Home - Convergência Digital
RSS Assine gratuitamente as nossas newsletters Quem faz o Convergência Digital Fale conosco Anuncie aqui
Cloud Computing CD TV Carreira Blog Capital Digital



Home - Governo - Política Industrial

Software quer liberar terceirização e reclama de competir com Estado

:: Luís Osvaldo Grossmann
:: Convergência Digital :: 11/04/2012

A indústria nacional de software, conforme argumentos repetidos várias vezes em audiência no Senado, apontam pelo menos dois pontos de estrangulamento do setor no país: a concorrência direta com o Estado e o tratamento ilegal das terceirizações.

No primeiro campo podem ser incluídas desde as atividades do Serpro, por exemplo, a até, principalmente, o Portal de Software Público, alvo direto de queixas na reunião conjunta das comissões de Infraestrutura e de Ciência e Tecnologia do Senado, nesta quarta-feira, 11/4.

“Se queremos uma indústria de software poderosa não será com software livre. E temos concorrência com o próprio Estado. Enquanto o modelo for contratar serviços não vamos fortalecer o software nacional”, reclamou o vice presidente da Assespro, Jeovani Salomão. “Temos empresas que exportam, mas não conseguem vender para o governo”, completou.

Na mesma linha emendou o presidente da Fenainfo, Márcio Girão, que também se queixou do “agigantamento do Portal do Software Público”, e o presidente da ABES, Gerson Schmitt, para quem “o governo deve ser menos empresário e mais comprador, e não o maior produtor e empregador” no setor de software.

O diretor do departamento de integração de sistemas da SLTI, Corinto Meffe, reagiu. “Fiquei surpreso com os mitos que ainda são colocados. O software público viro consenso no governo pelos resultados. Além do que, de 56 soluções disponíveis hoje no Portal, nenhum ofertante pediu para sair. E vejo que nem entre as empresas há consenso sobre a nacionalidade do software”, afirmou.

Terceirização

O segundo ponto levantado - esse com virtual unanimidade entre os diferentes representantes do setor - é a contratação de terceiros, via pessoas jurídicas. O setor que uma legislação que lhe permita adotar essa prática legalmente: ou seja, a repetida “segurança jurídica” das terceirizações. “PJ não é mal ou bem e o marco legal tem que cuidar disso”, afirmou Girão, da Fenainfo.

Ou mesmo, como defendeu Edmundo Machado, da Brasscom, um tratamento semelhante ao que a Lei Geral de Telecomunicações dispensou às teles. “Como na LGT, precisamos de pelo menos um parágrafo na legislação que nos permita fazer a terceirização”, insistiu, lembrando que “esse setor fez planejamento tributário onde dava, na contribuição previdenciária”.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 


:: Leia também:

:: 04/03/2015 13:50
Brasil é foco da SAP para soluções analíticas

:: 23/02/2015 11:44
Softex: apoio a exportadores em canais de distribuição termina hoje

:: 20/02/2015 12:36
Software baseado em web torna-se aliado de síndicos

:: 04/02/2015 10:36
Governo abre consulta pública para discutir licença de software livre

:: 03/12/2014 16:45
Rio de Janeiro perde posição em software e serviços

:: 12/11/2014 14:35
Brasil fica com 1º lugar na Copa Mundial de Testes de Software

:: 15/08/2014 14:32
Empresas começam a testar qualidade de software

:: 13/08/2014 18:30
Software ganha linha de financiamento de R$ 300 milhões do BNDES

:: 13/08/2014 18:30
Software ganha linha de financiamento de R$ 300 milhões do BNDES

:: 22/05/2014 15:55
TRT manda empresa recolher Imposto de Renda em compra externa de software




Outras matérias desta seção:

ANTERIOR
Governo promete Política Nacional de Software para maio

PRÓXIMA
Governo publica MPs e Decretos da política industrial



 ESPECIAL   ESPIONAGEM DIGITAL
Brasileiros reagem à espionagem e rejeitam repasse de dados por empresas de tecnologia

Apenas um em cada quatro brasileiros concorda que o governo deve monitorar e vigiar os dados de Internet e de telefonia da população, revela pesquisa feita pela YouGov, a pedido da Anistia Internacional.

» Brasil ainda luta para por em prática medidas contra espionagem
» NSA e aliados têm chaves criptográficas para ouvir celulares em todo o mundo
» Espionagem: Comunicações do governo seguem vulneráveis
Clique aqui para ver a cobertura completa


TV Digital: Teles e TVs comerciais pressionam por conversor mais barato

Grupo de implementação da digitalização vai pedir cotações de preços de oito modelos de equipamentos que permitem que mesmo televisores analógicos assistam a programação digital. O escolhido será distribuído a 14 milhões de beneficiários do Bolsa Família, mas modelos opõem visões diferentes de interatividade na televisão aberta.


Aldo Rebelo, do MCTI, diz que TI não será excluída do ajuste fiscal

Uma ducha de água fria nos esforços de articulação de empresários e trabalhadores de TIC. O ministro Aldo Rebelo deixou claro que a medida vai valer para todos e não haverá uma ação defesa do MCTI à manutenção da alíquota de 2% na desoneração da folha de pagamentos.


TIC movimenta R$ 6 bi e SLTI recomenda dobrar o número de funcionários

As compras de produtos e serviços de TI alcançaram em 2014 um total de R$ 6 bilhões, o que já representa 10% das compras globais do governo. Diante desse montante, secretário Cristiano Heckert - em entrevista à CDTV do portal Convergência Digital - fala da necessidade de dobrar o contingente de funcionários para garantir um bom nível de governança.


SLTI: governo não abre mão de auditoria completa nos sistemas de comunicações

Em entrevista exclusiva ao portal Convergência Digital, o secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Cristiano Heckert, deixou claro que o governo brasileiro não pretende recuar da sua intenção de cobrar das empresas, para efeito de auditorias, os códigos-fonte dos sistemas embarcados em equipamentos para as comunicações do governo.



Veja as coberturas especiais do Convergência Digital


Cobertura em vídeo do Convergência Digital


Veja a segunda edição da revista digital Alianza Latinoamericana de Medios TIC Alianza Latinoamericana
de Medios TIC . nº 2


Nesta segunda edição, tratamos de um tema que está na lista de prioridade dos gestores de TI: o BIG DATA

A Revista Alianza é fruto de uma aliança editorial entre os veículos InversorLatam, portal Convergência Digital e Evaluamos, da Colômbia. Nosso compromisso é retratar os pontos mais importantes de Telecom e TI na América Latina.

Clique aqui para ver outras edições




Convergência Digital no Facebook Convergência Digital no Twitter RSS do Convergência Digital Newsletters do Convergência Digital
Copyright © 2005-2015 Convergência Digital
Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.
Este Sítio Web é acessível via IPv6!