Convergência Digital - Home

Dilma Rousseff: Brasil precisa fazer engenharia

Convergência Digital - Cobertura Especial BITS 2012
:: Da redação - 16/04/2012

A inovação e a geração de conhecimento tecnológico passam a integrar a “nova agenda para o Brasil” e são parte das ações para desmontar os entraves ao crescimento sustentável do Brasil, sustentou a presidenta da República, Dilma Rousseff.

“Temos de ser contemporâneos do momento histórico e apostarmos em ciência e tecnologia, inovação e educação”, disse, durante discurso na solenidade de apresentação do Programa Senai de Apoio à Competitividade, na sede da Confederação Nacional da Indústria (CNI), em Brasília, na última sexta-feira, 13/04.

Dilma Rousseff situou as ações para geração de conhecimento tecnológico no mesmo patamar das medidas macroeconômicas que vem sendo adotadas para aumentar a competitividade e a produtividade da indústria nacional.

“Além de colocar os juros e o spread [a diferença entre as taxas de juros pagas elos bancos aos poupadores e a taxa cobras de tomadores de empréstimos] no padrão internacional, desonerar tributos sem comprometer a situação macroeconômica do Brasil e atuar contra a chamada desvalorização [cambial] competitiva, temos de ter capacidade de projetar, de fazer engenharia”, disse.

O discurso da presidente ocorre dez dias depois do anúncio de novas medidas de estímulo à competitividade indústria e dois dias após retornar de viagem aos Estados Unidos, onde além de se reunir com o presidente Barack Obama, visitou a Universidade Harvard e o Massachusetts Institute of Technology (MIT).

Dois dos mais importantes centros de produção tecnológica do mundo, Harvard e o MIT estão entre os centros de excelência estrangeiros que vão receber 101 mil estudantes graduando e pós-graduandos brasileiros das áreas de ciências, química, biologia e engenharia. “Temos de investir na capacidade de transformar ideias em ação e, no caso do Brasil, de forma mais acelerada para reduzir os nossos gargalos”, frisou ainda Dilma Rousseff.

A solenidade marcou o repasse de R$ 1,5 bilhão do BNDES para financiar parte do programa do Senai, uma das ações previstas pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), criado por Dilma em outubro de 2011. Outros R$ 400 milhões serão recursos próprios da entidade.

As ações previstas incluem a instalação de 23 institutos de inovação, 38 institutos de tecnologia, a construção de 53 centros de formação profissional e a reforma de 250 escolas até 2014. Os institutos de tecnologia vão oferecer às empresas serviços de metrologia, ensaios e testes laboratoriais para atestar ou elevar a qualidade dos produtos brasileiros. Hoje, a maior parte desse serviço é feito no exterior.

Esses institutos também vão oferecer educação profissional em todos os níveis, inclusive cursos superiores. Com esse investimento, o Senai deve alcançar 4 milhões de matrículas ao ano em 2014, quase o dobro das 2,5 milhões registradas no ano passado.

Na BITS 2012, o presente e o futuro da Tecnologia da Informação será tema de palestras e mesa-redondas na trilha "As TIC alavancando negócios". Para mais informações sobre o evento, que acontecerá na capital gaúcha, de 15 a 17 de maio, acesse: www.bitsglobalconferences.com.br


A edição 2012 da BITS teve o patrocínio do Sebrae, Banrisul e PROCEMPA.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 

LEIA TAMBÉM:

17/05/2012
Inovar é assumir o risco do erro

11/03/2013
TIC responde por 20% dos investimentos de P&D no Brasil

15/05/2012
Inovação e eficiência desafiam as empresas brasileiras

03/05/2012
Conteúdo nacional exige engenheiros de projeto

16/04/2012
Dilma Rousseff: Brasil precisa fazer engenharia

29/03/2012
Inovação: Governo quer mais investimentos do setor privado

18/05/2012
Força da mente entra na mira da inovação nacional

Veja mais vídeos
Copyright © 2012 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site