Home - Convergência Digital
RSS Assine gratuitamente as nossas newsletters Quem faz o Convergência Digital Fale conosco Anuncie aqui
Cloud Computing CD TV Carreira Blog Capital Digital



Home - Internet

Internet: Software escolhido pelas teles não atende requisitos da Anatel

:: Luís Osvaldo Grossmann
:: Convergência Digital :: 01/03/2012
O programa escolhido pelas teles, com respaldo da Anatel, para verificar as conexões à Internet não atende os critérios definidos na regulamentação. Ele não apresenta indicadores importantes e funciona com um sistema que favorece avaliações positivas.

Trata-se do Speedtest, desenvolvido pela americana Ookla, disponível gratuitamente pelo endereço www.speedtest.net. Acontece que, sozinho, o programa informa apenas dois dos sete indicadores previstos no Regulamento de Gestão da Qualidade: velocidade e latência bidirecional.

Ficam de fora, portanto, elementos importantes sobre a performance da rede, como jitter (variação de latência) e a taxa de perda de pacotes – esta última essencial para serviços como VoIP, por exemplo. O Speedtest também não informa data e hora, além da localização da medição.

Para aproximar os resultados do que é exigido na regulamentação é preciso que os internautas rodem um segundo programa, Pingtest.net (caso mantidos os softwares da Ookla). Mas não tendo sido informados pelo órgão regulador, quantos consumidores farão os dois testes?

Além disso, o histórico dos testes – que permite aos internautas chegarem à média mensal das velocidades, por norma nunca inferior a 60% da nominal – é armazenado localmente, sendo totalmente perdido caso o usuário precise ou queira reinstalar seu computador.

Medição sob medida

Mas ainda que esses problemas fossem superados, resta a forma como a medição escolhida funciona. Os testes são feitos basicamente com protocolo HTTP, através do download de um arquivo de imagem no formato .png (uma espécie de sucessor do .gif).

Além disso, as medições que estão sendo feitas pelo Speedtest não acontecem em Pontos de Troca de Tráfego, os PTTs, mas nos servidores mais próximos aos clientes – em muitos casos, dentro das redes das próprias prestadoras dos serviços.

Para especialistas, isso permite a utilização de mecanismos que alteram o resultado do teste de velocidade. Caso as prestadoras tenham vários servidores de teste instalados em diferentes pontos de sua rede, o usuário fará teste sempre no mais próximo, testando apenas um pequeno trecho.
Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 


:: Leia também:

:: 26/02/2015 11:53
Consumidor paga menos por serviços de comunicação

:: 25/02/2015 16:57
Abinee: Confiança dos empresários aumenta, mas ainda é baixa

:: 25/02/2015 10:54
Projeto de lei nos EUA tenta barrar “globalização” da ICANN

:: 24/02/2015 17:11
Dispositivos móveis são alvos de malwares em 2015

:: 23/02/2015 11:44
Softex: apoio a exportadores em canais de distribuição termina hoje

:: 23/02/2015 10:56
FGV: Marco Civil da Internet impede o "acesso grátis"

:: 20/02/2015 18:07
Telecom Italia investirá R$ 14 bi no Brasil até 2017

:: 19/02/2015 11:32
Tribunal ainda vê resultados da Lei de Informática como "questionáveis"

:: 13/02/2015 12:11
TIM monta plano para enfrentar crise energética, mas não descarta falhas

:: 12/02/2015 11:05
Banda larga fixa: 57% das cidades brasileiras têm apenas um único fornecedor




Outras matérias desta seção:

ANTERIOR
Procon/SP tira dois portais de comércio eletrônico do ar

PRÓXIMA
Facebook muda para atrair mercado corporativo



Abranet 2014 - Desafios e Oportunidades: Profissionais de Internet

IPv6: Quanto mais demorar, mais cara a migração vai ficar

Essa foi a avaliação feita pelo presidente da Associação Brasileira da Internet - Abranet, Eduardo Nejer, que defende que o assunto seja tratado como prioridade máxima nos próximos meses no Brasil.

CDTV Abranet apela ao associado para responder pesquisa TIC Provedores
CDTV Brasil quer fazer um cadastro nacional de provedores Internet
Clique aqui para ver a cobertura completa


Projeto de lei nos EUA tenta barrar “globalização” da ICANN

Republicanos tentam novamente adiar, via parlamento, o fim do vínculo entre a entidade de gerencia os endereços na Internet e o governo dos Estados Unidos. Mas a própria preparação dessa transição enfrenta dificuldades e a data de 30/9, prevista para a “internacionalização” do controle sobre a ICANN, dificilmente será cumprida.


FGV: Marco Civil da Internet impede o "acesso grátis"

Mas a entidade, que elaborou a base do projeto que virou a Lei 12.965/14, vê espaço para acordos de ‘serviços especializados’, ainda que com restrições. Proposta faz parte da consulta do CGI.br sobre a regulamentação das Lei, especialmente sobre as exceções à neutralidade de rede. “A exceção é uma necessidade técnica, não uma porta dos fundos que permite acordos comerciais proibidos’, diz a FGV Direito Rio.


Teles temem que Marco Civil reforce neutralidade de rede

“Devíamos nos centrar em princípios e atuar depois, caso haja alguma violação”, defende o presidente da TIM, Rodrigo Abreu.


Marco Civil: Quem tem a real obrigação da guarda dos logs?

Quem tem o poder de guardar ou não essas informações e por quanto tempo são questões a serem esclarecidas na regulamentação do Marco Civil da Internet. O uso dos logs para a venda de informações é o ponto mais crítico do debate.



Brasil somou 6,8 milhões de acessos 4G em 2014, calculam operadoras

No total, conexões móveis chegaram ao fim de dezembro com 167,8 milhões de acessos. Segundo levantamento das empresas, o serviços de quarta geração já chega a 42% da população brasileira.

» Dados móveis: 10% dos assinantes consomem 80% do tráfego 3G e 4G
» TIM investe em plano para PMEs
» Corte de Internet leva Ministério da Justiça notificar Vivo, Claro, Tim e Oi


A regulamentação do Marco Civil da Internet
:: Por Paulo Sá Elias*

Cobertura em vídeo do Convergência Digital

Veja as coberturas especiais do Convergência Digital

 ESPECIAL   GOVERNANÇA DA INTERNET
EUA e aliados rejeitam proposta brasileira de proteção à privacidade

Em entrevista ao portal da Abranet, que o Convergência Digital republica, Thiago Tavares, um dos conselheiros do CGI e que esteve presente à PP-14 de 29/10 a 7/11, realizada em Busan, na Coréia do Sul, diz que há discussões graves para serem tocadas em 2015. Entre elas, uma proposta- rejeitada - da Índia, mas que pode colocar em risco à Internet.

» Governança da Internet: América Latina no centro das atenções
» Pressionada por novas rejeições, NetMundial Initiative muda estrutura
» Brasil vira alvo na guerra fria pelo comando da Internet
Clique aqui para ver o especial completo


TICs em Foco - Internet das coisas
Oportunidades e desafios

Mais popular que nunca, a internet das coisas — ou IoT, na sigla para Internet of Things, ou ainda IoE de Internet of Everything — representa tanto uma janela de oportunidade para as empresas quanto imprime desafios monstruosos devido à imensa quantidade de máquinas conectadas à internet.


Veja edição 11 da Revista Abranet - Assossiação Brasileira de Internet REVISTA ABRANET . 11

Na discussão sobre o que vai prevalecer — fibra óptica ou rádio — na construção das infraestruturas, vence quem souber explorar o que cada tecnologia tem de melhor a oferecer.

Veja também: Cidades Digitais: Governo convoca provedores; A transição da IANA foi destaque no ICANN#51; Billing das coisas: quando cobrar certo será o diferencial; e muito mais.

Clique aqui para ver outras edições




Convergência Digital no Facebook Convergência Digital no Twitter RSS do Convergência Digital Newsletters do Convergência Digital
Copyright © 2005-2015 Convergência Digital
Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.
Este Sítio Web é acessível via IPv6!