Home - Convergência Digital

Blackberry: Venda à vista?

Convergência Digital - Carreira
:: Da redação - 30/03/2012

A Research in Motion (RIM) vai enfrentar um ano difícil, com competição mais intensa, alertaram analistas, reduzindo suas avaliações quanto aos preços das ações da companhia depois que a fabricante de celulares inteligentes anunciou prejuízo, com queda nas vendas de BlackBerrys no quarto trimestre.

Nesta quinta-feira, 29/03, a RIM anunciou seu primeiro prejuízo trimestral desde o quarto trimestre fiscal de 2005 e informou que não apresentaria mais projeções financeiras. "A falta de projeções, a desaceleração no crescimento do volume de vendas e o acúmulo de estoques são negativos para a cadeia de suprimento tecnológico da RIM, a saber Celestica, Flextronics International e Jabil Circuit", apontaram analistas do Citigroup. A RIM responde por 20% das vendas da Celestica, 15% na Jabil e 10% na Flextronics, reportaram o RBC e o Citigroup.

As vendas do Blackberry caíram em 21% ante o trimestre anterior, o primeiro declínio no trimestre em que ocorre o Natal desde 2006. A maioria dos analistas considera que o lançamento da nova geração do BlackBerry, dentro de alguns meses, será uma batalha de vida ou morte para a empresa, e alertam sobre uma intensificação da concorrência.

A RIM está enfrentando concorrência intensificada em todos os seus produtos -de parte da Apple, com o iPhone 4S e o novo iPad; e de celulares inteligentes equipados com a plataforma Google Android, afirmaram analistas da Cannacord Genuity. Analistas da Cannacord Genuity, Barclays Capital, Nomura, BMO, RBC e Credit Suisse reduziram sua avaliação de preços para as ações da empresa que são cotadas nos Estados Unidos.

Em um "mercado florescente para os celulares inteligentes", o volume de vendas da RIM pode cair em 25% nos próximos 12 meses, porque os modelos BB7 existentes não são competitivos e a fatia da empresa nos mercados internacionais está se erodindo rapidamente, disse o Credit Suisse. Melhoras nos modelos mais baratos da Nokia também podem prejudicar a fatia da RIM nos mercados internacionais, afirmou o Credit Suisse, acrescentando que apenas a possibilidade de venda da empresa o leva a manter sua recomendação neutra quanto às ações do grupo.

O novo presidente-executivo da RIM, Thorsten Heins, anunciou passos iniciais de uma revisão estratégica e não excluiu uma eventual venda da companhia. Mas analistas se mostram céticos sobre os esforços de recuperação da empresa.

Analistas do Nomura, em relatório intitulado "Too Little, Too Late" (Muito Pouco, Muito Tarde), afirmam que a RIM provavelmente não vai ter sucesso como uma plataforma independente, mesmo se encontrar parceiros. "A gestão ainda parece acreditar em ter sucesso em ambas as pontas do mercado de smartphones, e isso enquanto desenvolvem um ecossistema de aplicações independente", disseram analistas do Nomura.

Fonte: Agência Reuters

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 

LEIA TAMBÉM:

02/04/2014
A cada minuto, 68 smartphones vendidos no Brasil

24/03/2014
Classe C foi às compras

07/03/2014
Smartphone responde por 40% dos acessos à Internet no Brasil

17/02/2014
Venda online de smartphone movimenta R$ 1,3 bi

04/02/2014
Redes corporativas precisam de 'upgrade' para suportar tablets e smartphones

29/01/2014
Lenovo vai às compras e finca pé no mercado de smartphones

29/01/2014
Desoneração de smartphones já incentivou 216 apps nacionais

28/01/2014
Smartphones: Nunca se vendeu tanto como em 2013

13/01/2014
Uso de dados cresce 40% a cada geração de smartphones

07/01/2014
Smartphones e tablets seguem em alta. PCs mantêm queda em 2014

Destaques
Destaques

700 MHz: Para TVs, custo da transição será ‘surpreendente’

Emissoras voltam a pedir que a venda da faixa obedeça os critérios: primeiro os testes, o cuidado com a mitigação de interferências e, só então, o edital. Segundo a Abert, o valor envolvido é grande demais para um tratamento pouco cuidadoso - algo em torno de R$ 6 bilhões.

Roteadores Wi-Fi terão mais espectro nos EUA

FCC ampliou em 100 MHz a capacidade disponível na faixa não licenciada dos 5 GHz utilizada, junto da faixa de 2,4 GHz.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Mobile Wallet: você já tem a sua?

:: Por Cristiane Higashi*

Caberá ao varejo, as operadoras e as grandes empresas do consumo o papel de massificar o uso da carteira móvel no país. E fica uma certeza: quem não entrar nessa disputa, será ultrapassado pela concorrência.


Copyright © 2014 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site