Cloud ComputingConvergência Digital
Governo do Panamá cria nuvem privada

Convergência Digital - Hotsite Cloud Computing
:: Da redação :: 24/02/2012

O governo federal do Panamá, por meio da AIG (Autoridade de Inovação Governamental), anunciou que está construindo uma nuvem privada, que será utilizada para oferecer serviços a instituições governamentais. A estrutura será construída sobre a tecnologia de Infraestrutura Convergente da HP, que venceu a concorrência por meio de seu parceiro panamenho, SmartBytes.

A justificativa para o projeto é que muitas organizações oficiais enfrentam desafios similares quando precisam suprir as necessidades que diferentes instituições internas possuem para processamento de informações. Isso somado ao crescimento dos custos totais de infraestrutura e às restrições de capacidade total de processamento formam os principais obstáculos que estas organizações enfrentam na hora de estruturar seu ambiente de TI.

Além disso, a AIG enfrentava um desafio extra relativo à quantidade de pessoal exigido para atender às expectativas de levar sua infraestrutura de TI para a nuvem. Para superá-los, a AIG precisava de uma solução escalável, confiável e que garantisse redução nos custos de infraestrutura, ao mesmo tempo em que permitisse mais flexibilidade na hora de atender à demanda.

Após um processo de concorrência, a organização optou pela tecnologia HP CloudSystem Matrix como base para levar sua infraestrutura para a nuvem e passar a oferecer serviços a partir dela. A nova plataforma permitirá que a AIG responda a seus usuários e, ao mesmo tempo, simplifique a criação de serviços em nuvem que facilitem o provisionamento de infraestrutura sob demanda.

“Precisávamos de uma solução que atendesse nossos desafios de TI e criasse o ambiente necessário para a entrega de infraestrutura a nossos clientes. A HP nos trouxe convergência e flexibilidade, ajudando a cumprir nossas expectativas”, afirma Eduardo Jaén, executivo da AIG.

A infraestrutura utilizada no projeto é composta por um kit Blade Matrix Starter, que inclui:

• 1 servidor Enclosure C7000
• 5 servidores BL 460 G7
• 1 servidor DL 360 G7
• 1 VirtualConnect FC & Ethernet
• 1 Enterprise Virtual Array (EVA) 4400
• 8 discos de 450 GB

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 

 Matérias relacionadas com o assunto Cloud Computing  

:: 29/07/2014 14:45
No Brasil, apenas 8% das empresas assumem ter serviços de cloud

:: 07/07/2014 13:43
Endereço dos dados será irrelevante

:: 01/07/2014 16:42
Brasil ainda tem muito espaço para novos data centers

:: 26/06/2014 12:33
Procuram-se arquitetos de dados no Brasil

:: 28/05/2014 10:13
Globalweb investe em centros de treinamento

:: 21/05/2014 10:30
Armazenamento é a aplicação mais procurada na nuvem brasileira

:: 12/05/2014 10:03
Big data dá fôlego ao IaaS

:: 28/04/2014 15:13
Justiça ordena que provedores repassem dados ao governo dos EUA

:: 09/04/2014 16:05
Brasil responderá por 3% do volume de dados mundial em 2014

:: 24/03/2014 12:10
Quando os dados em excesso viram um problema real

Soluções de TI Simples
Porta aberta à falha na Segurança

Levantamento mostra que 15% dos órgãos públicos não têm qualquer estratégia voltada para garantir a proteção dos seus dados.

» CSO: pronto para assumir a culpa nas violações da segurança
» Não deixe a TI causar um estrago incalculável
» Mídias sociais e cloud: quando o dano se alastra em tempo real

Opinião
Como será a rede SDN na América Latina?
:: Por Hector Silva*

VídeosMais vídeos



Destaques

Para EMC Brasil, teles e bancos puxam a adoção do big data

O presidente da empresa, Carlos Cunha, diz que o mercado nacional amadureceu para o uso de serviços de computação na nuvem, mas precisa de apoio para implementar essas soluções. O desafio, agora, é formar os cientistas de dados.


Na guerra da nuvem, Microsoft ativa data center brasileiro

Unidade é a primeira da empresa na América Latina e está localizada em São Paulo. O centro de dados servirá para consolidar os negócios de IaaS da empresa no país e servirá ainda para atender clientes dos países da região.


Banco do Brasil admite que big data desafia a área de TI

Vice-presidente de tecnologia do Banco do Brasil, Geraldo Afonso Dezena da Silva, diz que o banco está usando o big data para entender o comportamento do seu correntista. Já sobre computação em nuvem, o banco é conservador: a nuvem privada é a escolha.


Big data: qual é a linha entre ser ou não ser ético?

Como fazer quando as empresas começam a saber mais de nós do que nós mesmos?


Falta conhecimento para extrair valor do big data

Questão é o desafio número 1 para boa parte dos gestores de TI no país.


Copyright © 2014 Convergência Digital            Todos os direitos reservados.            É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.