INTERNET

Banda larga: Governo da Austrália bane Huawei de projeto nacional

Da redação ... 26/03/2012 ... Convergência Digital

A Austrália impediu a participação da chinesa Huawei Technologies na concorrência pela National Broadband Network (NBN), a rede nacional de banda larga, devido a questões de segurança. "Fomos informados pelo governo de que não existirá papel para a Huawei na NBN australiana", disse Jeremy Mitchell, porta-voz da Huawei, segunda maior fabricante mundial de equipamentos para telecomunicações.

A NBN é o maior projeto nacional de infraestrutura na história da Austrália, e conectará 93% dos domicílios e empresas do país a serviços de banda larga por fibra óptica, em regiões urbanas e outras áreas. O projeto foi concebido em 2009 pelo governo australiano, que prometeu investir 38 bilhões de dólares na rede, que deve estar concluída em 2020.

A Australian Financial Review publicou nesta segunda-feira, 26/03, que a Huawei estava tentando obter um contrato de equipamento no valor de até 1 bilhão de dólares australianos para a NBN, mas foi bloqueada pela Secretaria de Justiça australiana por objeções apresentadas pela Australian Security Intelligence Organization (Asio), o serviço de inteligência australiano.

Nicola Roxon, porta-voz da Secretaria de Justiça, afirmou em comunicado que "isso é coerente com as práticas governamentais que visam garantir a segurança e a durabilidade da infraestrutura crítica australiana". O governo não vai prestar informações sobre suas discussões específicas com empresas, que são consideradas confidenciais, acrescentou.

Durante uma conferência de segurança nuclear na Coreia do Sul, a primeira-ministra da Austrália, Julia Gillard, disse a jornalistas que o governo havia tomado uma decisão prudente quanto às concorrências pela NBN. "Seria de esperar que o governo tomasse decisões prudentes para garantir que o projeto de infraestrutura cumpra o que desejamos dele, e tomamos uma dessas decisões", afirmou a primeira-ministra.

Fonte: Agência Reuters


Governo da Índia indica que vai proibir Internet.org

Relatório ainda parcial do governo diz que “provedores de conteúdo ou aplicações não podem ser autorizados a atuar como ‘porteiros’ mesmo sob ostensivo propósito público”.

'Tudo sobre todos' sai parcialmente do ar no Brasil

Site divulga informações de pessoas físicas sem autorização. Procuradoria do Rio Grande do Norte abriu investigação. Ministério da Justiça ainda não foi acionado oficialmente. Em maio, caso semelhante aconteceu com o Nomes Brasil, retirado do ar judicialmente.

UOL bloqueia spam e empresa vai à Justiça por violação ao Marco Civil

Justiça de São Paulo nega liminar, mas ainda avalia se o bloqueio fere a neutralidade de rede ou está protegido pelas exceções técnicas.

Comércio eletrônico: atraso na entrega é realidade em 61% das lojas no Brasil

Estudo mostra ainda que os Correios  têm papel fundamental no transporte de encomendas do comércio eletrônico nacional, já que é usado por 81% das lojas entrevistadas.

Revista Abranet 13 . Junho 2015
Veja edição 13 da Revista Abranet - Assossiação Brasileira de Internet Pesquisa inédita encomendada pela Abranet ao IBPT mostrou a relevância do segmento de Internet, cujas empresas faturaram R$ 144,7 bilhões em 2014. No período de 2012 a 2014, foram gerados 51.180 novos postos de trabalho, um incremento de 17,5%.
Clique aqui para ver outras edições