Home - Convergência Digital
RSS Assine gratuitamente as nossas newsletters Quem faz o Convergência Digital Fale conosco Anuncie aqui
Cloud Computing CD TV Carreira Blog Capital Digital



Home - Inclusão Digital

Minicom promete investir R$ 40 milhões em cidades digitais

:: Luís Osvaldo Grossmann
:: Convergência Digital :: 28/03/2012
O Ministério das Comunicações vai selecionar 80 municípios de até 50 mil habitantes para um projeto-piloto de cidades digitais, no qual serão investidos diretamente pelo governo federal R$ 40 milhões na construção das redes metropolitanas de fibras ópticas.

O foco central é munir as prefeituras de infraestrutura de redes para a administração – ou seja, interligar os órgãos públicos. Mas de antemão fica prevista a oferta de, no mínimo, um ponto de acesso público gratuito.

“Não queríamos simplesmente repassar os recursos. Vamos fazer um piloto, não vamos começar com muita ambição, mas de forma que estejamos seguros que vai funcionar e atingir os objetivos”, afirmou Paulo Bernardo.

Apesar do calendário próximo ao das eleições municipais – as cidades escolhidas devem ser apresentadas até o fim de julho – o ministro descarta qualquer relação. “É um número pequeno de municípios, com uma seleção equilibrada para beneficiar o maior número de estados”, disse.

A seleção das cidades que receberão as redes exigirá a apresentação de projetos, mas eles serão simplificados, pelas próprias limitações dos pequenos municípios. O ponto mais importante é o modelo de sustentabilidade do serviço – como custear a manutenção e os links.

“Estamos pensando em um modelo de serviço público para que possam fazer a manutenção da rede”, disse a secretária de Inclusão Digital do Minicom, Lygia Pupato. “Uma combinação de serviço público e também para ser vendido”, completou Bernardo.

Além disso, as cidades escolhidas deverão estar situadas onde possam ser atendidas por backbones já existentes, notadamente o da Telebras, mas também de outras operadoras.

Na prática, o governo federal vai financiar as redes de fibras, que serão doadas aos municípios. As prefeituras, então, poderão assumir diretamente o custeio ou autorizar a prestação do serviço por terceiros.

Nesse caso, a capacidade extra – depois de atendidos os pontos públicos – poderá ser comercializada, o que permitiria a continuidade dos acessos e a manutenção da rede sem custos para as cidades.

O desenho inicial prevê uma garantia mínima de capacidade, equivalente a 4Mbps em cada um, até o máximo de 30, dos pontos públicos de acesso – órgãos públicos e “hotspot”, como uma “praça digital” ou, provavelmente, um telecentro.

Engenharia

O projeto de implantação das cidades digitais consiste na licitação de uma empresa para atuar como integradora e, com os recursos disponibilizados pelo Minicom, construir redes Metro Ethernet em todos os municípios escolhidos.

Os equipamentos de rede serão tratados em conjunto, por um pregão de registro de preços. A ideia é que esses preços valham também para cidades não selecionadas, mas que possam aderir à ata e comprá-los com recursos do BNDES.

“Para isso precisamos ainda de autorização da Fazenda e do Conselho Monetário Nacional, mas não acredito que haverá problemas, devido aos pequenos montantes envolvidos”, arrisca Paulo Bernardo.

Em média, na conta do Minicom, cada rede municipal custaria R$ 500 mil. Mas já existem exemplos concretos com valores até menores – caso da gaúcha Lagoa dos Três Cantos, cujo projeto Lagoa Digital tem custo total de R$ 312 mil.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 


:: Leia também:

:: 28/11/2014 09:14
Anatel medirá o impacto do VoIP e outras tecnologias na telefonia fixa

:: 27/11/2014 13:22
Parlamento Europeu aprova pedido para dividir negócios do Google

:: 26/11/2014 16:15
Bens reversíveis: Teles não querem devolver redes ao fim das concessões

:: 26/11/2014 15:03
Anatel quer menos orelhões do que antes da privatização do setor

:: 26/11/2014 12:26
Internet deve ser direito humano básico

:: 26/11/2014 11:36
Twitter desafia Facebook e diz que não é uma rede social

:: 25/11/2014 16:47
Brasil vira alvo na guerra fria pelo comando da Internet

:: 25/11/2014 15:33
Netflix expande pontos de presença para reduzir latência no Brasil

:: 25/11/2014 14:45
Teles investirão US$ 193 bi e respondem por 4,5% do PIB na AL

:: 24/11/2014 15:22
Operação TooHash:Spyware usa Microsoft Office para atacar empresas




Outras matérias desta seção:

ANTERIOR
Diretor de Infraestrutura, Heliomar Lima vai deixar o Minicom

PRÓXIMA
Banda larga: Telebras e Eletrobras discutem paliativos para região Norte




Banda larga: Novo prazo para o REPNBL estimulará investimentos de mais R$ 15 bilhões
:: 19/11/2014 :: Inclusão Digital

Operadoras têm até junho de 2015 para enviarem seus projetos para desoneração em construção de redes. O secretário de Telecomunicações do Minicom, Maximiliano Martinhão, acredita que aportes poderão chegar, somando as duas etapas, a R$ 30 bilhões.


Minicom promete leilão para universalização da banda larga em 2015
:: 12/11/2014 :: Inclusão Digital

“Para levar fibras a mais de 90% dos municípios estamos estimando em R$ 10 bilhões. Outros R$ 40 bilhões se a fibra chegar a 45% dos domicílios. Mas não vamos colocar todos esses recursos. A ideia é fazer leilões reversos, contratando aquele que pedir menos subsídios”, afirmou o ministro Paulo Bernardo.

» Pesquisa mostra que telecentros habilitam mais pobres a usar computador

Governo pressiona pela redução do ICMS na banda larga fixa
:: 12/11/2014 :: Inclusão Digital

Para o secretário do Ministério das Comunicações, Maximiliano Martinhão, o governo federal já fez a sua parte nas desonerações e, agora, é o momento de baixar o imposto estadual, com alíquotas variando entre 25% a 35%. Projeto no senado prevê uma alíquota para o serviço de 10%.


Paulo Bernardo: Smartphone é, sim, inclusão digital
:: 05/11/2014 :: Inclusão Digital

Ministro das Comunicações rebateu as críticas feitas pelas entidades de defesa do consumidor sobre a qualidade das conexões móveis contabilizadas no universo de 132,2 milhões de acessos via celulares.

» Para a Proteste, Facebook não é inclusão digital



Veja a segunda edição da revista digital Alianza Latinoamericana de Medios TIC Alianza Latinoamericana
de Medios TIC . nº 2


Nesta segunda edição, tratamos de um tema que está na lista de prioridade dos gestores de TI: o BIG DATA

A Revista Alianza é fruto de uma aliança editorial entre os veículos InversorLatam, portal Convergência Digital e Evaluamos, da Colômbia. Nosso compromisso é retratar os pontos mais importantes de Telecom e TI na América Latina.

Clique aqui para ver outras edições




Convergência Digital no Facebook Convergência Digital no Twitter RSS do Convergência Digital Newsletters do Convergência Digital
Copyright © 2014 Convergência Digital
Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.
Este Sítio Web é acessível via IPv6!