Home - Convergência Digital
RSS Assine gratuitamente as nossas newsletters Quem faz o Convergência Digital Fale conosco Anuncie aqui
Cloud Computing CD TV Carreira Blog Capital Digital



Home - Telecom

Desoneração de redes implicará em renúncia fiscal de R$ 3,8 bilhões

:: Luís Osvaldo Grossmann
:: Convergência Digital :: 03/04/2012

O Ministério das Comunicações calcula em R$ 3,8 bilhões a renúncia fiscal a ser causada por novos investimentos em redes de telecomunicações até dezembro de 2016. Para o governo, as medidas farão com que as empresas antecipem investimentos, elevando em R$ 18 bilhões o que o setor aplicaria no período.

É por essa antecipação que foram mantidas algumas metas já anteriormente projetadas, como a ampliação da rede pública de fibras ópticas – a cargo da Telebras – ou o avanço da banda larga móvel. “A ideia é chegarmos a 60 milhões de acessos móveis, 3G e 4G, antes de 2014”, explica o diretor de indústria, ciência e tecnologia do Minicom, José Gontijo.

A partir da Medida Provisória que cria o regime tributário especial para as redes, o Minicom espera até o fim de abril concluir a regulamentação – já existe uma minuta pronta. É no regulamento que serão explicitadas as oito arquiteturas de redes contempladas – metropolitanas, backhaul, zona rural, etc.

Segundo Gontijo, a dinâmica para a obtenção dos benefícios fiscais será simples. Com a regulamentação, será disponibilizado um formulário para as empresas interessadas, onde devem explicar o projeto, prever quais os equipamentos nacionais serão utilizados e as contrapartidas – investimentos em áreas menos rentáveis.

A aprovação do Minicom se dará com base nessas informações. A partir daí, as empresas devem se habilitar junto ao Ministério da Fazenda para usufruir das isenções fiscais – PIS, Cofins e IPI. É quando as isenções passam a valer, ainda que o projeto beneficiado só seja iniciado posteriormente.

“Haverá um prazo de até meados de 2013 para que os projetos sejam submetidos”, disse Gontijo. Isso porque a expectativa é que as obras estejam concluídas até o fim de 2016, quando também termina a validade dos benefícios fiscais.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 


:: Leia também:

:: 30/01/2015 13:55
Alô Serviços, MVNO ligada à Assembleia de Deus, vai operar no Brasil

:: 30/01/2015 11:00
TV paga: base cresce abaixo do esperado e inadimplência acende sinal amarelo

:: 28/01/2015 13:51
Marco Civil: "Más regulamentações podem estrangular bons textos", adverte o ministro da Justiça

:: 27/01/2015 17:00
Rio Negócios e Facebook selecionam startups cariocas para o FB Start

:: 27/01/2015 15:40
Data centers e serviços na nuvem são os alvos principais dos ataques DDoS

:: 26/01/2015 12:21
Documento 'ultrassecreto' levará 25 anos para chegar ao público

:: 26/01/2015 09:05
Crimes em TI: não negligencie a atualização dos software

:: 22/01/2015 18:37
Fim de linha para a fusão entre a Oi e a Portugal Telecom

:: 22/01/2015 12:44
TICs Brasil: crescimento desacelera, mas ainda será bem acima do PIB

:: 22/01/2015 12:02
eSocial: PMEs 'relaxam' com os adiamentos seguidos do Governo




Outras matérias desta seção:

ANTERIOR
Telebras aprova nome "BR1Sat" para empresa criada em parceria com Embraer

PRÓXIMA
Desonerações não mudam metas da rede pública ou acessos móveis



VII Seminário TelComp 2014 - Cobertura especial do Convergência Digital
Banco Mundial: Empresas brasileiras estão atrasadas no uso das TICs

Instituição está fazendo um estudo global para avaliar o impacto da economia digital, que será conhecido no 2º semestre de 2015. Mas já dados coletados. Entre eles, um significativo: As mulheres são as grandes beneficiadas pelo maior uso das TICs
CDTV Banda larga: Teles erram e Anatel fala em controle de danos
CDTV TelComp: Precisamos criar uma nova GVT no Brasil
Clique aqui e veja a cobertura completa do evento


Alô Serviços, MVNO ligada à Assembleia de Deus, vai operar no Brasil

Potencial de clientes da empresa é estimada em 18 milhões de fiéis. Negócio, desenhado por Ricardo Knoepfelmacher, ex-presidente da Brasil Telecom, é o primeiro no formato de operadora virtual credenciada. Parceria de rede será com a Vivo.


TV paga: base cresce abaixo do esperado e inadimplência acende sinal amarelo

A base de assinantes cresceu apenas 8,7% em relação a 2013, quando todas as projeções estimavam um impulso de dois dígitos. Brasil encerrou o ano com 19,58 milhões de acessos ativos.


Fim de linha para a fusão entre a Oi e a Portugal Telecom

A Oi conseguiu a aprovação para a venda dos ativos da PT para a francesa Altice por 7,4 bilhões de euros. Tele brasileira respira aliviada e ganha recursos para reduzir dívidas e entrar na briga da consolidação nacional.


TV paga: Embratel, Claro e Net dominam o mercado com 53,01% dos acessos ativos

Operadoras, do grupo mexicano Telmex, chegaram a marca de 10.501.486 milhões de assinantes em novembro. A Sky aparece na segunda posição,mas bem distante da rival. No total, Brasil somou 19,81 milhões de acessos ativos, de acordo com dados a Anatel.




Atenta ao Brasil, Nextel mira as PMEs

Operadora planeja crescer suas vendas no segmento em 30% ainda em 2015.

» Banda larga móvel: chips M2M não decolam e modems desabam nas vendas


A TV está morrendo!
:: Por Eduardo Prado

Cobertura em vídeo do Convergência Digital

Veja as coberturas especiais do Convergência Digital



Veja edição 11 da Revista Abranet - Assossiação Brasileira de Internet REVISTA ABRANET . 11

Na discussão sobre o que vai prevalecer — fibra óptica ou rádio — na construção das infraestruturas, vence quem souber explorar o que cada tecnologia tem de melhor a oferecer.

Veja também: Cidades Digitais: Governo convoca provedores; A transição da IANA foi destaque no ICANN#51; Billing das coisas: quando cobrar certo será o diferencial; e muito mais.

Clique aqui para ver outras edições




Convergência Digital no Facebook Convergência Digital no Twitter RSS do Convergência Digital Newsletters do Convergência Digital
Copyright © 2014 Convergência Digital
Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.
Este Sítio Web é acessível via IPv6!