INOVAÇÃO

Governo institui sistema para integrar pesquisas com nanotecnologia

Da redação ... 09/04/2012 ... Convergência Digital

Para aumentar a interação entre os pesquisadores brasileiros que desenvolvem pesquisa básica e avançada com matérias de tamanho atômico, o governo criou o Sistema Nacional de Laboratórios em Nanotecnologias (SisNANO). Portaria do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) publicada nesta segunda-feira, 09/04, no Diário Oficial da União, institui o novo sistema.

A nanotecnologia é considerada uma área estratégica para o desenvolvimento industrial e para o fornecimento de soluções que vão desde a produção de medicamentos até vestuários. O mercado internacional de nanotecnologia deverá atingir US$ 693 bilhões até o final deste ano e US$ 2,95 trilhões em 2015 (dado da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial).

A portaria associa o desenvolvimento da nanotecnologia ao Plano Brasil Maior criado pelo governo federal para aumentar o peso da atividade industrial no Produto Interno Bruto.

De acordo com o documento, o SisNANO deve “estruturar a governabilidade” para as nanotecnologias; desenvolver um programa de mobilização de empresas instaladas no Brasil e de apoio às suas atividades; e otimizar a infraestrutura de pesquisa de 16 institutos nacionais de ciência e tecnologia (INCTs) dedicados a estudos na área. A maior parte dos estudos está concentrada em São Paulo, especialmente na Universidade de São Paulo (USP).


Professores buscam financiamento para aulas de código com robôs em escolas

Projeto é inspirado no americano Hora do Código. Tentativa é angaria R$ 100 mil via crowdfunding.

Com serviços caros e ultrapassados, bancos estão fadados ao fracasso

O alerta foi feito por Chris Skinner, uma das personalidades mais influentes no setor financeiro mundial, durante o CIAB 2015, em São Paulo. "O modelo atual não funciona mais. É hora de repensar. As empresas digitais chegaram", sustentou.

BNDES conduz PPP de troca de 620 mil lâmpadas na cidade de São Paulo

Banco priorizará conteúdo local e quer estimular parcerias entre fabricantes de luminárias e empresas de semicondutores.

Utilities se unem para testar smart grid no Paraná

Para a Copel, distribuidora de energia do Estado, as redes móveis não são a melhor opção para a transmissão de dados, uma vez que há problemas de disponibilidade, de latência e queda de links.

Inovação no Brasil agoniza com 'burrocracia' na concessão de patentes

Brasil não consegue avançar na reestruturação da área e um pedido leva, em média, 11 anos para ser concedido. No mundo, esse prazo é de, no máximo, três anos. Maior parte das empresas busca, então, os Estados Unidos.

Hardware será protagonista na Internet das coisas

Diretor de Internet das Coisas da Intel Brasil, Max Leite, diz que país é prioridade, mas precisa ser mais veloz nas ações de fomento para garantir os investimentos.

Lares inteligentes: Teles entram na briga por um mercado estimado em US$ 3 bi em 2020

O gerente de Novos Negócios da Oi, Leonardo Gadelha, diz que startups são parceiras nesse novo segmento. "Internet das Coisas é a tecnologia da próxima decáda", sustenta.



  • Copyright © 2005-2015 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G