Home - Convergência Digital

Celulares de segunda linha atraem investimentos móveis no Brasil

Convergência Digital - Carreira
:: Ana Paula Lobo - 14/03/2012

Com a expectativa que os features phones, os celulares mais populares com acesso à Internet, e os celulares 2G ainda dominarem a base de terminais ativos até 2017 - hoje menos de 20% dela são de smartphones, segundo dados da Anatel - a israelense Emoze negocia com os fabricantes locais de celulares para utilizar a sua aplicação de e-mail embutida.

Expectativa é que 2 milhões de terminais considerados de segunda linha tenham a solução ainda este ano. Na América Latina, esse número sobe para 5 milhões, uma vez que a empresa também negocia presença nos mercados da Argentina, Colômbia e outros.

Em entrevista ao Convergência Digital, o executivo responsável pelas estratégicas da Emoze para Brasil e América Latina, Hélio Diamont, diz que os fabricantes de terminais são os seus clientes. "As operadoras serão usuárias, mas não negociamos com elas", sustenta.

Aqui, diz Diamont, conversa com fabricantes como CCE, Intelbrás, Motorola, Alcatel One Touch e outras para que eles embutam a solução de e-mail nos celulares vendidos no mercado, especialmente, os dedicados ao pré-pago, que responde por mais de 80% da base nacional.

A solução da Emoze, explica ainda o executivo, dependendo do modelo do aparelho, permite baixar e ver arquivos anexados ao e-mail, tais como texto, música, fotos e também acessar chats entre telefones e chats das rede sociais (Facebook, Google Talk, etc). O contrabando, assume Diamont, é um problema a ser enfrentado.

"Sabemos que há muitos feature phones entrando de maneira ilegal no país. A nossa solução pode ser uma maneira de atrair o consumidor para a compra de um aparelho legalizado. Ele terá serviços oficiais e com garantia", diz.

Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas ao redor do mundo usam a solução da Emoze em aparelhos de diversos fabricantes. Entre os parceiros internacionais da Emoze estão a MediaTek e a Qualcomm. E embora trabalhe, agora, com alvo nos celulares chamados de segunda linha, a empresa também se prepara para o domínio dos smartphones, tanto que tem uma solução voltada para os celulares Android.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 

LEIA TAMBÉM:

16/04/2014
UOL Host capacita parceiros para avançar nas PMEs

10/04/2014
No Brasil, Whatsapp chega a 74% dos usuários de celulares

08/04/2014
Qualcomm lança chip para 4K

03/04/2014
Apps móveis: Portugal mira negócios no Brasil

31/03/2014
Mobilidade: salários estão chegando a R$ 12 mil

25/03/2014
FIESP promove maratona para apps

18/03/2014
Inmetro aposta em app para medição de serviços

17/03/2014
Brasileiro prefere aplicativo gratuito e usa pouco apps locais

11/03/2014
Aeronáutica lança app para prevenção e investigação de acidentes

11/03/2014
Talentos brasileiros: um lugar para os apps

Destaques
Destaques

700 MHz: Para TVs, custo da transição será ‘surpreendente’

Emissoras voltam a pedir que a venda da faixa obedeça os critérios: primeiro os testes, o cuidado com a mitigação de interferências e, só então, o edital. Segundo a Abert, o valor envolvido é grande demais para um tratamento pouco cuidadoso - algo em torno de R$ 6 bilhões.

Roteadores Wi-Fi terão mais espectro nos EUA

FCC ampliou em 100 MHz a capacidade disponível na faixa não licenciada dos 5 GHz utilizada, junto da faixa de 2,4 GHz.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Mobile Wallet: você já tem a sua?

:: Por Cristiane Higashi*

Caberá ao varejo, as operadoras e as grandes empresas do consumo o papel de massificar o uso da carteira móvel no país. E fica uma certeza: quem não entrar nessa disputa, será ultrapassado pela concorrência.


Copyright © 2014 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site