Cloud ComputingConvergência Digital
Siemens Enterprise e Go2neXt se unem por colaboração na nuvem

Convergência Digital - Hotsite Cloud Computing
:: Fabio Barros :: 10/04/2012

A Siemens Enterprise Communications e a Go2neXt, anunciaram nesta terça-feira, 10, a conclusão de uma parceria estratégica. A combinação da tecnologia Siemens Enterprise Communications com os serviços de “cloud angel” da Go2neXt levarão para o mercado uma solução de colaboração em nuvem. A parceria conta ainda com os serviços de telecomunicações da TESA para ofertas para condomínios empresariais.

Há pelo menos quatro anos, a Siemens Enterprise Communications, que desenvolveu o sistema OpenScape de comunicações unificadas, trabalha com o modelo CaaS (comunicação como serviço) oferecendo colaboração em nuvem. “Anunciamos recentemente na CeBIT a nova versão do OpenScape UC Server que eleva a escalabilidade a 500 mil usuários em um único sistema, além de oferecer novas facilidades de integração. Nossa arquitetura aberta permite o uso de qualquer dispositivo móvel, além da integração a sistemas ERPs e CRMs e redes sociais” explica José Furst, vice-presidente de marketing e soluções da Siemens Enterprise Communications para a América Latina.

O lançamento de novos modelos de negócios em parceria com integradores de soluções na nuvem marca o início de uma nova fase para a oferta de CaaS da Siemens Enterprise Communications no Brasil. “Com a parceira com a Go2neXt estamos inaugurando uma nova fase em nossa estratégia de cloud. Estamos seguros que a nossa tecnologia OpenScape encaixa-se perfeitamente na solução completa de computação em nuvem oferecida pela Go2neXt. Acreditamos que essa oferta integrada é o modelo que irá prevalecer no futuro pois é assim que os clientes preferem comprar soluções em tecnologia”, completa Furst.

Ainda sobre a nova fase, o executivo lembrou que ela marca o início de parcerias com provedores de produtos e serviços em nuvem. “A Siemens tem parcerias com distribuidores e revendas e agora inauguramos a fase de parcerias em nuvem”, disse. Furst lembrou que não há exclusividade na parceria anunciada, mas que também não há muitos parceiros no mercado com as características da Go2NeXt.

A Go2neXt, por seu lado, será a consultoria responsável por customizar, implementar, desenhar e gerenciar a solução de CaaS, além de disseminar cultura. “Há um alinhamento de visão entre a Go2neXt e a Siemens Enterprise Communications”, diz Paulo Pichini, CEO da Go2neXt. “Os dois times veem a oferta de uma solução completa de computação em nuvem como algo que alavanca os processos e os negócios das empresas usuárias, e não como mera substituição do ambiente de voz tradicional e da infraestrutura de ICT”. 

Segundo Pichini, o objetivo final das ofertas lançadas pela Siemens Enterprise Communications e pela Go2neXt é promover o aumento da eficiência e da produtividade dos usuários. “Trata-se de uma visão totalmente baseada em colaboração, computação em nuvem e consumerização da TI. Vamos criar um ambiente em que o usuário conseguirá, independentemente de sua posição geográfica ou do tipo de dispositivo de acesso que utiliza, ter acesso pleno e seguro às aplicações missão crítica da empresa”, diz Pichini.

Pichini e Furst ressaltam que a parceria chega ao mercado já com um case em andamento, com a TESA Telecom, que oferecerá as soluções de comunicação para condomínios comerciais. “A partir de agora, estamos integrando a tecnologia e os serviços providos pela Siemens Enterprise Communications e pela Go2neXt ao sistema TESA Cloud Building”, afirma Roberto Miranda, presidente da companhia.

O objetivo é agregar produtos e serviços de telecom ainda na fase de construção dos empreendimentos comerciais. Com isso, as construtoras passam a oferecer ao mercado espaços prontos para serem ocupados. Neste quadro, a infraestrutura de telecomunicações é vista como uma ferramenta colaborativa para o desenvolvimento das empresas que ocupam o condomínio. “Implantado em dezenas de prédios de São Paulo, o produto TESA Cloud Building agregava, até agora, todos os serviços relacionados à telefonia fixa, IP, 0800 IP, ramal virtual, softphone, collocation e completo acesso à internet, entre outros”, detalha Miranda.

Isso era feito da forma tradicional, on-premise. “Ao contratar os serviços da parceria Siemens Enterprise Communications/Go2neXt, nosso objetivo é otimizar o data center e a infraestrutura de telecom que já possuímos, ganhando velocidade e escalabilidade na oferta de serviços de comunicação e colaboração para as empresas que ocuparem os edifícios automatizados por nós”, conclui.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 

 Matérias relacionadas com o assunto Cloud Computing  

:: 29/07/2014 14:45
No Brasil, apenas 8% das empresas assumem ter serviços de cloud

:: 07/07/2014 13:43
Endereço dos dados será irrelevante

:: 01/07/2014 16:42
Brasil ainda tem muito espaço para novos data centers

:: 26/06/2014 12:33
Procuram-se arquitetos de dados no Brasil

:: 28/05/2014 10:13
Globalweb investe em centros de treinamento

:: 21/05/2014 10:30
Armazenamento é a aplicação mais procurada na nuvem brasileira

:: 12/05/2014 10:03
Big data dá fôlego ao IaaS

:: 28/04/2014 15:13
Justiça ordena que provedores repassem dados ao governo dos EUA

:: 09/04/2014 16:05
Brasil responderá por 3% do volume de dados mundial em 2014

:: 24/03/2014 12:10
Quando os dados em excesso viram um problema real

Soluções de TI Simples
Camisaria Colombo unifica comunicação com tablets

Uma das maiores redes de varejo de vestuário do Brasil reformulou sua plataforma de comunicação para os três mil colaboradores.

» Porta aberta à falha na Segurança
» CSO: pronto para assumir a culpa nas violações da segurança
» Não deixe a TI causar um estrago incalculável

Opinião
Como será a rede SDN na América Latina?
:: Por Hector Silva*

VídeosMais vídeos



Destaques

Para EMC Brasil, teles e bancos puxam a adoção do big data

O presidente da empresa, Carlos Cunha, diz que o mercado nacional amadureceu para o uso de serviços de computação na nuvem, mas precisa de apoio para implementar essas soluções. O desafio, agora, é formar os cientistas de dados.


Na guerra da nuvem, Microsoft ativa data center brasileiro

Unidade é a primeira da empresa na América Latina e está localizada em São Paulo. O centro de dados servirá para consolidar os negócios de IaaS da empresa no país e servirá ainda para atender clientes dos países da região.


Banco do Brasil admite que big data desafia a área de TI

Vice-presidente de tecnologia do Banco do Brasil, Geraldo Afonso Dezena da Silva, diz que o banco está usando o big data para entender o comportamento do seu correntista. Já sobre computação em nuvem, o banco é conservador: a nuvem privada é a escolha.


Big data: qual é a linha entre ser ou não ser ético?

Como fazer quando as empresas começam a saber mais de nós do que nós mesmos?


Falta conhecimento para extrair valor do big data

Questão é o desafio número 1 para boa parte dos gestores de TI no país.


Copyright © 2014 Convergência Digital            Todos os direitos reservados.            É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.