Home - Convergência Digital

Leilão 4G: Fabricantes declaram guerra à tecnologia nacional

Convergência Digital - Carreira
:: Ana Paula Lobo* - 02/05/2012

A exigência do uso de tecnologia nacional na construção das infraestruturas de redes voltadas para a oferta da 4G, determinada pelo Governo Dilma à Anatel, vai parar na Organização Mundial do Comércio. Estados Unidos e a União Europeia, endossando as reclamações da indústria móvel dos seus países, decidiram recorrer à OMC afirmando que a exigência de tecnologia nacional é uma medida ilegal no mercado de Telecomunicações.

A informação está na matéria publicada nesta quarta-feira, 02/05, no jornal O Estado de São Paulo, do jornalista Jamil Chade, correspondente do veículo em Genebra, na Suiça. Segundo a reportagem, por enquanto, a disputa está sendo travada nos bastidores, não sendo levada para o tribunal da Organização Mundial do Comércio. Mas o desconforto dos EUA e da União Europeia foi colocado à mesa na reunião do Comitê de Investimentos da entidade, que tem reunião agendada para esta sexta-feira, 04.

Os norte-americanos e europeus fizeram questão, aponta a reportagem, de denunciar a questão e deixaram claro que se não houver uma mudança de rumo vão, sim, partir para um embate nos tribunais da OMC. Os fabricantes estrangeiros questionam o fato de terem de abrir espaço para equipamentos com tecnologia nacional, como se propõe o edital.

Antes de enfrentar o ambiente tenso da OMC, o governo precisa responder a um questionamento feito pelo Representante Comercial dos Estados Unidos (USTR), no fim de abril, com relação à preferência dada para a tecnologia nacional. À época, o documento enviado pela USTR colocava, de acordo com a reportagem do Estadão, "A Anatel vai exigir que a tecnologia preferida seja rejeitada em favor de uma tecnologia inferior que seja produzida localmente?". A resposta oficial do governo Dilma deverá ser conhecida esta semana.

Mas o clima deve continuar bastante complicado. Isso porque o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, já deixou claro que o governo Dilma não mudará a sua rota e sustentou que as medidas colocadas pela Anatel "não ferem as condições da OMC e, sim, promovem a produção e o desenvolvimento local".

O leilão 4G está agendado para o dia 12 de junho. O preço mínimo estabelecido pela Anatel para as licenças foi de R$ 3,85 bilhões e o prazo para a construção das redes é considerado curto pelos fabricantes - pouco mais de seis meses para levar o serviço 4G nas cidades-sede da Copa das Confederações, em junho de 2013.

*Com informações do Jornal O Estado de São Paulo

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 

LEIA TAMBÉM:

01/08/2014
Leilão 700 Mhz: TIM reclama do prazo de carência para uso da faixa

01/08/2014
700 MHz: TCU vota edital dia 6/08 e Anatel publica no dia seguinte

31/07/2014
4G: Verizon corta velocidade dos 'ilimitados'

30/07/2014
Telefonica Vivo silencia sobre Leilão 4G

24/07/2014
4G cresce 110% em seis meses. Modems 3G não param de cair

24/07/2014
Base 3G incorpora 4,47 milhões de celulares em junho

21/07/2014
3G Brasil: cobertura ainda não existe para 1861 municípios

17/07/2014
700 MHz: edital reduz cobertura rural e muda exigência de equipamentos nacionais

17/07/2014
700 MHz: Teles terão controle sobre dinheiro do ressarcimento às TVs

17/07/2014
Um entre três smartphones já usa o 4G

Destaques
Destaques

4G cresce 110% em seis meses. Modems 3G não param de cair

De janeiro a junho, foram desativados 247.526 mil modems 3G na base das operadoras.

700 MHz: Teles terão controle sobre dinheiro do ressarcimento às TVs

Ao aprovar versão final do edital da faixa de 700 MHz, Anatel se cerca de cuidados. Radiodifusores emplacaram distribuição de antenas externas aos mais pobres e carência de um ano entre desligamento analógico e uso do LTE. Empresa constituída pelas operadoras móveis vai administrar transição para a TV Digital.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

BLE: Uma alternativa de localização para o mercado corporativo

:: Por Eduardo Prado*


Copyright © 2014 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site