GOVERNO » Política Industrial

Governo promete Política Nacional de Software para maio

Luís Osvaldo Grossmann ... 11/04/2012 ... Convergência Digital

O Ministério de Ciência e Tecnologia promete para o próximo mês, maio, o lançamento da Política Nacional de Software - em desenvolvimento desde o ano passado. A lógica dessa iniciativa é criar instrumentos para impulsionar os programas - em contraposição aos instrumentos legais hoje disponíveis, especialmente a Lei de Informática, que privilegiam o hardware.

O coordenador geral de software e serviços do MCTI, Rafael Moreira, não adiantou pontos específicos dessa nova política nacional. Mas, ao participar de debate sobre o setor no Senado, afirmou que “o Brasil não quer ser apenas um parceiro comercial [das grandes empresas mundiais de software], mas também um parceiro intelectual”.

Segundo ele, já existe um conjunto relevante de recursos no setor - seja via BNDES, Finep ou demais instrumentos públicos de fomento - da ordem de R$ 1,2 bilhão por ano. “Há recursos, mas não articulação para fortalecer diferentes partes da cadeia”

Para o MCTI, porém, um marco legal para o setor de software deve levar em conta algumas questões importantes. Primeiro, algum tratamento para a proteção de dados pessoais, especialmente como crescimento (e a tendência) de aplicações que fazem uso da computação em nuvem. “Somos o único país do Mercosul que ainda não tem uma lei nesse sentido”, disse Moreira.

A exemplo da indústria, e apesar das medidas do Plano Brasil Maior - especialmente a substituição da contribuição previdenciária por um percentual sobre o faturamento - o coordenador acredita que a legislação deve tratar também de terceirização, visto tratar-se de algo inerente à produção de programas de computador.

E, finalmente, defendeu que sejam aprofundadas as discussões relacionadas à patenteabilidade do software. “Esse é um ponto muito controverso que precisa ser melhor discutido. É algo que pode ajudar, mas também pode tolher a competitividade”, afirmou Moreira.


CADE abre investigação contra cartel de componentes para telefonia e banda larga

Estão sendo investigadas as empresas: Araguaia Indústria, Comércio e Serviços Ltda. – EPP, Corning Comunicações Ópticas S/A, Corning Incorporated, Quadrac Telecomunicações e Informática Ltda., Redex Telecomunicações Ltda. e Tyco Electronics Brasil Ltda.

CADE condena Cisco a pagar multa de R$ 30 milhões

Fabricante, junto com a Technicolor, sofreu a maior punição já imposta a uma empresa no país por prátia de gun jumping -quando ocorre consumação da operação, cuja notificação o é obrigatória, sem autorização prévia do órgão antitruste.

Pelo PPA, Telebras assume a missão de implantar rede privada do Governo

A presidenta Dilma Rousseff sancionou o Plano Plurianual (PPA) para o período de 2016 a 2019, e mais uma vez há poucas referências para o setor de TICs. A banda larga móvel ganha destaque, mas a banda larga fixa é pouco citada.

Antena que vai controlar satélite geoestacionário brasileiro é instalada em Brasília

Orçado em R$ 1,7 bilhão, o satélite tem lançamento previsto para ocorrer entre setembro de 2016 e fevereiro de 2017. Uma segunda antena de controle será montada no Rio de Janeiro.

DEST também propõe nova empresa de TI/Telecom, com a liquidação de outras estatais



  • Copyright © 2005-2016 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G