Cloud ComputingConvergência Digital
HP, de olho na nuvem, renova serviços corporativos

Convergência Digital - Hotsite Cloud Computing
:: Fabio Barros :: 18/03/2012

Exatamente um mês após o lançamento da linha de servidores ProLiant Gen8, a HP anunciou seu novo portfólio de serviços voltados para ambientes convergentes e computação em nuvem. O anúncio global aconteceu nesta quinta-feira, 15/03, e o objetivo da companhia é fazer com que seus clientes atinjam uma taxa de resolução de problemas de 96% no primeiro atendimento.

Em entrevista ao Convergência Digital, Luis Albejante, gerente de negócios e marketing para serviços da HP Technology Services, explicou que o novo pacote de serviços – chamado Always On Support Services - é parte do plano de transformação para o mercado de servidores que a companhia vem implementando desde novembro do ano passado. “Os novos serviços vão suportar a nova geração de servidores com o diferencial de uma abordagem mais preditiva e proativa”, diz o executivo.

Em outras palavras, a intenção da HP é tirar proveito das funcionalidades de auto diagnóstico dos novos servidores e oferecer um serviço que avise seus clientes sobre possíveis falhas, antes que aconteçam. Outra característica ressaltada por Albejante é a centralização: a companhia que se tornar o único ponto de contato entre os clientes e seus fornecedores.

“Por exemplo, dentro de um data center, se nosso serviço detectar um problema que não seja em nossos equipamentos, nós vamos entrar em contato com o fornecedor para solucioná-lo, e não o cliente”, diz. Para servir a esta característica, foram montados em todos o mundo diversos call centers específicos para atender os clientes do novo serviço. Um destes call centers ficará em São Paulo, onde atendentes brasileiros atenderão os clientes em português.

De acordo com Albejante, as mudanças segue a tendência do mercado, que hoje conta com ambientes virtualizados, com múltiplos fornecedores, ou em nuvem, com interdependência em toda a infraestrutura de TI. O executivo explicou que o novo portfólio será dividido em quatro áreas:

- HP Foundation Care – inclui serviços básicos de suporte a hardware e software. Aqui a HP passa a funcionar como ponto único de contato, mesmo para equipamentos e softwares de terceiros.

- HP Proactive Care – oferta de serviços proativos e preditivos, tirando vantagem das funcionalidades de auto gerenciamento da nova linha de servidores Gen8.

- HP Datacenter Care – com foco em ambientes complexos, é um plano de suporte fechado em conjunto com o cliente, com alto nível de personalização.

- Serviços por evento – permite aos clientes a compra de serviços avulsos.

Albejante lembra que, em cada uma das áreas, há uma série de serviços que podem ser escolhidos pelas empresas de acordo com suas necessidades. “Cada cliente poderá definir seus parâmetros de serviços e isso é que vai determinar o preço”, afirmou.

O novo portfólio estará disponível no Brasil a partir de abril, na HP e seus canais, quando for iniciada a comercialização da nova linha de servidores no País e a expectativa da companhia é que em 100% das vendas do ProLiant Gen8 haja componentes do novo pacote de serviços incluídos. “Haverá dois modelos de comercialização: as empresas poderão antecipar a compra, incluindo o pacote de serviços na compra da solução, ou poderão adquiri-los depois, na modalidade de contrato anual”.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 

 Matérias relacionadas com o assunto Cloud Computing   HP  

:: 13/06/2012 10:00
HP desafia rivais para demarcar território

:: 05/06/2012 10:10
Por big data, HP confronta rival EMC

:: 18/03/2012 10:04
HP, de olho na nuvem, renova serviços corporativos

:: 23/02/2012 12:03
HP: presença de software em servidores deve aumentar

:: 14/02/2012 09:35
Nuvem e parceiros são estratégicos para a HP

:: 14/02/2012 09:34
HP investe US$ 300 mi em nova linha de servidores

Soluções de TI Simples
CSO: pronto para assumir a culpa nas violações da segurança

Empresas e governos buscam um profissional para assumir a gestão dos sistemas de dados. O cargo não é para fracos. Exige habilidade e 'jogo de cintura' diante da rotina de trabalho.

» Fui invadido. Minha marca está arranhada. Como reagir?
» Não deixe a TI causar um estrago incalculável
» Mídias sociais e cloud: quando o dano se alastra em tempo real

Opinião
Big Data e indústria: é hora de entender e aprender a usar
:: Por Camilo Rubim*

VídeosMais vídeos



Destaques

Para EMC Brasil, teles e bancos puxam a adoção do big data

O presidente da empresa, Carlos Cunha, diz que o mercado nacional amadureceu para o uso de serviços de computação na nuvem, mas precisa de apoio para implementar essas soluções. O desafio, agora, é formar os cientistas de dados.


Na guerra da nuvem, Microsoft ativa data center brasileiro

Unidade é a primeira da empresa na América Latina e está localizada em São Paulo. O centro de dados servirá para consolidar os negócios de IaaS da empresa no país e servirá ainda para atender clientes dos países da região.


Banco do Brasil admite que big data desafia a área de TI

Vice-presidente de tecnologia do Banco do Brasil, Geraldo Afonso Dezena da Silva, diz que o banco está usando o big data para entender o comportamento do seu correntista. Já sobre computação em nuvem, o banco é conservador: a nuvem privada é a escolha.


Big data: qual é a linha entre ser ou não ser ético?

Como fazer quando as empresas começam a saber mais de nós do que nós mesmos?


Falta conhecimento para extrair valor do big data

Questão é o desafio número 1 para boa parte dos gestores de TI no país.


Copyright © 2014 Convergência Digital            Todos os direitos reservados.            É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.