Home - Convergência Digital
RSS Assine gratuitamente as nossas newsletters Quem faz o Convergência Digital Fale conosco Anuncie aqui
Cloud Computing CD TV Carreira Blog Capital Digital



Home - Telecom

TV paga: Radiodifusores vão ao STF contra nova lei

:: Da redação
:: Convergência Digital :: 10/04/2012

Em comunicado ao mercado, a Associação Brasileira de Radiodifusores (ABRA) informa que entrou, nesta segunda-feira, 09/04, com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 4756), na qual solicita a impugnação de diversos artigos da nova lei do Serviço de Acesso Condicionado. O pedido de medida cautelar visa a supressão de certas regras inconstitucionais da Nova Lei do Serviço de Acesso Condicionado (Lei n.º 12.485/2011).

“Há graves violações aos princípios da livre concorrência, da livre iniciativa e da proporcionalidade na legislação devido às desmedidas restrições impostas pela Lei n.º 12.485/2011. Ela é uma tentativa frustrada de prever o comportamento de um mercado que já é altamente competitivo e regulamentado”, revela o advogado da ABRA, Dr. Marcelo Proença, do escritório Proença, Unes & Silveira.

Um dos questionamentos feitos pela ABRA diz respeito às vedações da legislação quanto a participações societárias cruzadas entre as empresas de telecomunicações de interesse coletivo e empresas de rádio e televisão, além de uma série de dispositivos relativos à produção de conteúdo e ao funcionamento da televisão aberta.

“Sem conhecer em detalhes o mercado e sem saber como se dará, o Congresso Nacional decidiu simplesmente vedar, em ampla medida, a participação societária e o controle recíproco dessas empresas, proscrevendo a formação de grupos específicos. Essa regulamentação deveria caber à orgãos como o CADE”, acrescenta Proença.

A ação questiona também a obrigação das empresas de radiodifusão de disponibilizarem gratuitamente o conteúdo produzido por elas ou adquirido onerosamente pelas mesmas, já que as prestadoras de serviços de acesso condicionado ficam autorizadas a cobrar de seus assinantes pela disponibilização dos canais de sinal aberto.

No comunicado, a ABRA destaque que "é inaceitável a determinação de que as empresas de radiodifusão de sons e imagens financiem a atividade das prestadoras de serviços de acesso condicionado, que poderão cobrar para oferecer o material disponibilizado gratuitamente pelas radiodifusoras". Segundo ainda a entidade, " outra ação alarmante prevista na lei 12.485/2011, é a necessidade de credenciamento prévio das empresas prestadoras dos serviços de programação e empacotamento perante à ANCINE. A ABRA entende que é uma violação às liberdades de manifestação do pensamento, de comunicação e expressão artística, imprensa e informação jornalística, como previsto na Constituição. “Revela-se inadmissível, em um Estado Democrático de Direito, que se atribua a um órgão governamental o credenciamento e a necessidade de aprovação pelas autoridades competentes”.

Outro questionamento se refere ao dispositivo da Lei 12.485/2011 que veda a renovação das outorgas para a prestação de TVA e MMDS via radiofrequência após o encerramento do prazo das licenças vigentes. Isso porque o Decreto nº 95.744 prevê o prazo de exploração do serviço de TVA e a possibilidade de sua renovação, motivo pelo qual se criou para as empresas do segmento uma legítima expectativa a propósito da renovação de suas outorgas. Para Proença, “fica muito clara a intenção do legislador de simplesmente inviabilizar as atividades destas entidades, coagindo-as a migrar imediatamente para a nova modalidade de serviço”.

Ao final, a ABRA diz 'esperar que o pedido de medida cautelar suspenda de forma imediata a vigência e eficácia das normas impugnadas, caso contrário os dispositivos impugnados tornarão excessivamente onerosa a atividade das prestadoras de serviços, além de estabelecer uma situação de extrema insegurança jurídica". A ação foi encaminhada ao Ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux e aguarda análise do pedido de consentimento de medida cautelar.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 


:: Leia também:

:: 17/12/2014 16:51
TV pirata: AZ Box teria 'apagado' sua atuação na América Latina

:: 05/12/2014 17:05
Embratel, NET e Claro respondem por 53,03% do mercado de TV paga

:: 02/10/2014 16:35
TV paga: Oi bate recorde e soma 1 milhão de clientes em setembro

:: 02/10/2014 12:15
Na disputa com as OTTs, TVs pagas ampliam consumo da TV Everywhere

:: 01/10/2014 12:05
TV por assinatura: Telefônica, com GVT, ainda fica longe das rivais Sky e Telmex

:: 29/09/2014 10:53
Anatel aprova transferência da Sky para AT&T

:: 26/09/2014 18:48
Acionistas aprovam venda da DirectTV, dona da Sky, para a AT&T

:: 17/09/2014 15:51
TV paga: 'Gatonet' causou prejuízo de R$ 1,8 bilhão

:: 12/09/2014 10:50
Justiça dos EUA investiga compra da DirectTV, dona da Sky, pela AT&T

:: 07/08/2014 09:36
TV paga: 'gatonet' provê sinal ilegal para 4,2 milhões de lares




Outras matérias desta seção:

ANTERIOR
Teles investiram R$ 21,7 bilhões em 2011

PRÓXIMA
Nos EUA, teles se unem contra roubo de celulares



VII Seminário TelComp 2014 - Cobertura especial do Convergência Digital
Banco Mundial: Empresas brasileiras estão atrasadas no uso das TICs

Instituição está fazendo um estudo global para avaliar o impacto da economia digital, que será conhecido no 2º semestre de 2015. Mas já dados coletados. Entre eles, um significativo: As mulheres são as grandes beneficiadas pelo maior uso das TICs
CDTV Banda larga: Teles erram e Anatel fala em controle de danos
CDTV TelComp: Precisamos criar uma nova GVT no Brasil
Clique aqui e veja a cobertura completa do evento


Calendário inviabiliza 4G em 700 MHz para Olimpíadas no Rio de Janeiro

O próprio desligamento dos sinais analógicos só vai se dar – se tudo correr muito bem – três meses depois dos Jogos Olímpicos. E resta a tarefa gigantesca de garantir que 93% dos domicílios da segunda maior cidade do país sejam capazes de receber os sinais da TV Digital.

» TIM quer ter o 4G em 700 MHz em serviço nas Olimpíadas 2016

Com contrato exclusivo com WhatsApp, TIM não fecha portas para outros OTTs

"Nós enxergamos nos OTTs uma maneira de ganhar mais acesso. Não estamos pagando para o WhatsApp, nem eles para nós", disse Rodrigo Abreu, presidente da TIM Brasil.


Uso dos postes: Anatel dá prazo às teles fixas para adaptação ao preço de R$ 3,19

Conforme o portal Convergência Digital antecipou, a Anatel aprovou, após um ano e meio de consulta pública, o regulamento de compartilhamento de postes de energia elétrica. Nova regra mexe especialmente com a Oi, Telefônica e Embratel.


Conselho da Oi aprova venda da PT por 7,4 bilhões de euros à francesa Altice

Decisão foi tomada na noite desta segunda-feira, 08/12, e comunicada à Comissão de Valores Mobiliários. Oi diz que negócio permitirá que a tele fique como protagonista na consolidação do mercado nacional.




Vivo começa a vender relógios inteligentes

Dispositivos rodam Android e são conectados aos smartphones por bluetooth.

» Governo recebe R$ 5 bi e diz que 700 MHz “saiu barato”


A TV está morrendo!
:: Por Eduardo Prado

Cobertura em vídeo do Convergência Digital

Veja as coberturas especiais do Convergência Digital



Veja edição 11 da Revista Abranet - Assossiação Brasileira de Internet REVISTA ABRANET . 11

Na discussão sobre o que vai prevalecer — fibra óptica ou rádio — na construção das infraestruturas, vence quem souber explorar o que cada tecnologia tem de melhor a oferecer.

Veja também: Cidades Digitais: Governo convoca provedores; A transição da IANA foi destaque no ICANN#51; Billing das coisas: quando cobrar certo será o diferencial; e muito mais.

Clique aqui para ver outras edições




Convergência Digital no Facebook Convergência Digital no Twitter RSS do Convergência Digital Newsletters do Convergência Digital
Copyright © 2014 Convergência Digital
Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.
Este Sítio Web é acessível via IPv6!