TELECOM

TIM investirá R$ 3 bilhões em 2012

Ana Paula Lobo ... 16/02/2012 ... Convergência Digital
A TIM investirá R$ 3 bilhões em 2012 e, de acordo com o presidente da operadora, Luca Luciani, o nome do jogo da telefonia móvel segue sendo a transmissão. A maior parte dos recursos previstos para o Brasil, dentro dessa estratégia, será alocada na ampliação da infraestrutura de rede - capacidade 2G, fibra óptica e 3G.

Em teleconferência de resultados do quarto trimestre de 2011, realizada nesta quinta-feira, 16/02, Luca Luciani sustentou que apesar do forte ritmo registrado na telefonia celular no ano passado, o país seguirá tendo um crescimento relevante em 2012, impulsionado, segundo ele, pela substituição da voz fixa pela móvel.

Luciani lembrou que a TIM, ao longo do ano passado, quando investiu R$ 2,9 bilhões, dobrou a capacidade da rede 2G para melhorar a qualidade do serviço de voz e também retomou os investimentos em 3G, chegando a mais de 500 municípios. Para este ano, também dentro da diretriz de apostar nas classes C, D e E, as regiões Norte e Nordeste vão concentrar os investimentos em rede e serviços, até em função dos problemas de qualidade e capacidade registrados ao longo do ano passado.

Estratégicamente, a Internet móvel desponta como o grande alvo a ser conquistado este ano. Segundo o presidente da TIM Brasil, a banda larga via rede móvel será o segundo maior mercado do país em 2016 e vai ultrapassar o mercado de Internet fixa e de voz fixa.

Luciani também destacou que, apesar de a operadora ter mirado os assinantes das classes C, D e E, com o Infinity Web, o que dá acesso para usuários pré-pago a R$ 0,50 - que terminou o ano com 17,5 milhões de usuários únicos mensais, quase o dobro do contabilizado no início do ano - 9,6 milhões - também houve um crescimento de 30% na base de assinantes pós-pagos. O ARPU - receita média mensal por usuário - ficou em R$ 21,09, mantendo a média dos últimos quatro trimestres.

Outro dado comemorado pela TIM foi o baixo subsídio para os terminais celulares - que em 2010, representaram R$ 290 milhões, e em 2011, ficou praticamente em zero. Ainda assim, a base de clientes com smartphones está em 27% - em janeiro de 2011 era de apenas 10%.

E, ao falar do mercado nacional, Luciani destacou que os resultados da TIM a distanciam cada vez mais da terceira colocada - Claro, da América Móvil, com quem travou uma árdua batalha pela segunda colocação nos últimos tempos - e a aproximam da Vivo, que lidera o ranking.

Resultados

A TIM obteve lucro líquido de RS 405 milhões no quarto trimestre de 2011, com queda acima de 78% em relação a igual período de 2010, quando registrou R$ 1,8 bilhão, impactado pelo efeito de crédito fiscal e pelo ganho com variação cambial sobre a dívida.

No ano, o lucro chegou a R$ 1,2 bilhão, aumento de 65,4% em comparação com R$ 777 milhões (orgânicos) em 2010. A receita líquida total alcançou R$ 4,6 bilhões no trimestre, um aumento de 19,4%. A receita líquida com serviços apresentou um crescimento anual de 16,8% chegando a R$4,2 bilhões. No ano, a receita líquida passou de R$ 17 bilhões, 18% que os R$ 14,4 bilhões de 2010.

O Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) alcançou R$1,3 bilhão em 4T11, representando uma expansão de R$104 milhões sobre 4T10 (ou +8,7%). A margem Ebitda no quarto trimestre ficou em 27,8% em 4T11, uma diminuição em comparação com os 30,6% em 4T10. A redução anual é em grande parte explicada pelo aumento na venda de aparelhos que diluiu a margem Ebitda.

A base total de assinantes da companhia encerrou o quarto trimestre com 64,1 milhões de linhas, 25,6% a mais quando comparada a 4T10, representando um market share de 26,5%. As adições líquidas totais em 4T11 chegaram a 4,9 milhões de linhas, assumindo a liderança no trimestre com 32,7% do market share adicional e 43% se comparado a dezembro somente.


Telefonia móvel: Anatel revisa coleta de dados do 3G, 4G e M2M

Em fevereiro foram adicionadas  856 mil novas linhas em relação a janeiro, revela a Anatel.

Lei das Antenas: Relator do projeto dispara contra vetos do governo

"Esse veto mexe num ponto central do projeto. Mas manteve o artigo que diz que Anatel vai acompanhar, mas a Agência vai acompanhar o quê? Terreno na lua ou instalação de antena para banda larga em marte?", disparou o senador Walter Pinheiro, do PT/BA.

Teles x OTTs: Na contramão das rivais, TIM amplia acordo com WhatsApp

Mesmo com o aplicativo de mensagens do Facebook ampliando cada vez mais o número de usuários no Brasil e no mundo, a TIM amplia a parceria com o Facebook e estende o 'zero rating' ou a 'tarifa zero' para os seus principais planos pré-pago e controle para a banda larga móvel.

Para enfrentar os chineses, Nokia compra Alcatel-Lucent por US$ 15,6 bilhões

Aquisição mexe com o mercado latino-americano e brasileiro, onde a Alcatel-Lucent tem presença forte no mundo IP e centrava suas apostas no segmento de small cells. No mundo móvel, há sobreposição entre as companhias e ajustes terão de ser feitos.


Veja edição 12 da Revista Abranet - Assossiação Brasileira de Internet REVISTA ABRANET . 12
Especial 20 Anos de Internet no Brasil


Há 20 anos os provedores de Internet escrevem suas histórias no País. A trajetória não foi nada fácil. Houve decisões políticas e econômicas significativas. Infraestrutura, modelo de negócios e fidelização de clientes foram relevantes no passado e continuam sendo no presente. Ao longo de duas décadas, os ISPs tiveram de se reinventar diversas vezes para não deixar de existir.

Clique aqui para ver outras edições

  • Copyright © 2005-2015 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G