Cloud ComputingConvergência Digital
LibreOffice: O Google Docs do open source

Convergência Digital - Hotsite Cloud Computing
:: Da redação :: 30/03/2012

Lançada pela The Document Foundation (TDF) em fevereiro, a versão 3.5 do LibreOffice, para Windows, Linux e Mac OS X, traz novidades aos usuários de editores de texto, planilhas eletrônicas, ferramentas de apresentação e bancos de dados.

A principal delas é a possibilidade de execução via web. Ainda que numa fase inicial e exigindo uma série de etapas complexas de compilação, o LibreOffice Online poderá ser utilizado como uma aplicação em nuvem, tal como o Google Docs, mas com a vantagem de ser livre e customizável.

Quem destaca essa inovação é Gustavo Pacheco, analista de sistemas e membro da The Document Foundation, a organização internacional que suporta o desenvolvimento do LibreOffice. Ele também pontua outros avanços, como: no editor de textos, a nova exibição de cabeçalhos e rodapés e o contador de palavras flutuante (com atualização em tempo real); no editor de planilhas, a possibilidade de inclusão de mil planilhas em um único arquivo e o número ilimitado de regras de formatação condicional; e, no editor de fórmulas, novos símbolos relativos à teoria dos jogos.

O LibreOffice oferece ainda ao usuário um serviço completo de exportação para PDFs, a grande oferta de extensões, além do dicionário e do corretor ortográfico próprios. A solução, diz Pacheco, só conseguiu chegar ao seu atual nível de desenvolvimento porque está baseado no modelo open source.

"Hoje, o LibreOffice constitui-se como a principal solução de edição de documentos no formato OpenDocument. Não apenas se consideramos o uso tradicional da aplicação, instalada sobre um sistema operacional local, mas, também, se avaliarmos o enorme potencial da API do LibreOffice, que permite adicionar, a qualquer desenvolvimento, o poder das funções das aplicações e a flexibilidade de um padrão aberto de armazenamento de dados", completa Pacheco. No Brasil, o Serpro é um dos usuários da ferramenta, em função da politica de adoção do software livre do governo.

Fonte: Agência de notícias do Serpro

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 

 Matérias relacionadas com o assunto Cloud Computing  

:: 25/02/2015 16:59
Cloud é foco da Interactive Intelligence na América Latina

:: 23/02/2015 09:33
Nokia usa potencial do rádio em solução de cloud

:: 11/02/2015 17:52
EMC: Nuvem não é uma solução mágica

:: 10/02/2015 16:14
Big data: para não doer no bolso e na alma

:: 09/02/2015 14:05
Falta maturidade e apenas 10% das empresas brasileiras adotam o big data

:: 06/02/2015 16:36
Santander entra na briga pelo serviço na nuvem

:: 05/02/2015 12:33
SaaS: mudar agora ou morrer

:: 02/02/2015 17:03
Cloud: preço baixo não é mais prioridade nº1

:: 27/01/2015 16:43
Nuvem foi a cura para solução de e-mail da Rede D´Or

:: 23/01/2015 11:28
Colégio Bandeirantes usa a nuvem para armazenar 16 terabytes

Opinião
Aumenta pressão na América Latina por uma rede melhor para a nuvem
:: Por Hector Silva*


VídeosMais vídeos




Destaques

Big data puxa projeto de Internet das Coisas no Brasil

Mesmo com a preferência dos CIOs pela nuvem privada, a nuvem pública deverá crescer 50% esse ano. A compra de dispositivos móveis representará cerca de 45% dos investimentos de TI.


Interoperabilidade entre nuvens desafia gestores de TI

Pesquisa revela ainda que a nuvem pública não está nas prioridades de investimentos.


Nuvem híbrida: Empresas brasileiras se revelam ainda confusas

Tendência está na lista de prioridades, mas a maioria não tem uma estratégia para a implementação.


Cientista de dados: se você tem um, cuide dele com cuidado

Especialista será um dos mais demandados em 2015 pelas empresas no Brasil.


Sem big data, não há inovação, frisam empresários no Brasil

Pesquisa da GE mostra que 77% dos empresários consideram essencial fazer análise de dados .


Copyright © 2005-2015 Convergência Digital            Todos os direitos reservados.            É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.