Home - Convergência Digital

Celulares de segunda linha atraem investimentos móveis no Brasil

Convergência Digital - Carreira
:: Ana Paula Lobo - 14/03/2012

Com a expectativa que os features phones, os celulares mais populares com acesso à Internet, e os celulares 2G ainda dominarem a base de terminais ativos até 2017 - hoje menos de 20% dela são de smartphones, segundo dados da Anatel - a israelense Emoze negocia com os fabricantes locais de celulares para utilizar a sua aplicação de e-mail embutida.

Expectativa é que 2 milhões de terminais considerados de segunda linha tenham a solução ainda este ano. Na América Latina, esse número sobe para 5 milhões, uma vez que a empresa também negocia presença nos mercados da Argentina, Colômbia e outros.

Em entrevista ao Convergência Digital, o executivo responsável pelas estratégicas da Emoze para Brasil e América Latina, Hélio Diamont, diz que os fabricantes de terminais são os seus clientes. "As operadoras serão usuárias, mas não negociamos com elas", sustenta.

Aqui, diz Diamont, conversa com fabricantes como CCE, Intelbrás, Motorola, Alcatel One Touch e outras para que eles embutam a solução de e-mail nos celulares vendidos no mercado, especialmente, os dedicados ao pré-pago, que responde por mais de 80% da base nacional.

A solução da Emoze, explica ainda o executivo, dependendo do modelo do aparelho, permite baixar e ver arquivos anexados ao e-mail, tais como texto, música, fotos e também acessar chats entre telefones e chats das rede sociais (Facebook, Google Talk, etc). O contrabando, assume Diamont, é um problema a ser enfrentado.

"Sabemos que há muitos feature phones entrando de maneira ilegal no país. A nossa solução pode ser uma maneira de atrair o consumidor para a compra de um aparelho legalizado. Ele terá serviços oficiais e com garantia", diz.

Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas ao redor do mundo usam a solução da Emoze em aparelhos de diversos fabricantes. Entre os parceiros internacionais da Emoze estão a MediaTek e a Qualcomm. E embora trabalhe, agora, com alvo nos celulares chamados de segunda linha, a empresa também se prepara para o domínio dos smartphones, tanto que tem uma solução voltada para os celulares Android.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 

LEIA TAMBÉM:

22/10/2014
TIM facilita venda de ingressos de futebol pelo celular

22/10/2014
Aplicativos atraem jovens brasileiros para a Internet

21/10/2014
CETIP se rende ao aplicativo móvel

20/10/2014
PROTESTE faz app para registro de queixas de consumo

20/10/2014
TIM investe em compartilhamento de dados

20/10/2014
Pais usam app gratuito para vigiar filhos

18/10/2014
Robô usa inteligência artificial a partir de processador de smartphone

17/10/2014
Valparaíso, GO, usa open source para gestão escolar

14/10/2014
Mercado corporativo dá sobrevida ao SMS no Brasil

10/10/2014
INOVApps: Depois dos recursos, conheça as empresas habilitadas

Destaques
Destaques

Compartilhamento: Anatel cobra licenciamento duplo de Oi e Tim

Empresas firmaram acerto para compartilhar antenas 4G, mas a agência sustenta que apesar das ERBs representarem um único conjunto de equipamentos a serem licenciados, o uso de radiofrequências distintas implica que o pagamento do Fistel deve ser feito por ambas as operadoras.

» Anatel espera Lei das Antenas para decidir sobre compartilhamento de torres

Anatel não tem pressa para vender fatia que sobrou em 700 MHz

Presidente da agência, João Rezende, descarta a inclusão da faixa no megaleilão de sobras de frequência, programado para 2015. E diz que o preço - R$ 2,7 bilhões- será mantido para o novo comprador.

» Anatel autoriza 70-80 GHz para ‘backhaul sem fio’

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Billing das coisas: o desafio de remunerar parceiros de serviços no cenário da IoT

:: Por Sandra Lis Granado*


Copyright © 2014 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site