INTERNET

Ministra da Cultura diz que Internet favorece a pirataria

Luiz Queiroz ... 22/03/2012 ... Convergência Digital

A Ministra da Cultura, Ana de Hollanda, debateu nesta quarta-feira, 21/03, na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados sobre o combate à pirataria. E em nenhum momento procurou diferenciar o compartilhamento de conteúdo na Internet daquilo que seria praticado pelo crime organizado - a cópia de obras audiovisuais. Ficou patente que, para Ana de Hollanda, o compartilhamento não autorizado, leia-se pago, de música, filmes e vídeos na Internet seria um ato de pirataria. E isso, no seu entender, poderá "acabar com a produção cultural nacional".

"Hoje em dia a pirataria é feita assim. É copiado através da internet, e isso se multiplica, está sendo distribuído e vendido pela internet. Daí a preocupação do MinC com essas questões", destacou. A ministra não levou em conta a possibilidade deste conteúdo estar sendo compartilhado na rede, mas sem fins lucrativos.

Também falou sobre a nova legislação do Direito Autoral, que segundo ela, estaria em avaliação na Casa Civil e em breve será encaminhada ao Congresso. Não entrou em detalhes sobre a postura da sua pasta em relação à nova legislação. Apenas esclareceu que no tocante ao Escritório Central de Arrecadação - ECAD a nova legislação prevê um controle desse organismo, que seria privado e não estaria sob a esfera de controle do seu ministério.

Porém, na nova legislação a ministra disse que procurou ouvir alguns setores que se sentiam escluídos da discussão. Justamente a indústria do Copyright, que vem colocando Ana de Hollanda em oposição à rede social. "A versão inicial não estava madura para ser mandada como estava e vários setores argumentaram que não haviam sido ouvidos", alegou.

CDTV gravou trecho da transmissão da audiência pública da Comissão de Educação em que Ana de Hollanda defende o combate à pirataria. As imagens são da Câmara dos Deputados.


Quase metade dos provedores de internet atua no máximo em 3 cidades

Pesquisa TIC Provedores também mostra que a grande maioria dessas empresas (78%) se vale de infraestrutura própria para fornecer conexões.

'Tudo sobre todos': bloqueio imposto pela justiça às teles pode virar 'jogo de gato e rato'

O bloqueio do site poderá levar dias para ser aplicado, admitiu o procurador do RN, Kleber Martins. Para o advogado Walter Capanema, a medida é correta técnicamente, mas pode virar um paliativo. Mas para o advogado Paulo Rená, a sentença não reconhece a escala global da Internet.

Google enfrenta Justiça e se recusa a globalizar 'direito de ser esquecido'

Empresa norte-americana adota eliminação seletiva de conteúdo e descumpre, segundo reguladores da França, a setença determinada em setença pelo Tribunal de Justiça Europeu, em maio passado. No Brasil, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB/Rio) apresentou um projeto semelhante, mas ele não foi adiante.

Justiça diverge ao tipificar punição ao Facebook por conteúdo indevido

Sentenças no Brasil não têm tido uma mesma diretriz, especialmente, em tipificar possíveis danos morais por parte da rede social.

Revista Abranet 13 . Junho 2015
Veja edição 13 da Revista Abranet - Assossiação Brasileira de Internet Pesquisa inédita encomendada pela Abranet ao IBPT mostrou a relevância do segmento de Internet, cujas empresas faturaram R$ 144,7 bilhões em 2014. No período de 2012 a 2014, foram gerados 51.180 novos postos de trabalho, um incremento de 17,5%.
Clique aqui para ver outras edições