GESTÃO

Dataprev mantém demissões e gera crise com sindicatos

Luiz Queiroz ... 17/04/2012 ... Convergência Digital

O presidente da Dataprev, Rodrigo Assumpção, afirmou na audiência realizada nesta terça-feira,17/4, no Ministério Público do Trabalho (MPT), que não vai suspender os efeitos das 42 demissões imotivadas que pegaram de surpresa os trabalhadores da empresa, em todo o Brasil.

A Fenadados e os sindicalistas presentes decidiram criar uma comissão de trabalhadores da empresa e foram até à Secretaria-Adjunta do Ministério da Previdência, para protocolar um documento no qual fazem críticas ao processo e contra a decisão da direção da Dataprev.

Durante a audiência os sindicalistas manifestaram revolta contra a postura adotada pela diretoria da empresa.  "A forma como a Dataprev vem conduzindo todo esse processo é um total desrespeito ao trabalhador", afirma o diretor de Relações Sindicais do SINDPD-DF, Eudes Rodrigues da Silva, que juntamente com o diretor Paulo Roberto Ramos, acompanhou a audiência.

A Fenadados demonstrou que ao longo dos últimos cinco anos a Dataprev vem promovendo uma série de demissões imotivadas e, que agora, parece que o processo vai se acentuar. A empresa negou que esteja promovendo demissões em massa e ferindo o Acordo Coletivo do Trabalho (ACT).  A Fenadados insiste que as demissões são em massa e, muitas vezes, motivadas por perseguições políticas e pessoais. A empresa afirma que as demissões foram motivadas pela reestruturação e os planos de ação desenvolvidos desde 2009.

A procuradora do Trabalho, Dinamar Cely Hoffmann, solicitou mais documentos à empresa e vai aguardar a manifestação da Fenadados.  Em conversa informal com os sindicalistas, a procuradora afirmou que o caso é muito difícil. Hofmann solicitou que a federação faça sua manifestação com informações que demonstrem o desrespeito da empresa ao Acordo Coletivo de Trabalho. Também orientou aos sindicatos que promovam ações judiciais em defesa dos trabalhadores.  

Segundo o presidente da Fenadados, Carlos Albereto Valadares - Gandola, todos os sindicatos foram orientados a não homologarem novas demissões que estejam ocorrendo na Dataprev, assim como já vinha sendo feito no caso dos 42 que já foram demitidos. "Até que se resolva o impasse a direção da Dataprev terá de homologar qualquer demissão diretamente nas Delegacias Regionais do Trabalho", informou Gandola.


Sociedade será chamada para construir políticas públicas

Com duas novas secretarias (Diálogo e Participação), governo usará a tecnologia para ouvir os movimentos sociais, sobre quais os programas que serão prioritários para o país. 

CGU abrirá banco de dados com perguntas e respostas feitas pela LAI

Objetivo é garantir um ganho de tempo ao cidadão que quer obter alguma informação por meio da Lei de Acesso à Informação, e esta já tenha sido respondida pelo governo a outro interessado.

Desafio é trabalhar a informação armazenada de forma caótica

Quando a iniciativa dá certo, o não tão simples cruzamento de dados reduz para minutos o benefício que levava meses para cidadão receber, diz presidente da Dataprev.

Pressão da sociedade exigirá menos controle estatal da informação

Professor da USP, José Carlos Vaz, entende que ao Estado caberá o papel de tornar disponível a informação à sociedade, que fará uso dela da maneira que bem entender como informação pública.

Governo inclui georreferenciamento no portal de Dados Abertos

Iniciativa alcançou a disponibilização de 1.000 conjuntos de dados com 7.381 recursos, revela o Ministério do Planejamento.



  • Copyright © 2005-2015 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G