Cloud ComputingConvergência Digital
Nuvem pública é estratégica para serviços governamentais

Convergência Digital - Hotsite Cloud Computing
:: Da redação :: 26/03/2012

Kishore S. Swaminathan é cientista chefe e diretor global do Accenture Technology Labs. Ele é responsável por definir a visão da Accenture para o futuro e definir a agenda de pesquisa e desenvolvimento da companhia. De acordo com Kishore, o uso da computação em nuvem vai permitir aos governos atingir economia de escala e desenvolver serviços online de forma mais efetiva.

Ele afirma que, quando múltiplas áreas governamentais compartilham recursos por meio da virtualização de servidores – criando servidores baseados em software para cortar custos, eliminando a aquisição de mais servidores e implantando serviços rapidamente – elas reduzem custos computacionais para todos. “Estas áreas podem conseguir escala pela replicação de funções comuns, utilizando uma única plataforma compartilhada, o que garantiria a elas utilizar serviços aos quais, de outro modo, não teriam acesso”, diz.

Para Kishore, a computação em nuvem pode ajudar os governos a integrar funções e indústrias e, talvez o mais importante, conquistar a liberdade de experimentar novos serviços sem perder muito dinheiro caso estas iniciativas não deem certo. Mais que isso, o cientista chefe afirma que não é econômico desenvolver aplicações customizadas para entregar serviços a cidadãos de cada cidade ou distrito. “Por outro lado, entregar software como serviços (SaaS) por meio de uma plataforma comum que pode ser acessada por qualquer cidade ou distrito é o modo mais efetivo de centralizar funções comuns”, defende.

Kishore também acredita que o cloud computing pode ajudar a integrar processos e segmentos fragmentados. Por exemplo, o segmento de saúde é formado por hospitais, laboratórios, companhias de seguro e clínicas. Muitos destes provedores de serviços de saúde não são grandes o bastante para terem seus próprios data centers ou adquirir aplicativos sofisticados. Com a computação em nuvem, estes provedores acessariam serviços comuns e poderiam responder mais rapidamente às necessidades de seus cidadãos.

O executivo sugere que muitas áreas governamentais podem se beneficiar de serviços baseados em nuvem, o que as ajudaria a cortar custos por meio de serviços compartilhados, implantar novos serviços mais rapidamente e introduzir ferramentas online mais eficientes. A segurança talvez seja a maior preocupação do setor público quando se fala em infraestrutura em nuvem, mas Kishore acredita que os governos são possivelmente os melhores candidatos para o desenvolvimento de nuvens muito seguras porque, juntas, as agências governamentais são grandes o bastante para construir nuvens privadas altamente seguras.

Por conta disso, o cientista chefe da Accenture recomenda que os governos explorem a computação em nuvem para conquistar a economia de escala que precisam para implantar novos serviços de forma rápida e eficiente e sem a necessidade de gastar mais dinheiro com hardware, software ou suporte de TI.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 

 Matérias relacionadas com o assunto Cloud Computing  

:: 15/08/2014 13:54
Apple contrata China Telecom para guardar dados

:: 13/08/2014 17:13
Aplicativo usa nuvem para gestão de histórico médico

:: 11/08/2014 10:22
Nuvem substitui tradicionais tokens

:: 04/08/2014 10:44
Guarda de dados: Maioria dos paulistanos não confia nos provedores

:: 31/07/2014 09:45
Uso da nuvem agiliza obra do BRT em Brasília

:: 28/05/2014 10:13
Globalweb investe em centros de treinamento

:: 21/05/2014 10:30
Armazenamento é a aplicação mais procurada na nuvem brasileira

:: 12/05/2014 10:03
Big data dá fôlego ao IaaS

:: 28/10/2013 11:43
Para EMC, computação em nuvem revigora o papel da TI

:: 21/10/2013 20:22
Para deter os EUA, Brasil e Europa negociam regras comuns para computação em nuvem

Soluções de TI Simples
Uma tentativa de fraude a cada 14,8 segundos no Brasil

Mês de julho marcou um crescimento de 19,9% em relação a junho. Roubo de dados pessoais é o alvo dos fraudadores.

» Nuvem e redes sociais exigem mais orçamento para Segurança da Informação
» Ações humanas respondem por mais de 95% dos incidentes de segurança
» CSO: pronto para assumir a culpa nas violações da segurança

Opinião
Como será a rede SDN na América Latina?
:: Por Hector Silva*

VídeosMais vídeos



Destaques

Marco Civil: Saúde decide que o dado pertence ao cidadão

"O dado não é do médico. O dado não é do hospital. O dado é do cidadão. Isso pode parecer trivial, mas não era assim", frisou o diretor de Tecnologia do Datasus, Augusto Gadelha. Segundo ele, o Registro Único de Saúde só avançará se a privacidade do cidadão for respeitada.


Com big data, Governo deve cruzar dados com redes sociais

A afirmação é do diretor de Operações do Serpro, Wilton Motta. Segundo ele, a riqueza de informações das redes sociais permite, por exemplo, aperfeiçoar uma política nacional de segurança.


'Donos' dos dados travam estratégia do governo para big data

"O dado não é do ministério. É do Estado", diz o diretor de operações do Serpro, Wilton Motta.


Brasil: só 8% das empresas assumem usar cloud

Pesquisa mostra também que o bom e velho telefone supera as redes sociais no relacionamento cliente/fornecedor.


Copyright © 2014 Convergência Digital            Todos os direitos reservados.            É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.