Cloud ComputingConvergência Digital
Governo do Panamá cria nuvem privada

Convergência Digital - Hotsite Cloud Computing
:: Da redação :: 24/02/2012

O governo federal do Panamá, por meio da AIG (Autoridade de Inovação Governamental), anunciou que está construindo uma nuvem privada, que será utilizada para oferecer serviços a instituições governamentais. A estrutura será construída sobre a tecnologia de Infraestrutura Convergente da HP, que venceu a concorrência por meio de seu parceiro panamenho, SmartBytes.

A justificativa para o projeto é que muitas organizações oficiais enfrentam desafios similares quando precisam suprir as necessidades que diferentes instituições internas possuem para processamento de informações. Isso somado ao crescimento dos custos totais de infraestrutura e às restrições de capacidade total de processamento formam os principais obstáculos que estas organizações enfrentam na hora de estruturar seu ambiente de TI.

Além disso, a AIG enfrentava um desafio extra relativo à quantidade de pessoal exigido para atender às expectativas de levar sua infraestrutura de TI para a nuvem. Para superá-los, a AIG precisava de uma solução escalável, confiável e que garantisse redução nos custos de infraestrutura, ao mesmo tempo em que permitisse mais flexibilidade na hora de atender à demanda.

Após um processo de concorrência, a organização optou pela tecnologia HP CloudSystem Matrix como base para levar sua infraestrutura para a nuvem e passar a oferecer serviços a partir dela. A nova plataforma permitirá que a AIG responda a seus usuários e, ao mesmo tempo, simplifique a criação de serviços em nuvem que facilitem o provisionamento de infraestrutura sob demanda.

“Precisávamos de uma solução que atendesse nossos desafios de TI e criasse o ambiente necessário para a entrega de infraestrutura a nossos clientes. A HP nos trouxe convergência e flexibilidade, ajudando a cumprir nossas expectativas”, afirma Eduardo Jaén, executivo da AIG.

A infraestrutura utilizada no projeto é composta por um kit Blade Matrix Starter, que inclui:

• 1 servidor Enclosure C7000
• 5 servidores BL 460 G7
• 1 servidor DL 360 G7
• 1 VirtualConnect FC & Ethernet
• 1 Enterprise Virtual Array (EVA) 4400
• 8 discos de 450 GB

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 

 Matérias relacionadas com o assunto Cloud Computing  

:: 07/07/2014 13:43
Endereço dos dados será irrelevante

:: 01/07/2014 16:42
Brasil ainda tem muito espaço para novos data centers

:: 01/07/2014 09:35
Guerra de 'titãs' baixa os preços de SaaS. Software brilha em compras de TI

:: 26/06/2014 12:33
Procuram-se arquitetos de dados no Brasil

:: 28/05/2014 10:13
Globalweb investe em centros de treinamento

:: 21/05/2014 10:30
Armazenamento é a aplicação mais procurada na nuvem brasileira

:: 12/05/2014 10:03
Big data dá fôlego ao IaaS

:: 28/04/2014 15:13
Justiça ordena que provedores repassem dados ao governo dos EUA

:: 09/04/2014 16:05
Brasil responderá por 3% do volume de dados mundial em 2014

:: 24/03/2014 12:10
Quando os dados em excesso viram um problema real

Soluções de TI Simples
Grupo Martins abre espaço para os tablets

Varejista, no entanto, se preocupou em desenhar uma política de segurança para minimizar os riscos e garantir a produtividade.

» CSO: pronto para assumir a culpa nas violações da segurança
» Fui invadido. Minha marca está arranhada. Como reagir?
» Não deixe a TI causar um estrago incalculável

Opinião
Big Data e indústria: é hora de entender e aprender a usar
:: Por Camilo Rubim*

VídeosMais vídeos



Destaques

Para EMC Brasil, teles e bancos puxam a adoção do big data

O presidente da empresa, Carlos Cunha, diz que o mercado nacional amadureceu para o uso de serviços de computação na nuvem, mas precisa de apoio para implementar essas soluções. O desafio, agora, é formar os cientistas de dados.


Na guerra da nuvem, Microsoft ativa data center brasileiro

Unidade é a primeira da empresa na América Latina e está localizada em São Paulo. O centro de dados servirá para consolidar os negócios de IaaS da empresa no país e servirá ainda para atender clientes dos países da região.


Banco do Brasil admite que big data desafia a área de TI

Vice-presidente de tecnologia do Banco do Brasil, Geraldo Afonso Dezena da Silva, diz que o banco está usando o big data para entender o comportamento do seu correntista. Já sobre computação em nuvem, o banco é conservador: a nuvem privada é a escolha.


Big data: qual é a linha entre ser ou não ser ético?

Como fazer quando as empresas começam a saber mais de nós do que nós mesmos?


Falta conhecimento para extrair valor do big data

Questão é o desafio número 1 para boa parte dos gestores de TI no país.


Copyright © 2014 Convergência Digital            Todos os direitos reservados.            É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.