Home - Convergência Digital
RSS Assine gratuitamente as nossas newsletters Quem faz o Convergência Digital Fale conosco Anuncie aqui
Cloud Computing CD TV Carreira Blog Capital Digital



Home - Telecom

Ressarcimento ao MMDS será por livre negociação entre empresas

:: Luís Osvaldo Grossmann
:: Convergência Digital :: 12/04/2012

A oferta da faixa de 2,5 GHz em leilão exigiu uma arquitetura delicada para conciliar o desejo de forte competição com um rearranjo desse naco de espectro que já vem sendo utilizado para oferta de serviços – além de alguma compensação para os atuais “moradores” que, na falta de um adjetivo melhor, serão despejados.

Trata-se das operações de MMDS (micro-ondas), hoje em pouco mais de 200 municípios do país, que em geral se especializaram em oferecer pacotes de TV por assinatura. É um conjunto que reúne pequenas, médias e grandes empresas – entre as últimas, Sky e Telefônica (TVA), por exemplo.

Originalmente essas operações tinham autorizações de uso de 190 MHz, mas a fome de espectro dos serviços móveis levou a Anatel a retirar 155 MHz dessas e reverter a maior parte (140 MHz) para o Serviço Móvel Pessoal, com vistas ao uso pelas tecnologias de quarta geração (4G). Outros 15 MHz são para aplicações públicas.

Uma parte do arranjo, portanto, foi definir alguns parâmetros para a compensação ao MMDS. A Anatel definiu que quem comprar bandas em 2,5 GHz terá que ressarcir os que se vão em até quatro meses após a publicação do termo de autorização – ou 30/3/2013, o que vier primeiro.

Em princípio esse acerto se dará por livre negociação entre as partes, o que pode incluir o financiamento de uma eventual migração das operações para outra faixa (5,8 GHz, por exemplo). Caso não haja acordo, a agência pode intervir e vai usar alguns critérios de precificação, como os seguintes:

1) custos incorridos em serviços técnicos de manutenção, de operação e instalação;
2) os investimentos realizados em equipamentos, não amortizados e não depreciados; e
3) custos de migração dos equipamentos e da base de usuários.

As empresas de MMDS também podem tentar comprar novas faixas, mas as regras do edital exigem, nesse caso, que elas se desfaçam – imediatamente ou em até 18 meses – das fatias que lhes restaram, sendo proibidas de repassarem a empresas do mesmo grupo econômico.

Outro ponto importante é que as atuais autorizações de uso da faixa são regionais – aquelas cerca de 200 cidades. Mas a partir do leilão a maior fatia desse espectro terá licenças nacionais. Com isso, a Anatel induz mesmo as empresas de MMDS que não participarem do leilão a venderem suas fatias.

Além disso, a divisão do 2,5 GHz também prevê pedaços em FDD e em TDD – as tecnologias de divisão do espectro por frequência ou por tempo, sendo a primeira destinada para operações de SMP. Uma mesma empresa não pode atuar em ambas tecnologias na mesma área geográfica.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 


:: Leia também:

:: 11/11/2014 10:33
Lei das Antenas passa em comissão e vai ao Plenário do Senado

:: 11/11/2014 08:40
Senado muda Lei das Antenas e garante autorização tácita de instalação

:: 05/11/2014 12:10
4G é a aposta da TIM Brasil

:: 28/10/2014 14:40
Claro prevê investir R$ 6,3 bilhões nos próximos dois anos

:: 27/10/2014 10:45
4G chega a 4,2 milhões de acessos

:: 21/10/2014 12:40
Recarga de dados é estratégica no plano da Oi

:: 21/10/2014 10:00
Qualcomm: equacionar o custo por bit é o desafio da mobilidade

:: 14/10/2014 19:15
Big data faz TIM reestruturar infraestrutura de rede

:: 09/10/2014 18:00
Compartilhamento: Anatel cobra licenciamento duplo de Oi e Tim

:: 02/10/2014 18:03
Anatel não tem pressa para vender fatia que sobrou em 700 MHz




Outras matérias desta seção:

ANTERIOR
Fixo/móvel: Anatel cassa liminar da Oi no STJ

PRÓXIMA
Teles terão meta para compra de tecnologia nacional até 2022



Veja a segunda edição da revista digital Alianza Latinoamericana de Medios TIC Revista do 58º Painel Telebrasil 2014

Revista do 58º Painel Telebrasil, realizado nos dias 09 e 10 de setembro de 2014 em Brasília, tendo como tema principal Perspectivas e Propostas para o Próximo Governo, Telecomunicações, Competitividade e Inovação no Brasil.

Clique aqui para ver mais revistas

58 Painel Telebrasil 2014
Por um Brasil Digital, teles pedem adoção de medidas urgentes

O Brasil pode chegar em 2018 entre as 30 economias mais competitivas do mundo, mas para isso precisa implantar uma série de ações num curto prazo de tempo, pontua estudo da LCA Consultores.

CDTV Anatel e teles debatem 'mão pesada' na regulação do setor
CDTV "Estamos na idade de pedra no uso de aplicativos", diz o presidente da Vivo
CDTV Indústria de aplicativos vira alvo da política de TICs da Colômbia
Clique aqui e veja a cobertura completa do evento


"É hora de repensar o modelo de Telecom", diz Jarbas Valente
:: 17/11/2014 :: Telecom

O ex-conselheiro da Anatel prevê que 2015 será um ano de grandes decisões para o setor. Sobre a consolidação, o executivo diz que o desafio será preservar a competição.


Anatel empurra para 2015 decisão sobre TIM e Oi que afeta 70 milhões de clientes
:: 13/11/2014 :: Telecom

Presidente da agência, João Rezende, pediu mais 60 dias para costurar uma solução sobre os pedidos de prorrogação de uso de radiofrequências usadas para oferta de celular na tecnologia 2G. Para a Procuradoria da Anatel, ambas perderam o prazo de pedir a extensão. Para a área técnica, negativa vai prejudicar os clientes.


Venda dos ativos da PT vai para Oi participar da consolidação no Brasil
:: 13/11/2014 :: Telecom

A informação foi dada pelo presidente da empresa, Bayard Gontijo, em teleconferência para analistas estrangeiros. Empresa manterá, em 2015, a estratégia de corte de custos e melhora nas vendas. 

» Oi registra queda de 5,6% na receita. Telefonia fixa cai. TV paga cresce

Para Rezende, bens são da concessionária, não da União
:: 12/11/2014 :: Telecom

O presidente da Anatel, João Rezende, diz que o debate sobre o tema está cercado de muita ideologia. "A prestação de serviço tem de ficar à frente do patrimônio", destacou. Rezende advertiu ainda sobre a necessidade de fechar um acordo com a Aneel para o uso dos postes. "O momento é esse".




Minicom quer ampliar desoneração para as small cells

Secretário Maximiliano Martinhão insiste ainda na redução do ICMS para a banda larga.

» Smartphones já são 82,2% dos celulares vendidos no Brasil


A TV está morrendo!
:: Por Eduardo Prado

Cobertura em vídeo do Convergência Digital

Veja as coberturas especiais do Convergência Digital






Convergência Digital no Facebook Convergência Digital no Twitter RSS do Convergência Digital Newsletters do Convergência Digital
Copyright © 2014 Convergência Digital
Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.
Este Sítio Web é acessível via IPv6!