GESTÃO

Governo institui Infraestutura Nacional de Dados Abertos

Da redação ... 17/04/2012 ... Convergência Digital

O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) instituiu, por meio de instrução normativa, a Infraestrutura Nacional de Dados Abertos (INDA).

A INDA é a metodologia a ser utilizada pelos órgãos públicos para divulgar os dados de maneira aberta no Portal Brasileiro de Dados Abertos, que será disponibilizado em breve. O objetivo da regulamentação é promover a divulgação e a publicidade de dados e informações da administração pública federal. A norma foi publicada na última sexta-feira, 13/04, no Diário Oficial da União.

Os dados são abertos quando permitem a sua utilização, cruzamento e compartilhamento por qualquer pessoa. Um exemplo do uso dos dados abertos está no aplicativo “Onde acontece?”, feito pela organização Opendata-Br. O programa cruzou dados populacionais, econômicos, demográficos e de segurança pública para montar um índice de criminalidade no Rio Grande do Sul.

A disponibilização dos dados abertos está prevista na Lei de Acesso à Informação (Lei nº 12.527, de novembro de 2011), que entra em vigor no dia 16 de maio e também faz parte das ações do governo federal dentro do plano brasileiro para a implementação da Parceria para Governo Aberto (Open Government Partnership – OGP).

A gestão da INDA será feita por um comitê gestor, composto por integrantes de órgãos federais, representante da sociedade civil e outro do setor acadêmico. A Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) representa o MPOG no grupo, que também irá contar com participantes da Casa Civil da Presidência, Ministério da Saúde (MS), Controladoria Geral da União (CGU), Ministério da Educação (MEC), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dentre outros. Entre as funções do novo comitê está a criação de procedimentos para que os órgãos apresentem plano de adequação para que os dados públicos possam ser considerados abertos.

Além dos mais de 180 órgãos federais que integram o Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação (SISP), a norma também pode ter validade para estados, municípios e o Distrito Federal, desde que estes entes assinem termo de adesão. A INDA também permite a participação voluntária de entidades civis e cidadãos interessados.

A primeira experiência com essa nova metodologia de divulgação de dados abertos foi realizada em maio de 2011 com o Sistema de Cadastramento Unificado de Fornecedores (Sicaf). Com o recadastramento, os municípios podem saber quais empresas localizadas em seu entorno fornecem serviços ou produtos para o governo.

Com isto, é possível agilizar o trabalho das administrações públicas ao fazer uma licitação ou até mesmo aquecer a economia local. O aplicativo pode ser encontrado no Portal de Compras do Governo Federal (Comprasnet).


Carreira
Justiça do Trabalho anula caso de “pejotização” na CTIS Tecnologia

Juíza da 22ª Vara do Trabalho de Brasília diz empresa de TI, comprada pela chilena Sonda, tentou burlar a legislação ao não pagar encargos trabalhistas e previdenciários.

Sociedade será chamada para construir políticas públicas

Com duas novas secretarias (Diálogo e Participação), governo usará a tecnologia para ouvir os movimentos sociais, sobre quais os programas que serão prioritários para o país. 

CGU abrirá banco de dados com perguntas e respostas feitas pela LAI

Objetivo é garantir um ganho de tempo ao cidadão que quer obter alguma informação por meio da Lei de Acesso à Informação, e esta já tenha sido respondida pelo governo a outro interessado.

Desafio é trabalhar a informação armazenada de forma caótica

Quando a iniciativa dá certo, o não tão simples cruzamento de dados reduz para minutos o benefício que levava meses para cidadão receber, diz presidente da Dataprev.

Pressão da sociedade exigirá menos controle estatal da informação

Professor da USP, José Carlos Vaz, entende que ao Estado caberá o papel de tornar disponível a informação à sociedade, que fará uso dela da maneira que bem entender como informação pública.

Bradesco: Computação em nuvem está sendo vendida da forma errada

Vice-presidente executivo do Bradesco, Maurício Minas, adiantou que cloud é, sim, vista com atenção pelos bancos. "Até então tínhamos dinheiro e tempo. Hoje o cenário é outro".



  • Copyright © 2005-2015 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G