Home - Convergência Digital
RSS Assine gratuitamente as nossas newsletters Quem faz o Convergência Digital Fale conosco Anuncie aqui
Cloud Computing CD TV Carreira Blog Capital Digital



Home - Segurança

Rio adere ao programa Cidade Livre de Pirataria do Ministério da Justiça

:: Da redação
:: Convergência Digital :: 04/04/2012

A prefeitura do Rio de Janeiro assinou nesta quarta-feira, 04/04, a adesão ao programa Cidade Livre de Pirataria do Ministério da Justiça, comprometendo-se, assim, a adotar medidas para reprimir a venda de produtos piratas.

O programa foi criado em 2010 como uma das formas de preparação para a Copa de 2014 e conta também com a parceria de cidades como Belo Horizonte, São Paulo, Osasco e Curitiba e do governo do Distrito Federal.

A parceria inclui um curso de capacitação desenvolvido pelo Conselho Nacional de Combate à Pirataria (CNCP) do Ministério da Justiça, com técnicas de identificação de produtos falsificados, experiências e modelos para a promoção da educação para o consumo. A data do curso ainda não foi definida.

O presidente do conselho, Paulo Abrão, informou que a iniciativa vai ajudar os governos federal, estadual e municipal a atuarem em conjunto no combate à origem do problema, bem como conscientizar os cidadãos de que a pirataria prejudica toda a população, não apenas o setor privado.

"Combater a pirataria significa defender o interesse da sociedade como um todo, o setor público, que gasta muito com um aparato estatal para combater esse tipo de atividade criminosa, defender os direitos do consumidor que são constantemente violados por essa prática”, disse.

De acordo com Abrão, o maior desafio na luta contra a pirataria é criar alternativas econômicas para que os produtos hoje ofertados cheguem a um preço mais condizente com a realidade brasileira. “Isso deve envolver uma compactuação com os setores produtivos e com o setor estatal. Estamos desenvolvendo ações nesse sentido, mas, sem dúvida, esse é nosso principal desafio”.

O secretário municipal da Ordem Pública, Alexander Vieira da Costa, informou que a prefeitura já atua no combate a produtos sem procedência e que apreendeu cerca de 500 mil mídias piratas entre 2009 e 2012.

“O que a gente deseja com esse convênio é qualificar nosso agente para que ele trabalhe melhor nas ruas. Temos uma lei que possibilita a existência de 18.400 vendedores ambulantes. Mesmo legalizado, o camelô que vende produto pirata tem a mercadoria confiscada e pode até perder a licença. Essa capacitação vai trazer mais transparência e qualidade ao trabalho dos guardas”.

Cerca de 2.270 guardas atuam nas ruas da capital fluminense diariamente e a previsão é que até o fim do ano esse número chegue a 3 mil. Os locais com maior concentração de produtos piratas são o centro e zona sul, onde há maior circulação de consumidores. O bairro de Campo Grande, na zona oeste, é, no entanto, a região onde a fiscalização é mais prejudicada devido à presença de milícias, ou grupos armados, que lideram a venda de produtos pirateados e de serviços ilegais.

“O prefeito nos deu carta branca para atuarmos com o apoio das polícias Civil, Militar e Federal em Campo Grande [no bairro] e, em julho, devemos inaugurar uma Unidade de Ordem Pública [UOP] no bairro”, informou o inspetor-geral da Guarda Municipal, coronel Henrique Lima de Castro Saraiva, referindo-se às unidades implementadas em bairros da cidade para orientar e informar a população, além de prevenir e reprimir ações que atentem contra os bens, serviços e interesses do município.

Fonte: Agência Brasil

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 


:: Leia também:

:: 17/09/2014 15:51
TV paga: 'Gatonet' causou prejuízo de R$ 1,8 bilhão

:: 21/07/2014 12:36
ABES remove mais de 28 mil conteúdos ilegais da internet no 1º semestre

:: 01/07/2014 15:55
Argentina bloqueia Pirate Bay, mas leva troco imediato

:: 28/03/2014 14:36
Provedores Internet vão responder por download “ilegal” na Europa

:: 24/03/2014 16:32
Xing ling não é coisa só de pobre

:: 19/03/2014 17:40
Empresas brasileiras vão gastar R$ 10 bilhões por danos com software pirata

:: 26/11/2013 13:28
Pirataria: Mais de 5 mil links com conteúdo ilegal são removidos no Brasil

:: 30/10/2013 11:20
STJ sustenta que pirataria é crime no Brasil

:: 19/09/2013 08:50
Empresas de software contestam valores fixados para CERTICS

:: 11/09/2013 12:33
Combate à pirataria na Web não pode violar direito à informação




Outras matérias desta seção:

ANTERIOR
TI reforça segurança e hackers avançam nas redes sociais

PRÓXIMA
Cybercrime: Empresas brasileiras são reativas e falham na prevenção ao risco




Heartbleed não está dominado e pode chegar aos conversores de TV a cabo
:: 18/11/2014 :: Segurança

"A gestão dos ativos de Telecom cabem às provedoras de serviços. Os modems são vulneráveis e precisam ser testados", adverte Emanuel Almeida, responsável pela Codenomicon na América Latina. Pelo menos 300 mil servidores seguem infectados pelo Heartbleed. Empresa quer atuar na Segurança Cibernética no Brasil.


Avast: maior parte das redes Wi-Fi no Brasil não têm segurança
:: 13/11/2014 :: Segurança

Estudo mostra que a grande maioria dos usuários mantém senha padrão dos roteadores para acessar as configurações básicas da rede. Dispositivos móveis são o grande calcanhar de aquiles da segurança para 2015, revela o CEO da companhia, Vince Steckler.


Brasileiro ignora ameaça dos hackers e aponta 'exagero' da indústria
:: 10/11/2014 :: Segurança

Mais de 70% dos brasileiros são céticos quanto ao verdadeiro imapcto dos ataques cibernéticos. Segundo estudo, a maior parte não se considera um alvo efetivo dos cibercriminosos e relevam a segurança dos dispositivos.


Defesa determina “imediata ativação” de Comando e escola de Defesa Cibernética
:: 29/10/2014 :: Segurança

Anunciadas ainda em 2012 e, supostamente aceleradas a partir das denúncias do ex-espião Edward Snowden, as duas estruturas estão em portaria do Ministério da Defesa publicada no Diário Oficial. Carência de recursos, no entanto, parece continuar.



FBI não gostou do iPhone 6: ele dificulta os serviços de espionagem
:: Por Wilians Geminiano*

Cobertura em vídeo do Convergência Digital

Veja as coberturas especiais do Convergência Digital



Veja a segunda edição da revista digital Alianza Latinoamericana de Medios TIC Alianza Latinoamericana
de Medios TIC . nº 2


Nesta segunda edição, tratamos de um tema que está na lista de prioridade dos gestores de TI: o BIG DATA

A Revista Alianza é fruto de uma aliança editorial entre os veículos InversorLatam, portal Convergência Digital e Evaluamos, da Colômbia. Nosso compromisso é retratar os pontos mais importantes de Telecom e TI na América Latina.

Clique aqui para ver outras edições




Convergência Digital no Facebook Convergência Digital no Twitter RSS do Convergência Digital Newsletters do Convergência Digital
Copyright © 2014 Convergência Digital
Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.
Este Sítio Web é acessível via IPv6!