Home - Convergência Digital
RSS Assine gratuitamente as nossas newsletters Quem faz o Convergência Digital Fale conosco Anuncie aqui
Cloud Computing CD TV Carreira Blog Capital Digital



Home - Telecom

Telefônica/Vivo integra operações de TI em data center de R$ 400 milhões

:: Fernanda Ângelo
:: Convergência Digital :: 12/04/2012

Depois de 18 meses de trabalho para integração de equipes e transformação da empresa, a Telefônica lançou nesta quinta-feira, 12/04, a Vivo como marca nacional também de seus serviços de telefonia fixa, internet e TV por assinatura. O anúncio acontece no momento em que o Brasil, país no qual a Telefônica atua há mais de 13 anos, se transforma no maior mercado da empresa em todo o mundo: as operações brasileiras bateram a marca de 90 milhões de acessos.

“É a maior quantidade de clientes entre os 25 países nos quais a companhia atua”, afirma Antonio Carlos Valente, presidente da Telefônica/Vivo. Também está no Brasil, o maior contingente de empregados diretos entre as localidades nas quais mantém operações: são mais de 106 mil profissionais.

O executivo diz que entre 1998 e 2011, a Telefônica investiu no Brasil R$ 102,9 bilhões em aquisição de ativos (participações em empresas e licenças) e R$ 62,9 bilhões (Capex) em ampliação em modernização das redes destas empresas e inovação em produtos e serviços. E acrescenta que a previsão de investimentos da empresa no País para o período de 2011 a 2014 é de outros R$ 24,3 bilhões.A adoção da marca comercial Vivo segue a estratégia global do grupo, que utiliza outras marcas para seus produtos e serviços nos 25 países onde atua: MoviStar (América Latina e Espanha) e O2 (Europa, exceto Espanha). “Estamos trazendo a estratégia para o mercado local. Com a diferença que utilizaremos uma marca brasileira”, observa Valente.

“O reposicionamento da marca ocorre em um momento em que a nossa rede de voz e internet móvel 3G está presente em mais de 2,7 mil cidades brasileiras”, contabiliza Paulo Cesar Teixeira, diretor geral da Telefônica|Vivo. “Além disso, em 25 Estados (incluindo o Distrito Federal), nossa rede está equipada com a tecnologia HSPA+. É o 3G Plus, com velocidade de navegação, por meio de modems e smartphones, três vezes maior do que a oferecida pela tecnologia convencional”, completa o executivo. Um dos pontos relevantes da integação foi a construção de novo data center, que entrará em operação ainda este mês. Nele estarão integradas pela primeira vez as infraestruturas de TI das operações fixa e móvel, com investimentos da ordem de R$ 400 milhões.

A rede móvel da Vivo já é utilizada em 140 cidades de oito Estados brasileiros (Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Bahia, Paraná, Santa Catarina, Espírito Santo e Goiás) para oferecer telefonia fixa (Vivo Fixo) e internet (no Vivo Box, que também inclui serviço de voz). “Entre os clientes que estão adquirindo estes novos serviços, 60% preferem a solução integrada. Nos próximos meses, vamos ampliar essa cobertura nacional com outros serviços Vivo e também anunciar ao mercado mais ofertas sinérgicas”, acrescenta Teixeira.

As mudanças passam a valer ainda este mês. A partir do dia 15 de abril, todos os serviços da Telefônica trarão a marca Vivo em seu nome. O Speedy, por exemplo, passa a ser comercializado como Vivo Speedy. O nome Telefônica desaparece de faturas e material de comunicação, as 131 lojas físicas ganham novo visual e os serviços de call center passam a atuar de maneira unificada, sob a bandeira Vivo. Apesar das novidades todas, Valente garante que a mudança será transparente para os clientes. “Na prática, nada mudará para ele”, afirma.

Iniciado há dezoito meses, o processo de mudança da marca está exigindo a participação de toda a empresa. No total, 117 mil pessoas (empregados e prestadores de serviços) passaram por treinamento relacionado à mudança. Entre eles, 37 mil atendentes dos call centers, 44 mil da força de vendas e 32 mil técnicos que cuidam da rede externa no Estado de São Paulo. Os uniformes dos técnicos e os 15 mil carros por eles utilizados também ganharam novo visual com a marca Vivo.

Uma campanha nacional de reposicionamento da marca Vivo como sinônimo de serviços completos em telecomunicações estreia neste domingo (15/04). Uma primeira fase dessa campanha, restrita a São Paulo, já comunicou aos clientes a adoção das marcas Vivo Fixo, Vivo Speedy e Vivo TV para os principais serviços oferecidos anteriormente com a marca Telefônica no Estado.

A Central de Atendimento vai operar agora de forma convergente para usuários que possuem serviços móveis e fixos, independentemente do número de acesso utilizado pelo cliente: 103 15 (fixa) e *8486/1058 (móvel). As faturas dos serviços fixos e móveis continuam separadas, ambas trazendo a identificação Vivo. As novas faturas já estão sendo recebidas pelos clientes.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 


:: Leia também:

:: 22/07/2014 16:15
m-Gov: 66% dos órgãos federais e estaduais não têm serviços móveis

:: 18/07/2014 13:15
Bancos avançam, enfim, no compartilhamento de ATMs

:: 18/07/2014 11:45
TV Digital: Anatel fará ajustes no conversor para o Bolsa Família

:: 18/07/2014 11:37
Direito do Consumidor impõe um novo modelo aos Provedores Internet

:: 16/07/2014 15:00
Governo proíbe uso de criptografia estrangeira em dados de órgãos públicos

:: 16/07/2014 12:11
Brasil foi país mais atacado pelo trojan bancário Shylock

:: 15/07/2014 18:55
Ao regular ofertas de atacado, Anatel volta à fronteira entre telecom e Internet

:: 15/07/2014 18:05
Novo relator, Walter Pinheiro (PT-BA) quer texto original da Lei das Antenas

:: 15/07/2014 17:42
Na Copa das 'Selfies', O Maracanã vira a estrela maior

:: 15/07/2014 14:12
Uso dos postes: Anatel promete 'mudanças importantes' em acordo com Aneel




Outras matérias desta seção:

ANTERIOR
TIM/Intelig aquecem a disputa pelo mercado corporativo

PRÓXIMA
Teles investiram R$ 21,7 bilhões em 2011



Rio Cidade Inteligente + Rio Wireless 2014
Anatel quer ampliar compartilhamento e ‘uso industrial’ de espectro

“Há um grande desafio de expansão das redes e isso exige índice mais alto de eficiência espectral. Queremos abordagens mais simples”, sustenta o conselheiro Rodrigo Zerbone.

» Novo Hamburgo investe R$ 1,4 milhão em TICs para saúde
» Rio de Janeiro atento ao legado olímpico
» 700 MHz: Leilão não obriga ninguém a implantar rede
» Teles projetam quadruplicar número de ERBs para atender novas demandas
Clique aqui para ver a cobertura completa


Ao regular ofertas de atacado, Anatel volta à fronteira entre telecom e Internet
:: 15/07/2014 :: Telecom

Agência indica que com o SNOA, os preços caíram até 60% em um ano. “Misturar conexão IP nos contratos gera mais distorções”, adverte Eduardo Parajo, da Abranet.


Anatel defende sistema de negociação entre OTTs e teles
:: 15/07/2014 :: Telecom

Ao defender o sistema de negociações de ofertas de atacado, implantado pela Anatel no ano passado, o presidente da agência, João Rezende, sugere que os donos de redes e provedores de conteúdo passem a usar uma mediação semelhante. “Algo como o SNOA poderia ser ampliado para esse debate, onde há um nó muito grande”.


Telebras negocia legado da Copa com estádios
:: 11/07/2014 :: Telecom

Responsável pela infraestrutura de R$ 110 milhões para as transmissão das imagens das partidas, a estatal já costura contratos para o uso da rede e dos equipamentos instalados nas arenas. Acerto já avança no Maracanã, revela o presidente da Telebras, Francisco Ziober.


Anatel inaugura reuniões abertas do Conselho Diretor
:: 10/07/2014 :: Telecom

Sessões deliberativas serão realizadas no Espaço Cultural a partir da próxima quinta, 17/7, e qualquer um poderá participar. Partes dos processos também poderão se manifestar durante a reunião, desde que encaminhem pedido prévio por e-mail à agência. 




Desoneração de smartphone rende 260 apps nacionais

A partir de dezembro, cada smartphone produzido localmente deverá contar com 50 aplicativos.

» Claro e Vivo acirram disputa pela liderança no 4G


Estádios da copa sem 4G, retrato do improviso nacional
:: Por Vivien Mello Suruagy*

Cobertura em vídeo do Convergência Digital

Veja as coberturas especiais do Convergência Digital



Veja a primeira edição da revista digital Alianza Latinoamericana de Medios TIC Alianza Latinoamericana
de Medios TIC


A Revista Alianza é fruto de uma aliança editorial entre os veículos InversorLatam, portal Convergência Digital e Evaluamos, da Colômbia. Nosso compromisso é retratar os pontos mais importantes de Telecom e TI na América Latina. Nessa primeira edição, tratamos de um tema que está na lista de prioridade: a governança da Internet. Boa leitura!

Clique aqui para ver todas as edições





Convergência Digital no Facebook Convergência Digital no Twitter RSS do Convergência Digital Newsletters do Convergência Digital
Copyright © 2014 Convergência Digital
Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.
Este Sítio Web é acessível via IPv6!