Home - Convergência Digital
RSS Assine gratuitamente as nossas newsletters Quem faz o Convergência Digital Fale conosco Anuncie aqui
Cloud Computing CD TV Carreira Blog Capital Digital



Home - Internet

Banda larga: Sob pressão, Anatel diz que medição está indefinida

:: Luís Osvaldo Grossmann
:: Convergência Digital :: 22/03/2012

Apesar da qualidade do debate realizado pelo Senado Federal sobre a medição da qualidade da banda larga, Anatel, operadoras e a empresa que será responsável pela fiscalização evitaram tratar da principal crítica ao modelo proposto: a fragilidade de uma medição feita somente dentro da rede das prestadoras. Mas a insistência do NIC.br de que essa é uma questão chave no sistema já produziu um efeito: no debate na Comissão de Ciência e Tecnologia, a Anatel alegou que o conceito exposto na seleção da aferidora pode mudar. “O modelo será construído até outubro. O ponto de medição está em discussão”, afirmou o superintendente de Serviços Privados da Anatel – e coordenador do grupo de implementação da qualidade – Bruno Ramos. Como destacou logo de início o conselheiro do Comitê Gestor da Internet e diretor-presidente do NIC.br, Demi Getschko, “é essencial que a medição seja feita em um ponto fora da rede da operadora”. “As medições sempre foram feitas no PTT em um equipamento diferente da rede da operadora. Senão, ficamos sujeitos a resultados que podem ser mascarados”, emendou o diretor de desenvolvimento do NIC.br, Milton Kashiwakura. O debate, no entanto, centrou-se principalmente em dois pontos: o entendimento de que a Anatel, e não as operadoras, é quem deveria financiar a Entidade Aferidora da Qualidade; e o consequente impacto na legitimidade dos resultados. “Como é possível uma empresa, que tem relações de mercado com quem deve fiscalizar, garantir a neutralidade?”, questionou o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), autor do requerimento para a audiência pública. Segundo ele, ao arrecadar cerca de R$ 4 bilhões por ano apenas no Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (Fistel), a Anatel deveria ela mesma custear a medição da qualidade. Desenho Quando a Anatel definiu as normas sobre a medição da qualidade, estabeleceu que ela se daria “do terminal do assinante ao PTT”, considerado um ponto “entre redes de transporte de diferentes prestadoras”. Era outubro de 2011. Em fevereiro de 2012, uma comissão formada pelas principais operadoras, coordenada pela agência, redefiniu aquele conceito, determinando que “os pontos de medição serão pontos de presença na rede da prestadora”. A mudança, agora tratada como não-definitiva, está em linha com a principal reivindicação das empresas. Afinal, o título da primeira manifestação do Sinditelebrasil, em agosto de 2011, já indicava: Modelo de medição da qualidade dos serviços de banda larga deve se restringir às redes das prestadoras.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 


:: Leia também:

:: 15/10/2014 14:12
Com GVT, Telefônica quer fazer frente à Net na banda larga fixa

:: 10/10/2014 14:30
Banda larga: a economia digital e a perspectiva da demanda

:: 09/10/2014 11:40
Embate entre governo e oposição adia novamente MP com desonerações

:: 08/10/2014 17:10
Câmara adia votação da MP que prorroga desoneração do REPNBL

:: 08/10/2014 17:00
Banda larga: Na móvel, Brasil cresce. Na fixa, país perde para a Bósnia

:: 08/10/2014 16:55
Banda larga fixa: Com GVT, Telefônica supera Oi e chega no Grupo Telmex

:: 08/10/2014 16:22
Teles rechaçam ideia de implantar fibra óptica no país inteiro

:: 07/10/2014 17:46
Banda larga fixa: Com GVT, Telefônica supera Oi e chega no Grupo Telmex

:: 03/10/2014 10:36
Furukawa amplia nacionalização atenta às linhas do FINAME e do cartão BNDES

:: 30/09/2014 11:30
Banda larga: Brasil perde posições e tem velocidade média de 2,9 Mbps




Outras matérias desta seção:

ANTERIOR
Para NIC.br, seleção de empresa para medir Internet foi direcionada

PRÓXIMA
PF prende dois acusados de campanha discriminatória na Internet



Abranet 2014 - Desafios e Oportunidades: Profissionais de Internet

IPv6: Quanto mais demorar, mais cara a migração vai ficar

Essa foi a avaliação feita pelo presidente da Associação Brasileira da Internet - Abranet, Eduardo Nejer, que defende que o assunto seja tratado como prioridade máxima nos próximos meses no Brasil.

CDTV Abranet apela ao associado para responder pesquisa TIC Provedores
CDTV Brasil quer fazer um cadastro nacional de provedores Internet
Clique aqui para ver a cobertura completa


Impedidas de “alugar” endereços, teles apostam em IP compartilhado
:: 29/10/2014 :: Internet

“Não queríamos colocar o NAT. Há risco de acessibilidade, a latência aumenta, e há, claro, o custo”, diz o diretor do Sinditelebrasil, Alexander Castro.

» Operadoras prometem redes IPv6 em 2015
» NIC.br adverte: provedores, preparem suas redes para o IPv.6

Operadoras prometem redes IPv6 em 2015
:: 28/10/2014 :: Internet

Dúvida é se os equipamentos e terminais dos usuários estarão aptos, assim como aplicações importantes, a exemplo de serviços bancários ou de governo eletrônico.


NIC.br adverte: provedores, preparem suas redes para o IPv.6
:: 27/10/2014 :: Internet

Para Ricardo Patara, do NIC.br, a hora de mudar é essa e se faz necessário acelerar o processo, principalmente, para os pequenos e médios ISPs, que não têm legado nas suas infraestruturas.


Web no celular: Anatel cobra da Vivo transparência na mudança de planos
:: 23/10/2014 :: Internet

“Falamos com as empresas, mas efetivamente apenas uma delas, a Vivo, confirmou que fará alteração nos planos. O que colocamos é que deve ser respeitada a regra de transparência, com notificações aos clientes 30 dias antes dos efeitos”, explicou o presidente do Conselho de Usuários da Anatel, Rodrigo Zerbone.



Vodafone faz acordo para M2M com a BMW no Brasil

O BMW i3 vai usar SimCard da operadora, que atua no Brasil há pouco mais de um ano.

» 4G chega a 4,2 milhões de acessos
» Malware ameaça os apps móveis
» Brasil lidera mercado de apps móveis


Internet das Coisas vai obrigar mudanças no Marco Civil da Internet
:: Por Eduardo Prado

Cobertura em vídeo do Convergência Digital

Veja as coberturas especiais do Convergência Digital

 ESPECIAL   GOVERNANÇA DA INTERNET
NetMundial preserva transição da ICANN e faz leve menção à neutralidade

Além de manter o prazo previsto para que as funções IANA sejam desvinculadas do governo dos EUA, a declaração final do evento global sobre a governança da Internet, realizado em São Paulo, também reforçou as críticas à vigilância. Mas cedeu à indústria do copyright.

» Poder econômico contra-ataca e tenta ficar com o controle da Internet
» Comitê Gestor lança escola sobre governança da Internet
» Painel da ICANN sustenta NetMundial e "globalização" até setembro de 2015
Clique aqui para ver o especial completo


TICs em Foco - Internet das coisas
Oportunidades e desafios

Mais popular que nunca, a internet das coisas — ou IoT, na sigla para Internet of Things, ou ainda IoE de Internet of Everything — representa tanto uma janela de oportunidade para as empresas quanto imprime desafios monstruosos devido à imensa quantidade de máquinas conectadas à internet.





Convergência Digital no Facebook Convergência Digital no Twitter RSS do Convergência Digital Newsletters do Convergência Digital
Copyright © 2014 Convergência Digital
Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.
Este Sítio Web é acessível via IPv6!