informações é o ponto mais crítico do debate.



Brasil somou 6,8 milhões de acessos 4G em 2014, calculam operadoras

No total, conexões móveis chegaram ao fim de dezembro com 167,8 milhões de acessos. Segundo levantamento das empresas, o serviços de quarta geração já chega a 42% da população brasileira.

» Dados móveis: 10% dos assinantes consomem 80% do tráfego 3G e 4G
» TIM investe em plano para PMEs
» Corte de Internet leva Ministério da Justiça notificar Vivo, Claro, Tim e Oi


A regulamentação do Marco Civil da Internet
:: Por Paulo Sá Elias*

Cobertura em vídeo do Convergência Digital

Veja as coberturas especiais do Convergência Digital

 ESPECIAL   GOVERNANÇA DA INTERNET
EUA e aliados rejeitam proposta brasileira de proteção à privacidade

Em entrevista ao portal da Abranet, que o Convergência Digital republica, Thiago Tavares, um dos conselheiros do CGI e que esteve presente à PP-14 de 29/10 a 7/11, realizada em Busan, na Coréia do Sul, diz que há discussões graves para serem tocadas em 2015. Entre elas, uma proposta- rejeitada - da Índia, mas que pode colocar em risco à Internet.

» Governança da Internet: América Latina no centro das atenções
» Pressionada por novas rejeições, NetMundial Initiative muda estrutura
» Brasil vira alvo na guerra fria pelo comando da Internet
Clique aqui para ver o especial completo


TICs em Foco - Internet das coisas
Oportunidades e desafios

Mais popular que nunca, a internet das coisas — ou IoT, na sigla para Internet of Things, ou ainda IoE de Internet of Everything — representa tanto uma janela de oportunidade para as empresas quanto imprime desafios monstruosos devido à imensa quantidade de máquinas conectadas à internet.


Veja edição 11 da Revista Abranet - Assossiação Brasileira de Internet REVISTA ABRANET . 11

Na discussão sobre o que vai prevalecer — fibra óptica ou rádio — na construção das infraestruturas, vence quem souber explorar o que cada tecnologia tem de melhor a oferecer.

Veja também: Cidades Digitais: Governo convoca provedores; A transição da IANA foi destaque no ICANN#51; Billing das coisas: quando cobrar certo será o diferencial; e muito mais.

Clique aqui para ver outras edições




Convergência Digital no Facebook Convergência Digital no Twitter RSS do Convergência Digital Newsletters do Convergência Digital
Copyright © 2005-2015 Convergência Digital
Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.
Este Sítio Web é acessível via IPv6!