Home - Convergência Digital
RSS Assine gratuitamente as nossas newsletters Quem faz o Convergência Digital Fale conosco Anuncie aqui
Cloud Computing CD TV Carreira Blog Capital Digital



Home - Internet

Banda larga: Sob pressão, Anatel diz que medição está indefinida

:: Luís Osvaldo Grossmann
:: Convergência Digital :: 22/03/2012

Apesar da qualidade do debate realizado pelo Senado Federal sobre a medição da qualidade da banda larga, Anatel, operadoras e a empresa que será responsável pela fiscalização evitaram tratar da principal crítica ao modelo proposto: a fragilidade de uma medição feita somente dentro da rede das prestadoras. Mas a insistência do NIC.br de que essa é uma questão chave no sistema já produziu um efeito: no debate na Comissão de Ciência e Tecnologia, a Anatel alegou que o conceito exposto na seleção da aferidora pode mudar. “O modelo será construído até outubro. O ponto de medição está em discussão”, afirmou o superintendente de Serviços Privados da Anatel – e coordenador do grupo de implementação da qualidade – Bruno Ramos. Como destacou logo de início o conselheiro do Comitê Gestor da Internet e diretor-presidente do NIC.br, Demi Getschko, “é essencial que a medição seja feita em um ponto fora da rede da operadora”. “As medições sempre foram feitas no PTT em um equipamento diferente da rede da operadora. Senão, ficamos sujeitos a resultados que podem ser mascarados”, emendou o diretor de desenvolvimento do NIC.br, Milton Kashiwakura. O debate, no entanto, centrou-se principalmente em dois pontos: o entendimento de que a Anatel, e não as operadoras, é quem deveria financiar a Entidade Aferidora da Qualidade; e o consequente impacto na legitimidade dos resultados. “Como é possível uma empresa, que tem relações de mercado com quem deve fiscalizar, garantir a neutralidade?”, questionou o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), autor do requerimento para a audiência pública. Segundo ele, ao arrecadar cerca de R$ 4 bilhões por ano apenas no Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (Fistel), a Anatel deveria ela mesma custear a medição da qualidade. Desenho Quando a Anatel definiu as normas sobre a medição da qualidade, estabeleceu que ela se daria “do terminal do assinante ao PTT”, considerado um ponto “entre redes de transporte de diferentes prestadoras”. Era outubro de 2011. Em fevereiro de 2012, uma comissão formada pelas principais operadoras, coordenada pela agência, redefiniu aquele conceito, determinando que “os pontos de medição serão pontos de presença na rede da prestadora”. A mudança, agora tratada como não-definitiva, está em linha com a principal reivindicação das empresas. Afinal, o título da primeira manifestação do Sinditelebrasil, em agosto de 2011, já indicava: Modelo de medição da qualidade dos serviços de banda larga deve se restringir às redes das prestadoras.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 


:: Leia também:

:: 20/08/2014 17:15
Carta aberta aos presidenciáveis pede banda larga em regime público

:: 20/08/2014 10:45
Minicom aprova mais 11 projetos no REPNBL

:: 19/08/2014 11:14
São Paulo terá isenção de ICMS para banda larga de até 2 Mbps

:: 18/08/2014 10:53
Minicom aprova mais R$ 217 milhões em projetos do REPNBL

:: 12/08/2014 10:41
Reino Unido: Investimento público leva banda larga às áreas rurais

:: 04/08/2014 12:19
Brasil precisa superar o ‘par trançado’ e massificar a fibra óptica

:: 30/07/2014 18:00
Brasil somou 161 milhões de acessos ativos de banda larga no 1º semestre

:: 30/07/2014 17:57
Dilma quer Internet brasileira no padrão da Coreia do Sul

:: 28/07/2014 12:40
Quatro empresas concentram 90% do acesso em banda larga no país

:: 17/07/2014 15:14
TIM e ZTE terão centro de Pesquisa e Inovação no Brasil




Outras matérias desta seção:

ANTERIOR
Para NIC.br, seleção de empresa para medir Internet foi direcionada

PRÓXIMA
PF prende dois acusados de campanha discriminatória na Internet



Por sobrevivência, provedores precisam fugir dos serviços comuns

Sair da zona de conforto e se reinventar é imperativo para os ISPs que querem se manter no mercado, sustenta o presidente da Abranet, Eduardo Neger. E para ele só há uma alternativa: apostar na Inovação. O Marco Civil também exige novos modelos de negócios.


 ESPECIAL   GOVERNANÇA DA INTERNET
NetMundial preserva transição da ICANN e faz leve menção à neutralidade

Além de manter o prazo previsto para que as funções IANA sejam desvinculadas do governo dos EUA, a declaração final do evento global sobre a governança da Internet, realizado em São Paulo, também reforçou as críticas à vigilância. Mas cedeu à indústria do copyright.

» Comitê Gestor lança escola sobre governança da Internet
» Painel da ICANN sustenta NetMundial e "globalização" até setembro de 2015
» Governança da Internet: EUA se opõem ao modelo multilateral e conflitam com o Brasil
Clique aqui para ver o especial completo


Internet ultrapassa barreira de 500 mil redes e sofre pequenas panes
:: 15/08/2014 :: Internet

Sites e mesmo grandes redes de provedores sentiram os primeiros ‘soluços’ com a chegada ao ‘limite’ armazenamento de rotas de alguns modelos de roteadores, adverte estudo da Renesys.


Marco Civil não invalida o Direito ao Esquecimento
:: 14/08/2014 :: Internet

Relator do projeto, o deputado do PT, Alessandro Molon, se mostra otimista e diz aguardar a regulamentação para logo depois das eleições.


Teles respondem por seis em cada 10 queixas ao Consumidor.gov
:: 13/08/2014 :: Internet

Lançado como canal de mediação entre clientes insatisfeitos e empresas, o site já reúne mais de 9 mil reclamações, sendo 7,9 mil concluídas.

» Projeto prevê multa de R$ 30 mil por telemarketing indesejado

Big Data: O dilema da privacidade e as necessidades da coletividade
:: 13/08/2014 :: Internet

Tema foi debatido no II Fórum da Associação Brasileira de Anunciantes. Executivos questionam se o Marco Civil da Internet terá o efeito esperado.



Empresa investe R$ 3 milhões em app para entregas

Incube vai às compras para reforçar pagamento móvel.

» Minicom distribui R$ 4,5 milhões em concurso de apps
» App personaliza conteúdo de redes sociais
» PayULatam negocia parcerias estratégicas com as teles no Brasil


Cidades inteligentes e a Internet das Coisas
:: Por Jordi Botifoll*

Cobertura em vídeo do Convergência Digital

Veja as coberturas especiais do Convergência Digital


TICs em Foco - Internet das coisas
Oportunidades e desafios

Mais popular que nunca, a internet das coisas — ou IoT, na sigla para Internet of Things, ou ainda IoE de Internet of Everything — representa tanto uma janela de oportunidade para as empresas quanto imprime desafios monstruosos devido à imensa quantidade de máquinas conectadas à internet.


Veja a primeira edição da revista digital Alianza Latinoamericana de Medios TIC Alianza Latinoamericana
de Medios TIC


A Revista Alianza é fruto de uma aliança editorial entre os veículos InversorLatam, portal Convergência Digital e Evaluamos, da Colômbia. Nosso compromisso é retratar os pontos mais importantes de Telecom e TI na América Latina. Nessa primeira edição, tratamos de um tema que está na lista de prioridade: a governança da Internet. Boa leitura!

Clique aqui para ver todas as edições




Convergência Digital no Facebook Convergência Digital no Twitter RSS do Convergência Digital Newsletters do Convergência Digital
Copyright © 2014 Convergência Digital
Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.
Este Sítio Web é acessível via IPv6!