Home - Convergência Digital

De olho em LTE no 450 MHz, Anatel deve adiar início da cobertura

Convergência Digital - Carreira
:: Luís Osvaldo Grossmann e Luiz Queiroz - 09/04/2012

Na próxima quinta-feira, 12/4, a Anatel pretende aprovar o texto definitivo do edital das faixas de 450 MHz e 25 GHz, a ser realizado antes do fim de maio. E embora a essência da proposta enviada à consulta pública permaneça, alguns prazos para o cumprimento de obrigações serão ampliados, além de da previsão de operações regionais com as frequências.

“As metas com certeza existirão. O que estamos avaliando é algum nível de flexibilização. As Copas, das Confederações e do Mundo, têm data para acontecer, então os prazos das cidades-sedes têm que ser mantidos. Mas cabem ajustes, inclusive nas obrigações das áreas rurais”, explica o relator do edital, Marcelo Bechara.

Uma das possibilidades é a definição de um degrau intermediário nas metas relacionadas à 4G. Por enquanto, até o fim de 2015 as cidades com mais de 100 mil habitantes devem estar cobertas, mas essa etapa deve ser adiada com a inclusão, antes, da cobertura em cidades com mais de 200 mil habitantes.

Esse degrau intermediário já foi objeto de discussões mesmo com outros conselheiros, mas o relator quer modificar, ainda, alguns prazos relativos às obrigações da área rural, atreladas, portanto, à faixa de 450 MHz. “Hoje só temos 450 MHz em CDMA, mas com o desenvolvimento do CPqD, ela vai ser otimizada”, diz o relator.

A ideia, assim, é sinalizar ao mercado um tempo um pouco maior para o início das implantações, de sorte que até lá mature o protótipo que o CPqD desenvolve para o uso de equipamentos de quarta geração – LTE – na faixa de 450 MHz, o que garantiria velocidades muito mais altas das que estão sendo obtidas hoje nos testes na frequência.

Há limites para isso, no entanto. O Decreto presidencial com as metas de universalização (7512/2011), fixa para dezembro de 2015 o prazo para que o acesso individual esteja acessível na área rural a até 30 km das sedes municipais. Ou seja, nessa data todos os clientes da região mencionada deverão ver atendidos seus pedidos de instalação de linhas.

Saiba mais sobre como a Anatel vislumbra o 4G no 450MHz, na entrevista concedida pelo conselheiro Marcelo Bechara à CDTV, do Convergência Digital.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 

LEIA TAMBÉM:

28/10/2014
Claro prevê investir R$ 6,3 bilhões nos próximos dois anos

27/10/2014
4G chega a 4,2 milhões de acessos

21/10/2014
Recarga de dados é estratégica no plano da Oi

21/10/2014
Qualcomm: equacionar o custo por bit é o desafio da mobilidade

14/10/2014
Big data faz TIM reestruturar infraestrutura de rede

09/10/2014
Compartilhamento: Anatel cobra licenciamento duplo de Oi e Tim

02/10/2014
Anatel não tem pressa para vender fatia que sobrou em 700 MHz

01/10/2014
Minicom aposta que 4G será o serviço predominante até 2018

01/10/2014
Paulo Bernardo: desistência da Oi foi ruim para todo mundo

30/09/2014
Leilão 4G: Sem apetite, teles deixam brecha para a Oi

Destaques
Destaques

4G chega a 4,2 milhões de acessos

A migração do 3G para o 4G é, de fato, uma tendência no Brasil. Segundo dados do portal Teleco, em agosto, o país fechou com 141,9 milhões de acessos banda larga móvel, sendo 131,1 milhões de aparelhos 3G.

Compartilhamento: Anatel cobra licenciamento duplo de Oi e Tim

Empresas firmaram acerto para compartilhar antenas 4G, mas a agência sustenta que apesar das ERBs representarem um único conjunto de equipamentos a serem licenciados, o uso de radiofrequências distintas implica que o pagamento do Fistel deve ser feito por ambas as operadoras.

» Anatel espera Lei das Antenas para decidir sobre compartilhamento de torres

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Internet das Coisas: O charme dos sensores

:: Por Eduardo Prado *


Copyright © 2014 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site