Home - Convergência Digital

Leilão 2,5GHz: Sinditelebrasil exige acesso às planilhas da Anatel

Convergência Digital - Carreira
:: Da redação - 02/02/2012

O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) solicitou nesta quinta-feira, 02/02, durante audiência pública promovida pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em São Paulo, que seja liberado, de imediato, o acesso às motivações e planilhas que fundamentaram a elaboração das regras do edital de licitação das licenças para a prestação dos serviços de quarta geração (4G) da telefonia móvel.

O SindiTelebrasil entende que essas informações são fundamentais para a avaliação da viabilidade econômico-financeira do projeto. E, por meio do diretor Sérgio Kern, a vinculação das faixas de 2,5GHz e 450 MHz, que segundo o SindiTelebrasil, possuem características e finalidades distintas.

“A tecnologia disponível para uso na sub-faixa de 450 MHz não é indicada para o caso brasileiro, pois não há sinergia com as demais tecnologias em operação, tem menor capacidade para transmissão de dados, pouca escala de produção e evolução incerta”, sustentou Kern.

O sindicato que representa as telefonias móveis e fixas reforçou ainda que é preciso estabelecer mecanismos para cobertura e atendimento de áreas rurais e remotas, com recursos públicos, especialmente os de fundos setoriais de telecomunicações.

“Entendemos que a universalização do acesso rural ao STFC é um problema histórico e complexo cuja solução envolve múltiplas plataformas tecnológicas. Parte da solução para o efetivo atendimento certamente, como demonstram experiências de nossas associadas e em âmbito internacional, deve vir de ações suportadas por fontes de financiamento pública e privada”, acrescentou o diretor do SindiTelebrasil.

E, mais uma vez, alertou para o risco de que o ritmo de expansão imposto para a oferta dos serviços de 4G (capacidade de dados) somado ao ritmo da oferta dos serviços 3G poderá tornar o serviço mais caro para o usuário, pois as prestadoras buscarão reduzir o desequilíbrio econômico-financeiro provocado pela superposição dessas duas ofertas.

Na visão ainda do sindicato das teles, a fixação de metas de cobertura do serviço 4G - na faixa de 2,5GHz - deverá acontecer apenas para a as cidades-sede e sub-sedes da Copa das Confederações e da Copa do Mundo de 2014.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 

LEIA TAMBÉM:

03/03/2015
Investimentos em redes 4G vão superar os US$ 193 bilhões na América Latina

24/02/2015
Brasil somou 6,8 milhões de acessos 4G em 2014, calculam operadoras

13/02/2015
TIM já testa uso da faixa de 1,8 GHz para a oferta 4G

06/02/2015
Compartilhamento: Oi e TIM perdem e Anatel mantém cobrança dupla de tributo

04/02/2015
Dados móveis: 10% dos assinantes consomem 80% do tráfego 3G e 4G

30/01/2015
4G cresceu 416,55% em 2014 e chegou a 6,76 milhões de linhas ativas no Brasil

22/01/2015
IDC:4G vai chegar a 11 milhões de assinantes no Brasil

12/01/2015
4G: Anatel está revendo dados de 2014

05/01/2015
Vivo se distancia da Claro na briga do 4G

19/12/2014
TV Digital: Anatel, teles e TVs vão priorizar conversores

Destaques
Destaques

Dados móveis: 10% dos assinantes consomem 80% do tráfego 3G e 4G

Demanda crescente pode esgotar redes 4G em no máximo três anos, revela estudo da Amdocs.

4G cresceu 416,55% em 2014 e chegou a 6,76 milhões de linhas ativas no Brasil

Brasil fechou 2014 com 280,73 milhões de linhas ativas, um crescimento de 3,55% em relação a 2013. Com o impulso do 3G e do 4G, os terminais pós-pago também aumentaram e respondem, hoje, por 24,15% da base.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Internet das Coisas, Wearables e Big Data vão revolucionar a Saúde

:: Por Eduardo Prado *


Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site