Cloud ComputingConvergência Digital
Simplificar é palavra de ordem para teles em cloud

Convergência Digital - Hotsite Cloud Computing
:: Da redação :: 22/03/2012

A Pyramid Research divulgou esta semana, na Europa, o estudo “Como as Telcos Europeias Atendem as Necessidades das Empresas por Computação em Nuvem”. O estudo examina as tendências que estão pressionando as operadoras em direção ao cloud computing. Uma delas: entre junho do ano passado e junho de 2012, os serviços em nuvem serão adotados por 2.500 pequenas e médias empresas europeias.

Por conta disso, a pesquisa identifica os principais direcionadores por trás da adoção de cloud computing pelas empresas e discute como elas os traduzem em requisitos específicos. Finalmente, o estudo analisa os diversos tipos de modelos de serviços que vem sendo desenvolvidos pelos provedores de nuvem, incluindo o estudo de caso de três operadoras que oferecem serviços em nuvem B2B: Orange France, KPN e Telefonica.

O mais emblemático deles é o da Orange, que desenvolveu um set abrangente de serviços em nuvem, com apelo para vários segmentos de negócios. Para atingir este objetivo, a Orange fechou parcerias com empresas como Cisco, VMware e EMC, passando a oferecer soluções de infraestrutura como serviço (IaaS), incluindo serviços de nuvem privada e de backup; e de software como serviço (SaaS), incluindo segurança e serviços de comunicações unificadas.

Em junho do ano passado, a Orange lançou o Cloud Pro, uma suíte de aplicativos online para pequenas e médias empresas. Desenhado para pequenos negócios de até 50 funcionários, o serviços oferece acesso à la carte a uma série de softwares de negócios para colaboração, administração, marketing, comunicação e CRM.

“Além de oferecer aplicativos e capacidade computacional aos seus clientes, a Orange conta com um serviço de atendimento aos clientes ampliado, que os educa sobre os benefícios da computação em nuvem. Nós acreditamos que é crítico para as operadoras educar seus clientes, tornando-se conselheiras e principal ponto de contato das pequenas empresas para todas as suas necessidades de TI e comunicação”, defende Ewa Romaniuk-Calkowska, analista da Pyramid.

O estudo conclui que a computação em nuvem dá às operadoras de telecom a oportunidade de ampliar suas ofertas de serviços para o mercado corporativo. Mais que isso, podem ajudar as empresas a aumentar a retenção de clientes, o retorno sobre o investimento e criar novas fontes de receita.

Com a demanda das empresas por um ponto único de contato para todas as suas necessidades de TIC, e a expectativa de que a integração seja simplificada, a Pyramid Research afirma que uma estratégia de cloud computing coerente está se tornando pré-requisito para que as operadoras consigam crescer no segmento corporativo.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 

 Matérias relacionadas com o assunto Cloud Computing  

:: 15/04/2014 12:15
Brasil supera a fase do e-mail e leva mais aplicações para a nuvem

:: 14/04/2014 17:40
Na Europa, carros elétricos usam a nuvem

:: 09/04/2014 16:05
Brasil responderá por 3% do volume de dados mundial em 2014

:: 04/04/2014 14:45
EMC reforça aposta em proteção de dados como serviço

:: 01/04/2014 15:36
Telefónica investe em open source na nuvem

:: 24/03/2014 12:10
Quando os dados em excesso viram um problema real

:: 20/03/2014 18:00
Os seus dados estão subaproveitados?

:: 18/03/2014 19:10
Contact centers: em busca de uma estratégia para a nuvem

:: 14/03/2014 17:00
2014: começa a era do compartilhamento das nuvens?

:: 12/03/2014 16:25
Hora de replicar modelo Amazon, Google e Facebook

Opinião
Cloud Computing: desafio das teles está no serviço
:: Por Nelson Campelo*

Oferecer soluções de colaboração, voz e vídeo na nuvem estão muito perto do negocio-fim das operadoras. A dúvida é saber se as teles vão driblar as barreiras naturais para atender, de forma satisfatória, os seus clientes.



VídeosMais vídeos



Destaques

Big data e mobilidade impõem datacenters inteligentes

O datacenter do futuro estará focado não na carga, mas, sim, no fluxo de trabalho. A importância da localização também se reduzirá, dando lugar a o que estará sendo feito.


Energia trava crescimento de datacenters no Brasil

Diretor do Gartner, Henrique Cecci, fala ainda sobre a obrigatoriedade dos dados no Brasil -ponto retirado do Marco Civil. "Isso era uma bobagem que custaria às empresas".


CFOs se rendem à nuvem

Boa parte dos gestores financeiros admite que os serviços de cloud, aliados à mobilidade e às redes sociais, exigem mudanças no ambiente de trabalho.


No Brasil, PMEs são o motor econômico dos serviços na nuvem

Estudo da Frost&Sullivan diz que o mercado de computação em nuvem gerou US$328,3 milhões no ano passado e chegará, em 2017, a R$ 1,1 bilhão.


Internet das Coisas: o desafio da privacidade

Com projeção de receita em US$ 300 bilhões até 2020, o novo negócio implica mudanças nos data centers.


Copyright © 2014 Convergência Digital            Todos os direitos reservados.            É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.