Home - Convergência Digital

Leilão 4G: Governo diz que edital é legal e descarta mudanças

Convergência Digital - Carreira
:: Convergência Digital* - 07/05/2012

O Governo Dilma quer dialogar com os países incomodados com as regras estabelecidas para o leilão 4G, mas não está disposto a fazer qualquer mudança no modelo. A afirmação foi feita pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que nesta segunda-feira, 07/05, participou de evento da Abert, em Curitiba, no Paraná. Ele estava acompanhado do presidente da Anatel, João Rezende.

Bernardo garantiu que vai dialgoar com União Europeia, Japão e Estados Unidos - que questionam na Organização Mundial do Comércio- a obrigatoriedade de tecnologia nacional no edital de venda das frequências de 4G. "Não pretendemos mudar nada porque estamos convencidos de que está correto, queremos ter emprego, queremos ter a nossa indústria funcionando de forma competitiva", disse o ministro, segundo reportagem da Agência Estado.

O edital estipula que as empresas vencedoras devem utilizar, tanto na implantação do celular de quarta geração quanto na internet rural, 50% de produtos fabricados no Brasil, ainda que a tecnologia seja estrangeira, e que outros 10% sejam fruto de tecnologia desenvolvida no Brasil.

Apesar de dizer que quer dialogar, Paulo Bernardo não poupou críticas aos que reclamam da posição nacional."Os países mais desenvolvidos, a Europa, os Estados Unidos, por causa da crise, desvalorizam as suas moedas e com isso ganham competitividade artificial", analisou. "Os produtos chegam mais baratos aqui em relação aos que são produzidos no Brasil".

E foi bastante incisivo. "Vamos dialogar, é uma obrigação dialogar com os países da Europa, com os Estados Unidos, com o Japão ou com quem queira discutir, mas não pretendemos mudar nada." O presidente da Anatel, João Rezende, também insistiu na legalidade das exigências do leilão.

"Nós entendemos que como se trata de um bem público, que é a radiofrequência que está sendo leiloada, não estamos ferindo nenhuma regra da Organização Mundial do Comércio", reforçou. Rezende disse que o Ministério das Comunicações e a Anatel, juntamente com o Ministério da Indústria e Comércio e o Itamaraty, vão responder a todos os questionamentos. "Mas a intenção nossa é manter essas condições do edital", ressalvou.

As propostas serão entregues até 5 de junho e a abertura será no dia 12. Ele afirmou que não há uma expectativa em torno do resultado financeiro do leilão, que tem preço mínimo de R$ 3,85 bilhões. No entanto, o presidente da Anatel avalia que haverá disputa.

"Acreditamos que a necessidade desse espectro é muito grande por causa da aplicação móvel, os celulares estão cada vez mais sendo utilizados como meio de dispositivos pessoais, aumento das redes sociais, e acreditamos que o leilão será um sucesso nesse sentido", completou Rezende.

*Fonte: Agência Estado

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 

LEIA TAMBÉM:

21/10/2014
Recarga de dados é estratégica no plano da Oi

21/10/2014
Qualcomm: equacionar o custo por bit é o desafio da mobilidade

14/10/2014
Big data faz TIM reestruturar infraestrutura de rede

09/10/2014
Compartilhamento: Anatel cobra licenciamento duplo de Oi e Tim

02/10/2014
Anatel não tem pressa para vender fatia que sobrou em 700 MHz

01/10/2014
Minicom aposta que 4G será o serviço predominante até 2018

01/10/2014
Paulo Bernardo: desistência da Oi foi ruim para todo mundo

30/09/2014
Leilão 4G: Sem apetite, teles deixam brecha para a Oi

30/09/2014
Anatel espera que Claro, TIM e Vivo paguem mais R$ 423 milhões

30/09/2014
Anatel: Sobras reduzem chance de interferência entre 4G e TV Digital

Destaques
Destaques

Compartilhamento: Anatel cobra licenciamento duplo de Oi e Tim

Empresas firmaram acerto para compartilhar antenas 4G, mas a agência sustenta que apesar das ERBs representarem um único conjunto de equipamentos a serem licenciados, o uso de radiofrequências distintas implica que o pagamento do Fistel deve ser feito por ambas as operadoras.

» Anatel espera Lei das Antenas para decidir sobre compartilhamento de torres

Anatel não tem pressa para vender fatia que sobrou em 700 MHz

Presidente da agência, João Rezende, descarta a inclusão da faixa no megaleilão de sobras de frequência, programado para 2015. E diz que o preço - R$ 2,7 bilhões- será mantido para o novo comprador.

» Anatel autoriza 70-80 GHz para ‘backhaul sem fio’

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Internet das Coisas: O charme dos sensores

:: Por Eduardo Prado *


Copyright © 2014 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site