Home - Convergência Digital
RSS Assine gratuitamente as nossas newsletters Quem faz o Convergência Digital Fale conosco Anuncie aqui
Cloud Computing CD TV Carreira Blog Capital Digital



Home - Governo

Anatel abre sindicância sobre o sistema de distribuição de processos

:: Luiz Queiroz e Luis Osvaldo Grossmann
:: Convergência Digital :: 08/03/2012

A Anatel abriu uma sindicância para investigar o sistema de distribuição de processos aos conselheiros. Em especial, tem na mira um mecanismo que permite o bloqueio de integrantes do colegiado no momento do sorteio, deixando um ou mais deles de fora de determinado caso.

“Se tiver alguma denúncia de que um processo foi bloqueado indevidamente, tem que fazer sindicância e apurar. Estou fazendo sindicância em um”, explicou o presidente da Anatel, João Rezende.

O caso em questão busca avaliar por que determinado conselheiro foi “bloqueado” para receber o processo relativo a uma licitação preparada pela agência sobre satélites. Mas é possível que não se trate de um episódio isolado.

Clique na imagem para vê-la maior
[Clique na imagem para ampliá-la]
Ao menos é o que sugere uma troca de e-mails (clique na imagem ao lado para ampliar) entre funcionários da área de informática da Anatel, ocorrida no fim do ano passado, que expõe a rotina existente no Sistema de Deliberação do Conselho Diretor.

“O SCDC possui uma antiga funcionalidade de bloqueio de conselheiro, que é utilizada quando eles não querem que determinado processo vá para um dos conselheiros”, diz um dos e-mails, datado de 30 de novembro de 2011.

A explicação, dada por uma funcionária terceirizada da área de informática à então Gerente de Estruturação da Informação, busca explicar o constrangimento percebido no primeiro sorteio público dos processos, dois dias antes.

Naquele 28 de novembro, o presidente da Anatel, João Rezende, esperava realizar a primeira sessão pública da sua gestão, para mostrar a distribuição de processos e a designação de relatores. Não deu certo, como relatou a funcionária.

“No último sorteio realizado antes do sorteio público, o usuário bloqueou o gabinete ER para que um processo não fosse sorteado para esse gabinete e esqueceu de desbloqueá-lo. Com isso, no dia do sorteio público, o gabinete ER ficou fora do sorteio. ”

Com a identificação de que a conselheira Emília Ribeiro (ER, no e-mail) ficou “fora”, a distribuição pública precisou ser novamente realizada no dia seguinte, 29/11.

Para ajudar nesse e em futuros casos, a área de informática explica que criou uma rotina no sistema para que, diariamente, seja feita uma “limpeza” que apague qualquer traço de bloqueios.

“Não acredito em má-fé. É um problema do sistema. Não se pode extrapolar isso para um problema sistêmico da Anatel. Agora, vamos aperfeiçoar o sistema para cobrir o máximo de situações possíveis”, afirma João Rezende.

Ele explica que a ferramenta de bloqueio é necessária dentro da metodologia da agência. Por exemplo, o conselheiro que relata um processo administrativo fica impedido de cuidar do pedido de reconsideração do mesmo caso.

“Sempre vai haver algumas condições onde você vai ter que bloquear. Esse caso da conselheira Emília foi o Regimento Interno, que ela teve que sair porque ela é a proponente”, explica Rezende. A falha, no caso, é que ela não foi “desbloqueada” para o sorteio seguinte.

Como nem todos os casos de impedimento estão previstos no Regimento Interno, uma das intenções é ampliar as possibilidades no novo regulamento, em discussão. “Vamos trabalhar na melhoria do sistema e temos que fazer algumas alterações no regimento”, diz o presidente da agência.

Com um levantamento que indica uma distribuição homogênea pela quantidade de processos distribuídos a cada conselheiro, Rezende descarta manipulações. “Tenho certeza que não há manipulação no sorteio. Confio plenamente. Seria um escândalo fenomenal”, completa.

Pelo sim, pelo não, o relator da proposta de reestruturação da Anatel, Marcelo Bechara, defende o fortalecimento do setor de informática no novo organograma da Anatel. “Até por isso acho que devemos ter uma superintendência de TI”, adianta.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 


:: Leia também:

:: 17/04/2015 20:45
Ministério da Cultura denuncia censura do Facebook e reclama soberania brasileira

:: 17/04/2015 16:00
Rio Info 2015: Desoneração da folha é política estruturante do TI Maior

:: 17/04/2015 13:55
Justiça: serviços SCM só podem ser prestados com licença da Anatel

:: 17/04/2015 13:00
TCU manda Correios anular pregão de rede IP que passou de R$ 783 milhões

:: 15/04/2015 13:00
Google é indiciado e pode ser multado em até US$ 6,6 bi

:: 15/04/2015 10:44
Anatel manda Oi liberar ligação gratuita nos orelhões em 15 estados

:: 15/04/2015 09:55
Para enfrentar os chineses, Nokia compra Alcatel-Lucent por US$ 15,6 bilhões

:: 14/04/2015 15:11
Neutralidade: Teles e TVs pagas se aliam e vão à Justiça contra a FCC

:: 14/04/2015 15:04
Apenas 4% dos correntistas brasileiros fazem operações financeiras no banco móvel

:: 14/04/2015 11:04
Com preços mais baixos, venda de PCs cresce e impulsiona mercado de Informática




Outras matérias desta seção:

ANTERIOR
Brasil reage, mas ainda é lanterna nos BRICs

PRÓXIMA
Azeredo vai liderar C&T na Câmara, mas não prioriza crimes cibernéticos



 ESPECIAL   ESPIONAGEM DIGITAL
Ex-diretor diz que segurança cibernética do governo está nas mãos de "dois vampiros e um 'zumbi'"

Congresso Nacional de Segurança CibernéticaFoi assim que o ex-diretor do Departamento de Segurança da Informação e Comunicações (DSIC), Raphael Mandarino, se referiu ao Serpro e à Dataprev, além da Telebras. Para ele, as ações do Governo Dilma são "patéticas" na área de Segurança.

» Brasil ainda luta para por em prática medidas contra espionagem
» NSA e aliados têm chaves criptográficas para ouvir celulares em todo o mundo
» Espionagem: Comunicações do governo seguem vulneráveis
Clique aqui para ver a cobertura completa


TCU manda Correios anular pregão de rede IP que passou de R$ 783 milhões

Por conta de “irregularidades graves”, o Tribunal de Contas da União deu 15 dias aos Correios para que reiniciem todo o processo ou apenas a fase de lances. Na disputa entre Claro e BT Brasil, está última acabou sendo vencedora com valor bem abaixo do estimado, mas na sequência reajustou proposta em 444%. Para o TCU, falhas começaram já no edital.


Terceirização: Para TST, até sanção pela presidência, súmula 331 é a Lei

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho, Antonio José de Barros Levenhagen, sustentou que sem a sanção do projeto, a terceirização para as atividades-fim das empresas seguirá proibida no Brasil. Senado diz que tema não será 'atropelado' na Casa.


Governo designa canais 7 a 13 para TV Digital

Portaria do Ministério das Comunicações publicada nesta segunda-feira, 13/4, oficializa a promessa de uso do VHF alto e dá preferencia aos canais públicos do Executivo, Educação, Cultura, além do Canal da Cidadania.


Telecom: nova lei dá segurança à terceirização prevista na LGT

Lei Geral de Telecomunicações já previa a contratação de terceiros para “atividades inerentes, acessórias ou complementares ao serviço”, mas ainda assim mais de 10 mil processos trabalhistas questionam essa legalidade apenas no terreno dos call centers.

» Terceirização: Para advogado, "pejotização é uma fraude trabalhista e fiscal"


Veja as coberturas especiais do Convergência Digital


Cobertura em vídeo do Convergência Digital





Convergência Digital no Facebook Convergência Digital no Twitter RSS do Convergência Digital Newsletters do Convergência Digital
Copyright © 2005-2015 Convergência Digital
Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.
Este Sítio Web é acessível via IPv6!