Home - Convergência Digital
RSS Assine gratuitamente as nossas newsletters Quem faz o Convergência Digital Fale conosco Anuncie aqui
Cloud Computing CD TV Carreira Blog Capital Digital



Home - Governo

PT reage à consulta do INPI sobre patente de software

:: Luís Osvaldo Grossmann e Luiz Queiroz
:: Convergência Digital :: 27/03/2012

Temeroso sobre o impacto no setor, o Partido dos Trabalhadores quer que o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) suspenda a consulta pública sobre patenteamento de softwares, aberta na semana passada. Primeiro, defende o partido, o país precisa discutir amplamente a conveniência de se adotar esse tipo de regras.

Em nota do Setorial de TI, o PT sustenta que “não se pode discutir as diretrizes de exame de patentes de software, sem que, antes, seja feita uma ampla consulta pública sobre os riscos e oportunidades de tal patenteamento, bem como de estudos independentes sobre os eventuais impactos positivos e negativos que as patentes de invenções implementadas por programa de computador podem ter sobre o Brasil”.

O partido argumenta, que “muitas patentes concedidas pelo INPI o foram com base em pedidos que, de forma a contornar o impedimento legal relativo a programas de computador em si, caracterizaram os programas de computador como processos ou métodos industriais”. “Na prática, patentes de software têm sido concedidas, em clara afronta à legislação e ao interesse nacional.”

Assim, o PT entende que o impacto de patentes de software no Brasil seria extremamente prejudicial para a indústria nacional ainda incipiente. “A permissão da patente de software no Brasil lança as empresas nacionais desenvolvedoras na insegurança jurídica, pois cada linha de código programada no país passa a ficar sujeita a questionamentos sobre sua origem e propriedade.”

“Mais grave é que as patentes de software bloqueiam a competitividade e a inovação no setor de tecnologia da informação, já que para fazer programas concorrentes, empresas diferentes trabalham para resolver os mesmos problemas e, frequentemente, obtêm soluções semelhantes ou iguais.”

A consulta pública do INPI, aberta em 16/3, discute as hipóteses em que um software poderá ser patenteado – levando-se em conta que, como citou o PT, legislação proíbe a concessão de patente ao programa em si. O Instituto receberá contribuições por 60 dias.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 


:: Leia também:

:: 17/04/2015 20:45
Ministério da Cultura denuncia censura do Facebook e reclama soberania brasileira

:: 17/04/2015 16:00
Rio Info 2015: Desoneração da folha é política estruturante do TI Maior

:: 17/04/2015 13:00
TCU manda Correios anular pregão de rede IP que passou de R$ 783 milhões

:: 15/04/2015 13:00
Google é indiciado e pode ser multado em até US$ 6,6 bi

:: 15/04/2015 09:55
Para enfrentar os chineses, Nokia compra Alcatel-Lucent por US$ 15,6 bilhões

:: 14/04/2015 15:11
Neutralidade: Teles e TVs pagas se aliam e vão à Justiça contra a FCC

:: 14/04/2015 15:04
Apenas 4% dos correntistas brasileiros fazem operações financeiras no banco móvel

:: 14/04/2015 11:04
Com preços mais baixos, venda de PCs cresce e impulsiona mercado de Informática

:: 14/04/2015 10:30
OTTs impõem guinada estratégica à TV paga na América Latina

:: 13/04/2015 13:45
Terceirização: Para TST, até sanção pela presidência, súmula 331 é a Lei




Outras matérias desta seção:

ANTERIOR
Porto Alegre deflagra grito de alerta contra desindustrialização

PRÓXIMA
e-Gov: Brasil melhora, mas ainda fica atrás dos sul-americanos



 ESPECIAL   ESPIONAGEM DIGITAL
Ex-diretor diz que segurança cibernética do governo está nas mãos de "dois vampiros e um 'zumbi'"

Congresso Nacional de Segurança CibernéticaFoi assim que o ex-diretor do Departamento de Segurança da Informação e Comunicações (DSIC), Raphael Mandarino, se referiu ao Serpro e à Dataprev, além da Telebras. Para ele, as ações do Governo Dilma são "patéticas" na área de Segurança.

» Brasil ainda luta para por em prática medidas contra espionagem
» NSA e aliados têm chaves criptográficas para ouvir celulares em todo o mundo
» Espionagem: Comunicações do governo seguem vulneráveis
Clique aqui para ver a cobertura completa


TCU manda Correios anular pregão de rede IP que passou de R$ 783 milhões

Por conta de “irregularidades graves”, o Tribunal de Contas da União deu 15 dias aos Correios para que reiniciem todo o processo ou apenas a fase de lances. Na disputa entre Claro e BT Brasil, está última acabou sendo vencedora com valor bem abaixo do estimado, mas na sequência reajustou proposta em 444%. Para o TCU, falhas começaram já no edital.


Terceirização: Para TST, até sanção pela presidência, súmula 331 é a Lei

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho, Antonio José de Barros Levenhagen, sustentou que sem a sanção do projeto, a terceirização para as atividades-fim das empresas seguirá proibida no Brasil. Senado diz que tema não será 'atropelado' na Casa.


Governo designa canais 7 a 13 para TV Digital

Portaria do Ministério das Comunicações publicada nesta segunda-feira, 13/4, oficializa a promessa de uso do VHF alto e dá preferencia aos canais públicos do Executivo, Educação, Cultura, além do Canal da Cidadania.


Telecom: nova lei dá segurança à terceirização prevista na LGT

Lei Geral de Telecomunicações já previa a contratação de terceiros para “atividades inerentes, acessórias ou complementares ao serviço”, mas ainda assim mais de 10 mil processos trabalhistas questionam essa legalidade apenas no terreno dos call centers.

» Terceirização: Para advogado, "pejotização é uma fraude trabalhista e fiscal"


Veja as coberturas especiais do Convergência Digital


Cobertura em vídeo do Convergência Digital





Convergência Digital no Facebook Convergência Digital no Twitter RSS do Convergência Digital Newsletters do Convergência Digital
Copyright © 2005-2015 Convergência Digital
Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.
Este Sítio Web é acessível via IPv6!