NEGÓCIOS

Por medo de fraudes, 30% dos pedidos de compras online são rejeitados na América Latina

Ana Paula Lobo e Rodrigo dos Santos ... 20/03/2012 ... Convergência Digital

Um dos maiores entraves para o comércio eletrônico é o medo, por parte dos lojistas, das fraudes nas vendas virtuais. E para evitar prejuízos - e ruídos de comunicação com o consumidor - 30% dos lojistas da América Latina rejeitam pedidos de compras via Internet, percentual 10 vezes maior do que o registrado, por exemplo, nos Estados Unidos, onde esse índice, em 2011, ficou em 2,8%.

Para minimizar o medo das fraudes online, nesta terça-feira, 20/03, a Cielo anunciou uma aliança estratégica com a Cybersource e oferecerá, inclusive para outras bandeiras de meios de pagamentos, uma solução de detecção de fraudes eletrônicas. No Brasil, o índice de fraudes - com perdas efetivas para o lojista, de acordo com a Cielo, está em 0,75% das transações online, revela o vice-presidente executivo de produtos e negócios da Cielo, Eduardo Chedid. Mundialmente a perda do lojista por transação fraudulenta é orçada em US$ 250.

No mundo físico, afirma ainda a Cielo, com a adoção do cartão de crédito com chip pelos bancos brasileiros - uma migração iniciada há 15 anos, o índice de fraudes caiu para 0,04%. "Posso garantir que o Brasil está no estado de arte no mundo dos cartões de crédito", sustenta Eduardo Chedid. O momento, agora, é o de levar essa perfomance para o mundo online e, mais adiante, para o móvel, grande expectativa de mercado para vendas virtuais.

A Cielo, hoje, tem 9 mil clientes ativos/mês para pagamentos online e diz que há muito espaço para crescer no Brasil. No ano passado, a Cielo capturou mais de 80 milhões de transações em lojas virtuais, o que representou cerca de 7% do total de pagamentos intermediados pela empresa, ou o equivalente a 28 bilhões de reais.

No evento realizado na capital paulista, o diretor geral da Cybersource para a América Latina, Guilhermo Rospigliosi, mandou um recado aos interessados em apostar no comércio eletrônico: não há ferramenta capaz de reduzir as fraudes 100%. "As fraudes fazem parte do comércio eletrônico. É do negócio. Mas temos a obrigação de minimiza-las", afirmou.

Segundo ainda o executivo, o comércio eletrônico deverá movimentar US$ 1 trilhão em 2012. Em 2011, a América Latina gerou US$ 35 bilhões, sendo que o Brasil respondeu por 65% - US$ 22,75 milhões. Na parte de fraudes, nos EUA, o prejuízo, no ano passado, foi estimado em US$ 3,4 bilhões, com um tiquete médio de transação fraudulenta em US$ 250.

Em entrevista exclusiva à CDTV, do Convergência Digital, o vice-presidente executivo da Cielo, Eduardo Chedid, fala sobre a evolução do comércio eletrônico no Brasil; da intervenção do governo no pagamento móvel e diz que o país precisa agir para criar leis que punam os cibercriminosos e diz que, em breve, os cartões de débito também farão parte do modelo online de vendas. Assista.


OAB diz que veto ao UBER também proíbe apps de táxis no Distrito Federal

Entidade encaminhou um parecer ao governador Rodrigo Rollemberg solicitando o veto ao PL 282/2015, que foi feito para proibir o UBER, mas afeta toda a inovação, segundo a OAB.

Windows 10: Microsoft centra atenção na loja de aplicativos

Para clientes corporativos, o novo sistema operacional só estará disponível no dia 1 de agosto. A atualização é gratuita para quem tem Windows 7 ou Windows 8.1.

NEC vence licitação para Centro Aquático dos Jogos Olímpicos do Rio

Fabricante vai implementar e integrar sistemas de automação às diversas tecnologias utilizadas na unidade, que receberá até 18 mil espectadores.

Acordo na OMC vai zerar tarifas em cerca de 200 produtos de TI. Brasil está fora

Tratativas para ampliar o acordo, originalmente firmado em 1996, envolve 54 países e inclui itens como semicondutores, aparelhos de GPS e videogames. Mesmo de fora, o Brasil poderá ter algum benefício dessa medida.

ITAG garante RFID para microempresas via cartão BNDES

Radiofrequência padrão GS1 pode ser adquirida com o cartão da instituição financeira do governo federal junto a empresa homologada pela Associação Brasileira de Automação.