INOVAÇÃO

Corte do orçamento obriga revisão de projetos no MCTI

Da redação ... 16/03/2012 ... Convergência Digital

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, disse nesta quinta-feira, 16/03, que a pasta vai contornar “as dificuldades” em consequência do corte orçamentário anunciado pelo governo por meio de parcerias com instituições ligadas ao setor e com a priorização de projetos. Raupp participou da aula inaugural da Coordenação dos Programas de Pós-Graduação em Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ).

No mês passado, o governo informou que o ministério perderia cerca de 22% dos valores originalmente previstos na Lei Orçamentária Anual, o que corresponde a uma fatia de R$ 1,48 bilhão dos R$ 6,7 bilhões iniciais.

“O ministério pretende distribuir os cortes de uma maneira que a gente sofra menos, escolhendo projetos que são prioritários e não cortando neles. Em segundo lugar, fazendo parcerias com a Petrobras, com a Coppe, que teve autorização para financiar o Projeto Ciência sem Fronteiras”, afirmou, ressaltando, no entanto, que o ideal seria que a pasta não tivesse os recursos diminuídos. “Conseguindo parcerias a gente vai superando essas dificuldades, mas evidentemente temos que trabalhar sempre para não ter cortes”, acrescentou.

Em sua palestra, ele destacou que países com tradição em ciência e tecnologia, como os Estados Unidos, as principais economias da Europa e o Japão, embora enfrentem os efeitos da crise econômica, “têm apostado decididamente nos investimentos em ciência, tecnologia e inovação”, com estímulo tanto para a busca das fronteiras do conhecimento, como para a utilização do conhecimento produzido pelas empresas e pela sociedade.

“Essa é uma marca de países que têm tido sucesso e querem continuar a exercer papel de liderança no mundo. Não abandonam jamais nenhum desses dois lados da moeda [ciência e tecnologia de um lado e inovação de outro]. É uma lição que a gente tem que tirar. Diminuir essas atividades gera grandes prejuízos, difíceis depois de serem recuperados”, advertiu.

Fonte: Agência Brasil


Resiliência e Segurança
Se a TI parar quanto essa falha vai custar para o seu negócio?

Estudo adverte aos gestores de TI: se a resiliência não for integrada na adoção inicial de cloud, as organizações estarão aceitando riscos, quer realizem isso ou não.

Falha na criptografia pode 'matar' as bitcoins

Um dos principais desenvolvedores da moeda digital anunciou que está deixando o projeto por reconhecer que a bitcoin 'se tornou um sistema que pode falhar e controlado por apenas algumas pessoas".

Brasil terá centro para implantação de cidades inteligentes

Unidade ficará dentro do Instituto Nacional de Telecomunicações - Inatel e é resultado de uma parceria firmada com a Tacira. Uma das ações é formar profissionais especializados na área.

Projeto piloto testa fibra óptica como meio de transmissão de energia elétrica

Tecnologia nacional foi desenvolvida pelo CPqD e pela Cemig, Companhia energética de Minas Gerais. A prova de conceito está sendo feita na região metropolitana de Belo Horizonte. Meio poderá também levar banda larga às regiões remotas do país.

Carro conectado: Indústria automobilística enfrenta o poder da Apple e do Google

As montadoras Toyota e Ford anunciaram que terão um sistema operacional próprio e prometem agregar novas fabricantes para impedir o domínio das grandes companhias de TI.  As teles tentaram travar batalha semelhante, mas não conseguiram resistir.

BNDES aprova R$ 56,5 milhões para radar de defesa antiaérea

Capaz acompanhar múltiplos alvos aéreos simultâneos voando a distâncias de até 200 km, em altitudes de até 20 km, o SABER M200, do Exército, será apoiado pelo Fundo Tecnológico e pela linha de Inovação do Banco. Tecnologia também tem potencial para uso civil.

CADE atesta que UBER não 'usurpou' o mercado de táxis

Estudo do Departamento de Estudos Econômicos diz que o UBER atendeu a uma parcela da população que não utilizava o serviço de táxi tradicional.

CADE: Regulador não existe para deixar setores tradicionais na 'zona de conforto'

Ao falar sobre a disputa entre o Uber e os taxistas, o economista-chefe do CADE, Luiz Esteves, disse que não cabe ao órgão regulador ser um 'apoio/suporte' para segmentos produtivos. CADE deve se pronunciar, na próxima semana, sobre ação movida pelos taxistas contra concorrência predatória pelo aplicativo.



  • Copyright © 2005-2016 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G