Home - Convergência Digital
RSS Assine gratuitamente as nossas newsletters Quem faz o Convergência Digital Fale conosco Anuncie aqui
Cloud Computing CD TV Carreira Blog Capital Digital



Home - Telecom

Nos EUA, teles se unem contra roubo de celulares

:: Da redação
:: Convergência Digital :: 10/04/2012

As maiores empresas de telefonia celular dos Estados Unidos fecharam um acordo com o governo para criar um banco de dados de celulares roubados — parte de uma iniciativa maior para conter a explosão de furtos dos aparelhos no país, revela reportagem do Wall Street Journal.

Segundo relatório da polícia, em 2011, a cidade de Nova York teve mais de 26 mil casos de furto de eletrônicos, sendo que 80% são de celulares, de acordo com relatório policial. O levantamento mostra que o roubo de celulares supera, inclusive, os de dinheiro vivo.

O banco de dados será construído e mantido pelas operadoras móveis. Ele será projetado para localizar celulares dados como perdidos ou roubados e bloquear seus serviços de voz e dados. A ideia é reduzir a criminalidade, tornando difícil ou impossível usar de fato um aparelho roubado, o que diminui também o seu valor de revenda.

As operadoras americanas Verizon Communications Inc. e Sprint Nextel Corp. já bloqueiam celulares que os donos afirmam ter perdido, impedindo que sejam reativados. A AT&T Inc. e a T-Mobile USA, filial da Deutsche Telekom AG, ainda não fazem isso. Todas quatro concordaram em integrar o novo banco de dados.
"Novas tecnologias criam novos riscos", disse Julius Genachowski, presidente da Comissão Federal das Comunicações (FCC, na sigla em inglês), a autoridade reguladora do setor, que negociou o projeto do banco de dados com as operadoras. "Queríamos encontrar uma maneira de reduzir o valor dos celulares roubados."

O roubo de celulares é um dos crimes que tem aumentado mais nos EUA, segundo a polícia. O acordo entre a FCC e as maiores operadoras de celular é resultado, em parte, da pressão de chefes de polícia frustrados. A Associação dos Chefes das Grandes Cidades, que congrega 70 chefes de polícia de grandes cidades dos EUA e do Canadá, publicou em fevereiro uma resolução solicitando que a FCC obrigasse as telefônicas a implementar novas tecnologias para desativar aparelhos roubados.

Por trás da alta nesse tipo de crime está o lucrativo mercado de celulares usados. Os ladrões podem vender os aparelhos roubados para lojas locais ou vendedores ambulantes — ou oferecer os aparelhos em sites como eBay.com, Amazon.com ou Craigslist.org, onde um iPhone usado, por exemplo, pode chegar a valer centenas de dólares.

Bancos de dados parecidos para celulares roubados já existem em países como Reino Unido, Alemanha, França e Austrália. O banco de dados do Reino Unido foi criado em 2002. O da Austrália em 2004. As iniciativas não impediram os crimes, mas o número de incidentes diminuiu.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 


:: Leia também:

:: 19/08/2014 18:23
M2M impulsiona negócios da Celistics com SIMCards no Brasil

:: 08/08/2014 16:06
Localização de celular sem ordem judicial avança na Câmara

:: 09/07/2014 12:33
Apple perde disputa por patente do Siri na China

:: 08/07/2014 11:40
Samsung desmente polícia e estima carga roubada em R$ 14 milhões

:: 07/07/2014 14:23
Samsung sofre assalto em Campinas. Perda é estimada em R$ 80 milhões

:: 03/07/2014 16:06
Exportações de celulares caem 68% em 2014

:: 03/04/2014 18:23
Agência avalia se ‘adequação’ de 40 mil antenas vale à pena

:: 21/03/2014 12:22
Nacionalização dos cartões de memória para celulares ganha novos prazos

:: 17/03/2014 10:20
Começa o cerco da Anatel aos celulares e tablets piratas

:: 25/02/2014 12:16
Brasil aperta o cerco aos ladrões de celulares e reforça combate ao spam




Outras matérias desta seção:

ANTERIOR
TV paga: Radiodifusores vão ao STF contra nova lei

PRÓXIMA
WiMAX agoniza com 4G batendo à porta



Rio Cidade Inteligente + Rio Wireless 2014
Anatel quer ampliar compartilhamento e ‘uso industrial’ de espectro

“Há um grande desafio de expansão das redes e isso exige índice mais alto de eficiência espectral. Queremos abordagens mais simples”, sustenta o conselheiro Rodrigo Zerbone.

» Novo Hamburgo investe R$ 1,4 milhão em TICs para saúde
» Rio de Janeiro atento ao legado olímpico
» 700 MHz: Leilão não obriga ninguém a implantar rede
» Teles projetam quadruplicar número de ERBs para atender novas demandas
Clique aqui para ver a cobertura completa


Compra da GVT deve ter análise restrita à competição
:: 28/08/2014 :: Telecom

Como lembra o presidente da Anatel, João Rezende, cabe à agência avaliar os aspectos regulatórios do negócio, mas “a GVT não tem espectro”. Na prática, provável compra da empresa só esbarra no poder de mercado que a o Telefônica detém em São Paulo.


Leilão pela GVT chega aos R$ 22,35 bilhões
:: 28/08/2014 :: Telecom

Depois de a Telecom Italia oficializar uma proposta de R$ 21 bilhões pelo controle da GVT, ou 7 bilhões de euros, a Telefonica fez um novo lance e apresentou uma oferta de 7,45 bilhões de euros, o que significa um aporte de mais 750 milhões de euros.


Oi, ao mirar a TIM, obriga Telefônica e Telecom Italia a gastar mais com a GVT
:: 27/08/2014 :: Telecom

Analistas acreditam que a proposta da Oi pela TIM Brasil é 'um blefe' para acirrar a briga da Telecom Italia e da Telefônica pelo controle da GVT. Especialistas também dizem que o próprio governo pode não gostar dessa mobilização pré-leilão 4G.


TV digital: Forum SBTVD diz que 1/3 dos paulistanos ainda tem TVs com tubos
:: 25/08/2014 :: Telecom

A digitalização da TV ainda está muito distante da realidade da maior parte dos 6 milhões de lares da cidade de São Paulo.




4G cresce 400 mil novas linhas por mês

Tecnologia chega a 3,6 milhões de acessos enquanto, pela primeira vez, as linhas 2G representam menos da metade do total.

» Minicom distribui R$ 4,5 milhões em concurso de apps


A TV está morrendo!
:: Por Eduardo Prado

Cobertura em vídeo do Convergência Digital

Veja as coberturas especiais do Convergência Digital



Veja a primeira edição da revista digital Alianza Latinoamericana de Medios TIC Alianza Latinoamericana
de Medios TIC


A Revista Alianza é fruto de uma aliança editorial entre os veículos InversorLatam, portal Convergência Digital e Evaluamos, da Colômbia. Nosso compromisso é retratar os pontos mais importantes de Telecom e TI na América Latina. Nessa primeira edição, tratamos de um tema que está na lista de prioridade: a governança da Internet. Boa leitura!

Clique aqui para ver todas as edições





Convergência Digital no Facebook Convergência Digital no Twitter RSS do Convergência Digital Newsletters do Convergência Digital
Copyright © 2014 Convergência Digital
Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.
Este Sítio Web é acessível via IPv6!