GOVERNO

Porto Alegre deflagra grito de alerta contra desindustrialização

Da redação ... 27/03/2012 ... Convergência Digital

Mais de oito mil empresários e trabalhadores ocuparam ruas de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, nesta terça-feira, 27/03, numa manifestação de empresários e trabalhadores de diversos setores da economia contra o processo de desindustrialização por que passa o país, e que já ameaça os empregos.

Protestando contra os estragos provocados pelos juros altos, pelo Real valorizado, pela alta carga tributária no país e pela invasão de produtos importados, sobretudo da China, os manifestantes partiram do Largo Glênio Peres e seguiram até o Palácio Piratini, onde uma comissão foi recebida pelo Governador do estado, Tarso Genro, que demonstrou apoio às demandas e o movimento.

O ato público contou com a participação do vice-diretor da Abinee no Rio Grande do Sul, Régis Sell Haubert, que acompanhou a manifestação, ao lado das lideranças empresariais e dos trabalhadores, participando do encaminhamento das reivindicações ao Governador e aos representantes Assembleia Legislativa do Estado, disse que o setor produtivo precisa de medidas efetivas e emergenciais que possam minimizar a invasão de produtos importados no mercado brasileiro, que impõe uma perda de competitividade ao país frente aos concorrentes internacionais.

A manifestação de Porto Alegre foi a primeira das seis já agendadas pelo movimento Grito de Alerta. O protesto vai se repetir nesta quarta-feira (28), em Florianópolis (SC), dia 3 de abril, em Curitiba (PR), dia 4 em São Paulo, dia 13, em Manaus, e dia 10 de maio, em Brasília. Presente ao ato no Palácio Piratini, o empresário Jorge Gerdau Johannpeter, que preside a Câmara de Gestão do governo federal, reforçou o coro dos contra a falta de competitividade da economia brasileira.

"A competitividade intramuros das empresas brasileiras é boa, mas no quadro geral três ou quatro temas são prioritários", disse. Para Gerdau, o país precisa de maiores investimentos em educação para aumentar a produtividade dos trabalhadores, de uma reforma tributária para eliminar os impostos em cascata, da redução dos juros e dos custos de logística.

Ele defendeu ainda o fim dos incentivos fiscais concedidos por alguns Estados às importações. "Não posso aceitar que os importados paguem menos impostos do que os produtos fabricados no Brasil", completou. Posição também defendida pelo presidente da Abinee, Humberto Barbato. “A indústria está cada fez mais frágil, o que já está refletindo na perda de postos de trabalho e na capacidade futura de desenvolvimento da nação”, alertou o executivo.


ESPECIAL » ESPIONAGEM DIGITAL
Espionagem: EUA negam pedido de perdão para Edward Snowden

Documento assinado por mais de 167 mil pessoas foi rejeitado pelo governo Obama. Snowden, que denunciou a espionagem a autoridades, entre elas, a presidente Dilma Rousseff, se voltar ao país poderá ser condenado a 30 anos de prisão.


Clique aqui para ver a cobertura completa

Reoneração da folha: Empresas tentam 3%. Senado adia votação

ATUALIZADO - Representantes de 44 entidades empresariais, entre elas as que representam o setor de TIC, levaram uma proposta final onde aceitam o reajuste de 50% na alíquota paga ao governo. Não houve acordo. Partes ganham mais 24 horas para negociação.

Adesão de órgãos públicos à transição para IPv6 ainda é baixa

Primeiro relatório semestral de implantação do novo protocolo internet na administração federal mostra que apenas um em cada quatro órgãos apresentou progressos – e somente a metade desses cumpriu parte das metas.

Reoneração da folha: Empresas de software tentam alíquota de 3%

Durante a ABES Software Conference 2015, advogado da entidade admitiu que há negociações para tentar alterar a alíquota para o setor de TI. E que há vantagens e desvantagens nessa nova alternativa. Governo quer passar de 2% para 4,5%.

Governo quer compartilhar base da nova identidade com iniciativa privada

Ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Afif Domingos, pediu tramitação rápida ao projeto e disse que o primeiro interessado é o sistema financeiro. Mas emendas ao PL 1775/15 proíbem essa ideia.



  • Copyright © 2005-2015 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G