Home - Convergência Digital
RSS Assine gratuitamente as nossas newsletters Quem faz o Convergência Digital Fale conosco Anuncie aqui
Cloud Computing CD TV Carreira Blog Capital Digital



Home - Governo - Política Industrial

Senado quer discutir novo marco legal para informática

:: Luís Osvaldo Grossmann
:: Convergência Digital :: 15/03/2012

O Senado Federal vai começar a discutir um novo marco legal para o setor de informática, com o objetivo de atualizar as regras de incentivos ao uso do software nacional, desonerações fiscais e estímulos ao mercado por meio de compras governamentais.

Proposta pelo senador Walter Pinheiro (PT-BA), uma audiência conjunta das comissões de Infraestrutura e Ciência e Tecnologia vai ouvir representantes do governo – ministérios de Ciência e Tecnologia e do Planejamento, além do BNDES – e entidades do setor como Assespro, Abes, Softex e Fenainfo.

A ideia de revisar a Lei de Informática vem ganhando adeptos nos últimos anos, a começar pelo próprio governo, que chegou a encomendar um “amplo estudo” para identificar as deficiências da legislação e os caminhos mais indicados para uma alteração da norma.

Na prática, diferentes avaliações sustentam que a Lei de Informática envelheceu, visto que trata essencialmente da montagem de equipamentos no país (hardware), enquanto o mercado atual se desenvolve principalmente no campo dos aplicativos (software).

No ano passado, o então ministro de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, insistiu diversas vezes que a Lei de Informática é, principalmente, um instrumento para equilibrar o resto do país aos incentivos oferecidos pela Zona Franca de Manaus.

A indústria também defende mudanças. Segundo a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), ainda que tenha colaborado para reduzir o mercado cinza de computadores e celulares, a lei precisa ser modernizada para buscar a fabricação de componentes e semicondutores.

Estudo

Encomendado em 2010 pelo MCT ao Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, um estudo sobre a Lei de Informática concluiu que o “principal problema é que os incentivos fiscais são direcionados para a indústria de hardware, enquanto que o núcleo dinâmico da indústria se deslocou para software e serviços”.

Os estímulos fiscais a produção de equipamentos favoreceram a montagem local, mas apresenta problemas relativos à baixa agregação de valor. Entre 1998 e 2008 as vendas da indústria de TICs saltaram de R$ 10 bilhões para R$ 50 bilhões, mas com clara redução da fatia nacional nos ganhos.

“O estudo constatou uma queda do valor adicionado local já que os insumos importados passaram de 28% do faturamento em 2005 para 58% em 2008. Houve também um aumento substancial na importação de produtos acabados.” O câmbio desfavorável também é fator importante nesse desempenho.

Ao concluir a avaliação, o CGEE defende cinco premissas que devem fazer parte de uma nova política para o setor:

1) Promover a integração da indústria brasileira em cadeias globais de valor;
2) Fortalecimento das empresas e ICTs nacionais de TICs;
3) Construção de um programa nacional de formação e capacitação de recursos humanos em TICs
4) Construção do plano estratégico para software e serviços de tecnologias da informação
5) Aperfeiçoamento da gestão das políticas de TICs.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 


:: Leia também:

:: 10/09/2014 15:25
TI e Telecom se unem e pedem revisão imediata da Lei de Informática

:: 20/08/2014 11:00
Lei de Informática: MCTI vai mudar análise dos investimentos em P&D

:: 16/07/2014 19:56
Lei de Informática é prorrogada até 2029

:: 04/06/2014 19:36
Câmara prorroga Lei de Informática por 10 anos

:: 21/05/2014 16:50
Lei de Informática: CTI Renato Archer vai analisar passivo dos relatórios de P&D

:: 08/04/2014 10:57
Proposta da Abinee atrai setor de software para a Lei de Informática

:: 07/04/2014 19:00
Abinee entrega proposta de revisão da Lei de Informática ao governo

:: 02/04/2014 15:20
Abinee leva projeto ao Governo para mudar a Lei de Informática

:: 19/03/2014 20:50
Prorrogação da Lei de Informática esquenta votação sobre Zona Franca

:: 18/03/2014 19:35
Prorrogação do Polo de Manaus avança, mas Lei de Informática é incerta




Outras matérias desta seção:

ANTERIOR
Indústria monta mobilização nacional contra desindustrialização

PRÓXIMA
Abinee: Fust menor para quem comprar pelo menos 60% de equipamentos nacionais



Veja a segunda edição da revista digital Alianza Latinoamericana de Medios TIC Alianza Latinoamericana
de Medios TIC . nº 2


Nesta segunda edição, tratamos de um tema que está na lista de prioridade dos gestores de TI: o BIG DATA

A Revista Alianza é fruto de uma aliança editorial entre os veículos InversorLatam, portal Convergência Digital e Evaluamos, da Colômbia. Nosso compromisso é retratar os pontos mais importantes de Telecom e TI na América Latina.

Clique aqui para ver outras edições

 ESPECIAL   ESPIONAGEM DIGITAL
Snowden: Segurança Cibernética dos EUA coloca outros países em risco

Ex-espião da NSA, Edward Snowden, fez novas revelações em entrevista à Wired. “Pode-se ter alguém na China, por exemplo, fazendo parecer que um desses ataques teve origem na Rússia. E aí terminamos disparando de volta contra um hospital russo”, afirmou.

» Yahoo e Google anunciam e-mail à prova de espionagem
» Espionagem: Snowden ganha asilo por mais três anos na Rússia
» Criptografia nacional é segura e não deve nada ao mercado internacional
Clique aqui para ver a cobertura completa


SLTI prepara normas específicas para contratos de redes e auditorias
:: 12/09/2014 :: Compras governamentais

Duas novas instruções normativas vão especificar a compra de serviços e o uso de redes de comunicações com base na exigência de que sejam fornecidos por empresas públicas.


IN 4: Cada órgão definirá serviços estratégicos, dispensados de licitação
:: 12/09/2014 :: Compras governamentais

Segundo a Secretaria de Logística e TI, ideia é tornar os “estratégicos” menos abrangentes, uma vez que os serviços enquadrados nessa categoria podem ser distintos a depender da atividade. Para evitar dúvidas, vigência das novas regras não será imediata.


Nova IN 4 cria exceção de segurança nacional nas contratações de TI
:: 12/09/2014 :: Compras governamentais

Principal instrumento para a contratação de serviços de TI na administração pública federal, a Instrução Normativa 4 ganhou alterações que entram em vigor a partir do dia 2 de janeiro. O portal Convergência Digital publica a íntegra da nova legislação.

» SLTI prepara normas específicas para contratos de redes e auditorias
» IN 4: Cada órgão definirá serviços estratégicos, dispensados de licitação

TI e Telecom se unem e pedem revisão imediata da Lei de Informática
:: 10/09/2014 :: Política industrial

Representantes dos dois setores reclamam da visão concentrada da legislação na produção de hardware, quando software e serviços passam a ter mais relevância nos negócios. A legislação foi recém-renovada e terá validade até 2029.



Veja as coberturas especiais do Convergência Digital


Cobertura em vídeo do Convergência Digital





Convergência Digital no Facebook Convergência Digital no Twitter RSS do Convergência Digital Newsletters do Convergência Digital
Copyright © 2014 Convergência Digital
Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.
Este Sítio Web é acessível via IPv6!