Cloud ComputingConvergência Digital
Simplificar é palavra de ordem para teles em cloud

Convergência Digital - Hotsite Cloud Computing
:: Da redação :: 22/03/2012

A Pyramid Research divulgou esta semana, na Europa, o estudo “Como as Telcos Europeias Atendem as Necessidades das Empresas por Computação em Nuvem”. O estudo examina as tendências que estão pressionando as operadoras em direção ao cloud computing. Uma delas: entre junho do ano passado e junho de 2012, os serviços em nuvem serão adotados por 2.500 pequenas e médias empresas europeias.

Por conta disso, a pesquisa identifica os principais direcionadores por trás da adoção de cloud computing pelas empresas e discute como elas os traduzem em requisitos específicos. Finalmente, o estudo analisa os diversos tipos de modelos de serviços que vem sendo desenvolvidos pelos provedores de nuvem, incluindo o estudo de caso de três operadoras que oferecem serviços em nuvem B2B: Orange France, KPN e Telefonica.

O mais emblemático deles é o da Orange, que desenvolveu um set abrangente de serviços em nuvem, com apelo para vários segmentos de negócios. Para atingir este objetivo, a Orange fechou parcerias com empresas como Cisco, VMware e EMC, passando a oferecer soluções de infraestrutura como serviço (IaaS), incluindo serviços de nuvem privada e de backup; e de software como serviço (SaaS), incluindo segurança e serviços de comunicações unificadas.

Em junho do ano passado, a Orange lançou o Cloud Pro, uma suíte de aplicativos online para pequenas e médias empresas. Desenhado para pequenos negócios de até 50 funcionários, o serviços oferece acesso à la carte a uma série de softwares de negócios para colaboração, administração, marketing, comunicação e CRM.

“Além de oferecer aplicativos e capacidade computacional aos seus clientes, a Orange conta com um serviço de atendimento aos clientes ampliado, que os educa sobre os benefícios da computação em nuvem. Nós acreditamos que é crítico para as operadoras educar seus clientes, tornando-se conselheiras e principal ponto de contato das pequenas empresas para todas as suas necessidades de TI e comunicação”, defende Ewa Romaniuk-Calkowska, analista da Pyramid.

O estudo conclui que a computação em nuvem dá às operadoras de telecom a oportunidade de ampliar suas ofertas de serviços para o mercado corporativo. Mais que isso, podem ajudar as empresas a aumentar a retenção de clientes, o retorno sobre o investimento e criar novas fontes de receita.

Com a demanda das empresas por um ponto único de contato para todas as suas necessidades de TIC, e a expectativa de que a integração seja simplificada, a Pyramid Research afirma que uma estratégia de cloud computing coerente está se tornando pré-requisito para que as operadoras consigam crescer no segmento corporativo.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 

 Matérias relacionadas com o assunto Cloud Computing  

:: 30/03/2015 09:27
Serasa Experian vai investir R$ 25 milhões em big data

:: 20/03/2015 09:55
Nordeste vai certificar profissionais para computação em nuvem

:: 18/03/2015 14:37
Ford e Microsoft unem nuvem e carro conectado

:: 13/03/2015 11:14
Santander Brasil se diz pronto para a nuvem pública

:: 09/03/2015 15:33
Unicamp terá MiniCloud pública com a IBM

:: 09/03/2015 13:24
Nuvem privada reina na cloud brasileira

:: 25/02/2015 16:59
Cloud é foco da Interactive Intelligence na América Latina

:: 23/02/2015 09:33
Nokia usa potencial do rádio em solução de cloud

:: 10/02/2015 16:14
Big data: para não doer no bolso e na alma

:: 06/02/2015 16:36
Santander entra na briga pelo serviço na nuvem

Opinião
Dados pessoais proporcionais ao poder
:: Alberto Esteves Ferreira Filho e Andreia de Andrade Gomes *


VídeosMais vídeos




Destaques

Big data desenvolvido no Brasil pela EMC simplifica criação de aplicações

Plataforma criada no país reduz o prazo de implementação do big data de nove meses para uma semana.


Duas em cada três empresas brasileiras estão indo para a nuvem

Certificações passam a ser diferencial na escolha do provedor.


CIOs: pensem além do dia de hoje

Cloud computing entrou no radar dos gestores de TI, mas muitos pensam nela para resolver problemas imediatos.


Falta maturidade e apenas 10% das empresas brasileiras adotam o big data

Mas 29% dizem que vão investir ainda em 2015.


Big data puxa projeto de Internet das Coisas no Brasil

Mesmo com a preferência dos CIOs pela nuvem privada, a nuvem pública deverá crescer 50% esse ano. A compra de dispositivos móveis representará cerca de 45% dos investimentos de TI.


Copyright © 2005-2015 Convergência Digital            Todos os direitos reservados.            É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.