Home - Convergência Digital
RSS Assine gratuitamente as nossas newsletters Quem faz o Convergência Digital Fale conosco Anuncie aqui
Cloud Computing CD TV Carreira Blog Capital Digital



Home - Telecom

Nos EUA, teles se unem contra roubo de celulares

:: Da redação
:: Convergência Digital :: 10/04/2012

As maiores empresas de telefonia celular dos Estados Unidos fecharam um acordo com o governo para criar um banco de dados de celulares roubados — parte de uma iniciativa maior para conter a explosão de furtos dos aparelhos no país, revela reportagem do Wall Street Journal.

Segundo relatório da polícia, em 2011, a cidade de Nova York teve mais de 26 mil casos de furto de eletrônicos, sendo que 80% são de celulares, de acordo com relatório policial. O levantamento mostra que o roubo de celulares supera, inclusive, os de dinheiro vivo.

O banco de dados será construído e mantido pelas operadoras móveis. Ele será projetado para localizar celulares dados como perdidos ou roubados e bloquear seus serviços de voz e dados. A ideia é reduzir a criminalidade, tornando difícil ou impossível usar de fato um aparelho roubado, o que diminui também o seu valor de revenda.

As operadoras americanas Verizon Communications Inc. e Sprint Nextel Corp. já bloqueiam celulares que os donos afirmam ter perdido, impedindo que sejam reativados. A AT&T Inc. e a T-Mobile USA, filial da Deutsche Telekom AG, ainda não fazem isso. Todas quatro concordaram em integrar o novo banco de dados.
"Novas tecnologias criam novos riscos", disse Julius Genachowski, presidente da Comissão Federal das Comunicações (FCC, na sigla em inglês), a autoridade reguladora do setor, que negociou o projeto do banco de dados com as operadoras. "Queríamos encontrar uma maneira de reduzir o valor dos celulares roubados."

O roubo de celulares é um dos crimes que tem aumentado mais nos EUA, segundo a polícia. O acordo entre a FCC e as maiores operadoras de celular é resultado, em parte, da pressão de chefes de polícia frustrados. A Associação dos Chefes das Grandes Cidades, que congrega 70 chefes de polícia de grandes cidades dos EUA e do Canadá, publicou em fevereiro uma resolução solicitando que a FCC obrigasse as telefônicas a implementar novas tecnologias para desativar aparelhos roubados.

Por trás da alta nesse tipo de crime está o lucrativo mercado de celulares usados. Os ladrões podem vender os aparelhos roubados para lojas locais ou vendedores ambulantes — ou oferecer os aparelhos em sites como eBay.com, Amazon.com ou Craigslist.org, onde um iPhone usado, por exemplo, pode chegar a valer centenas de dólares.

Bancos de dados parecidos para celulares roubados já existem em países como Reino Unido, Alemanha, França e Austrália. O banco de dados do Reino Unido foi criado em 2002. O da Austrália em 2004. As iniciativas não impediram os crimes, mas o número de incidentes diminuiu.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 


:: Leia também:

:: 19/08/2014 18:23
M2M impulsiona negócios da Celistics com SIMCards no Brasil

:: 08/08/2014 16:06
Localização de celular sem ordem judicial avança na Câmara

:: 09/07/2014 12:33
Apple perde disputa por patente do Siri na China

:: 08/07/2014 11:40
Samsung desmente polícia e estima carga roubada em R$ 14 milhões

:: 07/07/2014 14:23
Samsung sofre assalto em Campinas. Perda é estimada em R$ 80 milhões

:: 03/07/2014 16:06
Exportações de celulares caem 68% em 2014

:: 03/04/2014 18:23
Agência avalia se ‘adequação’ de 40 mil antenas vale à pena

:: 21/03/2014 12:22
Nacionalização dos cartões de memória para celulares ganha novos prazos

:: 17/03/2014 10:20
Começa o cerco da Anatel aos celulares e tablets piratas

:: 25/02/2014 12:16
Brasil aperta o cerco aos ladrões de celulares e reforça combate ao spam




Outras matérias desta seção:

ANTERIOR
TV paga: Radiodifusores vão ao STF contra nova lei

PRÓXIMA
WiMAX agoniza com 4G batendo à porta




Veja a segunda edição da revista digital Alianza Latinoamericana de Medios TIC Alianza Latinoamericana
de Medios TIC . nº 2


Nesta segunda edição, tratamos de um tema que está na lista de prioridade dos gestores de TI: o BIG DATA

A Revista Alianza é fruto de uma aliança editorial entre os veículos InversorLatam, portal Convergência Digital e Evaluamos, da Colômbia. Nosso compromisso é retratar os pontos mais importantes de Telecom e TI na América Latina.

Clique aqui para ver outras edições

BTG Pactual bateu à porta da América Móvil para negociar compra da TIM
:: 09/09/2014 :: Telecom

O presidente da Claro, Carlos Zenteno, informou que o banco- contratado pela Oi para formalizar uma proposta pela TIM Brasil - sondou a possibilidade de o grupo entrar num possível consórcio.  O presidente da Telefônica Vivo, Antonio Carlos Valente, desconversou. "Nosso foco é a GVT".


Acionistas da PT decidem manter fusão com a Oi
:: 08/09/2014 :: Telecom

Pelos novos termos aprovados, a  Portugal Telecom terá 25,6% da CorpCo e seis anos para tentar recuperar a diferença dos 38% inicialmente previstos. Representantes da Oi estiveram na reunião, mas não votaram.


Venda da TIM Brasil não sairá por menos de R$ 30 bilhões
:: 03/09/2014 :: Telecom

Somente com esse montante - que representa 10 vezes o valor atual de mercado da operadora brasileira - a Telecom Italia poderia cogitar pensar na venda do ativo, disse o investidor Marco Fossati.


Telefônica não vê “maiores dificuldades” para comprar a GVT
:: 02/09/2014 :: Telecom

Empresas não competem entre si e haveria sinergia em apenas uma cidade do interior de São Paulo.




Brasil bate recorde na venda de smartphones no 2º tri

País vendeu 17,9 milhões de celulares, sendo 75% smartphones, com preço médio de R$ 700,00.

» TIM usa 900 MHz para reforçar 3G em São Paulo


A TV está morrendo!
:: Por Eduardo Prado

Cobertura em vídeo do Convergência Digital

Veja as coberturas especiais do Convergência Digital







Convergência Digital no Facebook Convergência Digital no Twitter RSS do Convergência Digital Newsletters do Convergência Digital
Copyright © 2014 Convergência Digital
Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.
Este Sítio Web é acessível via IPv6!