Home - Convergência Digital
RSS Assine gratuitamente as nossas newsletters Quem faz o Convergência Digital Fale conosco Anuncie aqui
Cloud Computing CD TV Carreira Blog Capital Digital



Home - Telecom

Nos EUA, teles se unem contra roubo de celulares

:: Da redação
:: Convergência Digital :: 10/04/2012

As maiores empresas de telefonia celular dos Estados Unidos fecharam um acordo com o governo para criar um banco de dados de celulares roubados — parte de uma iniciativa maior para conter a explosão de furtos dos aparelhos no país, revela reportagem do Wall Street Journal.

Segundo relatório da polícia, em 2011, a cidade de Nova York teve mais de 26 mil casos de furto de eletrônicos, sendo que 80% são de celulares, de acordo com relatório policial. O levantamento mostra que o roubo de celulares supera, inclusive, os de dinheiro vivo.

O banco de dados será construído e mantido pelas operadoras móveis. Ele será projetado para localizar celulares dados como perdidos ou roubados e bloquear seus serviços de voz e dados. A ideia é reduzir a criminalidade, tornando difícil ou impossível usar de fato um aparelho roubado, o que diminui também o seu valor de revenda.

As operadoras americanas Verizon Communications Inc. e Sprint Nextel Corp. já bloqueiam celulares que os donos afirmam ter perdido, impedindo que sejam reativados. A AT&T Inc. e a T-Mobile USA, filial da Deutsche Telekom AG, ainda não fazem isso. Todas quatro concordaram em integrar o novo banco de dados.
"Novas tecnologias criam novos riscos", disse Julius Genachowski, presidente da Comissão Federal das Comunicações (FCC, na sigla em inglês), a autoridade reguladora do setor, que negociou o projeto do banco de dados com as operadoras. "Queríamos encontrar uma maneira de reduzir o valor dos celulares roubados."

O roubo de celulares é um dos crimes que tem aumentado mais nos EUA, segundo a polícia. O acordo entre a FCC e as maiores operadoras de celular é resultado, em parte, da pressão de chefes de polícia frustrados. A Associação dos Chefes das Grandes Cidades, que congrega 70 chefes de polícia de grandes cidades dos EUA e do Canadá, publicou em fevereiro uma resolução solicitando que a FCC obrigasse as telefônicas a implementar novas tecnologias para desativar aparelhos roubados.

Por trás da alta nesse tipo de crime está o lucrativo mercado de celulares usados. Os ladrões podem vender os aparelhos roubados para lojas locais ou vendedores ambulantes — ou oferecer os aparelhos em sites como eBay.com, Amazon.com ou Craigslist.org, onde um iPhone usado, por exemplo, pode chegar a valer centenas de dólares.

Bancos de dados parecidos para celulares roubados já existem em países como Reino Unido, Alemanha, França e Austrália. O banco de dados do Reino Unido foi criado em 2002. O da Austrália em 2004. As iniciativas não impediram os crimes, mas o número de incidentes diminuiu.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 


:: Leia também:

:: 24/11/2014 12:05
Para UIT, Brasil ainda tem tarifa celular mais cara do mundo

:: 14/11/2014 12:57
Anatel: País tem mais de 278 milhões de linhas ativas de celular

:: 03/11/2014 16:33
TVs e celulares são os astros das vendas de Natal

:: 23/10/2014 17:00
Exportação de celulares cai 75% de janeiro a setembro

:: 13/10/2014 09:33
Telecom cresce menos em 2014 com retração do consumidor

:: 08/10/2014 13:21
Teles contestam UIT e dizem que celular no Brasil é barato

:: 19/08/2014 18:23
M2M impulsiona negócios da Celistics com SIMCards no Brasil

:: 08/08/2014 16:06
Localização de celular sem ordem judicial avança na Câmara

:: 09/07/2014 12:33
Apple perde disputa por patente do Siri na China

:: 08/07/2014 11:40
Samsung desmente polícia e estima carga roubada em R$ 14 milhões




Outras matérias desta seção:

ANTERIOR
TV paga: Radiodifusores vão ao STF contra nova lei

PRÓXIMA
WiMAX agoniza com 4G batendo à porta



Veja edição 11 da Revista Abranet - Assossiação Brasileira de Internet REVISTA ABRANET . 11

Na discussão sobre o que vai prevalecer — fibra óptica ou rádio — na construção das infraestruturas, vence quem souber explorar o que cada tecnologia tem de melhor a oferecer.

Veja também: Cidades Digitais: Governo convoca provedores; A transição da IANA foi destaque no ICANN#51; Billing das coisas: quando cobrar certo será o diferencial; e muito mais.

Clique aqui para ver outras edições

58 Painel Telebrasil 2014
Por um Brasil Digital, teles pedem adoção de medidas urgentes

O Brasil pode chegar em 2018 entre as 30 economias mais competitivas do mundo, mas para isso precisa implantar uma série de ações num curto prazo de tempo, pontua estudo da LCA Consultores.

CDTV Anatel e teles debatem 'mão pesada' na regulação do setor
CDTV "Estamos na idade de pedra no uso de aplicativos", diz o presidente da Vivo
CDTV Indústria de aplicativos vira alvo da política de TICs da Colômbia
Clique aqui e veja a cobertura completa do evento


Anatel quer menos orelhões do que antes da privatização do setor
:: 26/11/2014 :: Telecom

Segundo a Icatel, que chegou a ser a maior empresa mundial de telefones públicos, agência se vale de dados distorcidos para sustentar nova redução na planta. Corte da agência levará número de aparelhos para 302 mil - menos que os 366 mil existentes em 1995, ainda sob o sistema Telebrás.


Teles investirão US$ 193 bi e respondem por 4,5% do PIB na AL
:: 25/11/2014 :: Telecom

Crescimento projetado para o tráfego de dados móveis na região é de 66% até 2018. Redes 4G vão dominar os recursos em infraestruturas. Mas teles terão de fazer um dever de caso: a receita vai enxugar dos 7% registrados nos últimos cinco anos, para 2%, até 2020.


Para UIT, Brasil ainda tem tarifa celular mais cara do mundo
:: 24/11/2014 :: Telecom

Nas contas da agência da ONU, o preço cobrado na telefonia móvel no país segue no topo do ranking com 166 países.Em outubro, o SindiTelebrasil, antecipando-se, contestou a metodologia usada pela UIT. para definir esse custo."Eles usam o valor máximo da Anatel", disse o diretor executivo do SindiTelebrasil, Eduardo Levy.

» Anatel diz que preço médio do minuto de celular é de R$ 0,16

Teles prometem que Lei das Antenas vai “melhorar muito a qualidade do celular”
:: 21/11/2014 :: Telecom

Mesmo com mudança no dispositivo que garantia o licenciamento de infraestrutura por decurso de prazo, sindicato nacional das operadoras garante que os ganhos com a redução na burocracia serão sentidos pelos consumidores. “Não é o ideal, mas é um avanço", afirma Eduardo Levy. 




Redes 2G respondem por 60% das conexões móveis na América Latina

O 4G fica com 1% das conexões de banda larga móvel na região em 2014, revela estudo da GSMA.

» Consumo de dados crescerá 128% e pulará para 6,1 bilhões em 2020


A TV está morrendo!
:: Por Eduardo Prado

Cobertura em vídeo do Convergência Digital

Veja as coberturas especiais do Convergência Digital






Convergência Digital no Facebook Convergência Digital no Twitter RSS do Convergência Digital Newsletters do Convergência Digital
Copyright © 2014 Convergência Digital
Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.
Este Sítio Web é acessível via IPv6!