TELECOM

WiMAX agoniza com 4G batendo à porta

Ana Paula Lobo* ... 10/04/2012 ... Convergência Digital

Apesar de em 2011 ter registrado um crescimento de 14% na base de assinantes - chegando a 25 milhões, as operadoras relegaram o WiMAX a um segundo plano nos seus negócios e estão restringindo a adição de novos consumidores, selando assim o destino da tecnologia, destaca a analista Cintia Garza, da Maravedis. Muitas teles jogam a toalha, abandonam seus projetos e preveem migração para o LTE. E nesse jogo, a América Latina é a grande força para o 4G em 2012, sustenta ainda a consultoria.

Isso porque, explica Cintia Garza, Colômbia, Chile, México e Brasil mantém o propósito de fazer a venda de espectro e, caso esses editais se concretizem, novas redes serão construídas na região. A previsão da Maravadis é que o LTE somou 12 milhões de assinantes em 2011 e passará a 469 milhões, em 2016, o que significará um impulso significativo de 4500% na base de usuários.

Segundo ainda a consultoria, hoje, 224 operadoras móveis estão comprometidas com redes LTE mundialmente, sendo que destas 193 estão com FDD-LTE e 31 operadoras com TD-LTE. Neste ritmo, inclusive, 75% dos 469 milhões de assinantes previstos para 2016 serão usuários do FDD-LTE ( 350 milhões). Na América Latina, cinco redes comerciais de LTE foram anunciadas - UNE (Colômbia), Antel (Uruguai), Sky (Brasil), One Mobile (Porto Rico) e Claro (Porto Rico e outros países da região).

Enquanto o LTE cresce e aparece, o WiMAX agoniza. Fabricantes como Nokia Siemens e Motorola jogaram a toalha e abandonaram os negócios na área. Segundo a Maravids, o ano de 2011 foi trágico - quase uma sentença de morte - para a tecnologia. O ritmo de crescimento de usuários - de 25% a 30% mantido nos últimos anos, caiu drasticamente, ficando em apenas 14%.

Para Cintia Garza, analista da consultoria, o WiMAX, hoje, é tão somente uma opção para o provimento de serviços fixos por parte das teles, como forma de ampliar a capacidade dos backbones para sustentar a oferta de banda larga, deixando de ser um 'rival' para o LTE no mundo da quarta geração da telefonia móvel celular.

*Com informações da Maravadis


Matérias relacionadas
Telecom ... 10/04/2012 ... 08:00
WiMAX agoniza com 4G batendo à porta

Acompanhe a Cobertura Especial ABTA 2015 na seção Telecom

TV paga: Netflix é só um 'cabrito na sala'. Há outros 'bodes' que incomodam mais

"Se a TV paga morrer, os OTTs morrem abraçados". Essa foi a posição defendida por especialistas durante a ABTA. Executivos da TV paga admitem que a Netflix obrigou mudanças no relacionamento com o cliente. Cobrança do sinal da TV aberta incomoda e é pouco comentada.

Veja mais da cobertura especial da ABTA 2015

Vivo cria apps para ser uma OTT e aumentar market share no pré e no pós-pago

Com aplicativos que permitem a interatividade e prometem prêmios em dinheiro, a tele quer sair na frente dos rivais. "Queremos, sim, atrair clientes de outras operadoras para a nossa base", disse o Chief Revenue Officer, Chistian Gebara.

Comissão aprova projeto que obriga Anatel a direcionar TACs para áreas pobres

PL 6791/13 insere na Lei Geral de Telecomunicações a possibilidade de troca de multas por investimentos, mas exige preferência às áreas de baixo Índice de Desenvolvimento Humano.

Na relação com o consumidor, setor de Telecom não pode brigar com a inovação

A superintendente de relação com o consumidor da Anatel, Elisa Leonel, disse que as teles não podem virar os 'taxistas da vez', citando o embate dessa categoria com o aplicativo. A executiva, que participou do 59º Painel Telebrasil, questionou ainda o pouco uso do big data como ferramenta de aproximação com o usuário.

Teles reclamam do pouco efeito prático da Lei das Antenas

“Ainda levamos de seis meses a um ano em algumas localidades para obter uma licença”, lamentou durante o Painel Telebrasil 2015 a diretora jurídica da Associação Brasileira para Infraestrutura para Telecomunicações, Anna Lucia de Souza.


Veja edição 13 da Revista Abranet - Assossiação Brasileira de Internet REVISTA ABRANET . 13

Em ritmo acelerado


Pesquisa inédita encomendada pela Abranet ao Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação mostrou a relevância do segmento de Internet, cujas empresas faturaram R$ 144,7 bilhões em 2014. No período de 2012 a 2014, foram gerados 51.180 novos postos de trabalho, um incremento de 17,5%.

Clique aqui para ver outras edições

  • Copyright © 2005-2015 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G