Home - Convergência Digital

Leilão 4G: Governo diz que edital é legal e descarta mudanças

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 07/05/2012

O Governo Dilma quer dialogar com os países incomodados com as regras estabelecidas para o leilão 4G, mas não está disposto a fazer qualquer mudança no modelo. A afirmação foi feita pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que nesta segunda-feira, 07/05, participou de evento da Abert, em Curitiba, no Paraná. Ele estava acompanhado do presidente da Anatel, João Rezende.

Bernardo garantiu que vai dialgoar com União Europeia, Japão e Estados Unidos - que questionam na Organização Mundial do Comércio- a obrigatoriedade de tecnologia nacional no edital de venda das frequências de 4G. "Não pretendemos mudar nada porque estamos convencidos de que está correto, queremos ter emprego, queremos ter a nossa indústria funcionando de forma competitiva", disse o ministro, segundo reportagem da Agência Estado.

O edital estipula que as empresas vencedoras devem utilizar, tanto na implantação do celular de quarta geração quanto na internet rural, 50% de produtos fabricados no Brasil, ainda que a tecnologia seja estrangeira, e que outros 10% sejam fruto de tecnologia desenvolvida no Brasil.

Apesar de dizer que quer dialogar, Paulo Bernardo não poupou críticas aos que reclamam da posição nacional."Os países mais desenvolvidos, a Europa, os Estados Unidos, por causa da crise, desvalorizam as suas moedas e com isso ganham competitividade artificial", analisou. "Os produtos chegam mais baratos aqui em relação aos que são produzidos no Brasil".

E foi bastante incisivo. "Vamos dialogar, é uma obrigação dialogar com os países da Europa, com os Estados Unidos, com o Japão ou com quem queira discutir, mas não pretendemos mudar nada." O presidente da Anatel, João Rezende, também insistiu na legalidade das exigências do leilão.

"Nós entendemos que como se trata de um bem público, que é a radiofrequência que está sendo leiloada, não estamos ferindo nenhuma regra da Organização Mundial do Comércio", reforçou. Rezende disse que o Ministério das Comunicações e a Anatel, juntamente com o Ministério da Indústria e Comércio e o Itamaraty, vão responder a todos os questionamentos. "Mas a intenção nossa é manter essas condições do edital", ressalvou.

As propostas serão entregues até 5 de junho e a abertura será no dia 12. Ele afirmou que não há uma expectativa em torno do resultado financeiro do leilão, que tem preço mínimo de R$ 3,85 bilhões. No entanto, o presidente da Anatel avalia que haverá disputa.

"Acreditamos que a necessidade desse espectro é muito grande por causa da aplicação móvel, os celulares estão cada vez mais sendo utilizados como meio de dispositivos pessoais, aumento das redes sociais, e acreditamos que o leilão será um sucesso nesse sentido", completou Rezende.

*Fonte: Agência Estado

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

04/02/2016
Cobertura aumenta, mas velocidade do 4G derruba o Brasil para 42º no mundo

03/02/2016
Mais pessoas terão telefone celular do que eletricidade e água encanada em 2020

03/02/2016
Tráfego de dados móveis aumentará sete vezes no Brasil até 2020

01/02/2016
Na guerra pelo chip único, Claro aumenta franquia de dados no plano controle

29/01/2016
Brasil perdeu 22,94 milhões de acessos móveis em 2015, mas 4G deu um salto de 277%

29/01/2016
Acessos 4G 'empatam' com os de banda larga fixa no Brasil

27/01/2016
4G supera a marca de 1 bilhão de linhas ativas no mundo

14/01/2016
4G cresceu 290% em 12 meses no Brasil

12/01/2016
Sem benefício fiscal, 4G assume o papel de incentivar a compra dos smartphones

11/01/2016
TIM projeta levar 4G a mais de 1000 cidades

Destaques
Destaques

4G cresceu 290% em 12 meses no Brasil

Em novembro, a tecnologia chegou a 22,6 milhões de acessos ativos. No total da banda larga - fixo e móvel - o mercado chegou a 221,8 milhões de acessos.

Leilão de sobras de frequências arrecada 852,6 milhões

Com destaque para a participação de empresas pequenas e médias, licitação realizada pela Anatel atraiu 324 concorrentes para a oferta de faixas para aplicações em banda larga. "Acredito que a indústria passará a olhar melhor para os pequenos provedores", afirmou o presidente da Anatel, João Rezende.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

O setor de Telecom em 2016

Por Jose Otero*

Há desafios para serem enfrentados, entre eles, a continuação de processos como a modernização das infraestruturas de telecomunicações do país, uma maior necessidade de conexões de banda larga de alta velocidade e novos indícios de consolidação por parte dos provedores de serviço.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site