Home - Convergência Digital

Leilão 2,5GHz: Sinditelebrasil exige acesso às planilhas da Anatel

Convergência Digital - Carreira
Da redação - 02/02/2012

O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) solicitou nesta quinta-feira, 02/02, durante audiência pública promovida pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em São Paulo, que seja liberado, de imediato, o acesso às motivações e planilhas que fundamentaram a elaboração das regras do edital de licitação das licenças para a prestação dos serviços de quarta geração (4G) da telefonia móvel.

O SindiTelebrasil entende que essas informações são fundamentais para a avaliação da viabilidade econômico-financeira do projeto. E, por meio do diretor Sérgio Kern, a vinculação das faixas de 2,5GHz e 450 MHz, que segundo o SindiTelebrasil, possuem características e finalidades distintas.

“A tecnologia disponível para uso na sub-faixa de 450 MHz não é indicada para o caso brasileiro, pois não há sinergia com as demais tecnologias em operação, tem menor capacidade para transmissão de dados, pouca escala de produção e evolução incerta”, sustentou Kern.

O sindicato que representa as telefonias móveis e fixas reforçou ainda que é preciso estabelecer mecanismos para cobertura e atendimento de áreas rurais e remotas, com recursos públicos, especialmente os de fundos setoriais de telecomunicações.

“Entendemos que a universalização do acesso rural ao STFC é um problema histórico e complexo cuja solução envolve múltiplas plataformas tecnológicas. Parte da solução para o efetivo atendimento certamente, como demonstram experiências de nossas associadas e em âmbito internacional, deve vir de ações suportadas por fontes de financiamento pública e privada”, acrescentou o diretor do SindiTelebrasil.

E, mais uma vez, alertou para o risco de que o ritmo de expansão imposto para a oferta dos serviços de 4G (capacidade de dados) somado ao ritmo da oferta dos serviços 3G poderá tornar o serviço mais caro para o usuário, pois as prestadoras buscarão reduzir o desequilíbrio econômico-financeiro provocado pela superposição dessas duas ofertas.

Na visão ainda do sindicato das teles, a fixação de metas de cobertura do serviço 4G - na faixa de 2,5GHz - deverá acontecer apenas para a as cidades-sede e sub-sedes da Copa das Confederações e da Copa do Mundo de 2014.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

02/07/2015
Banda larga móvel e nuvem: uma parceria em alta

02/07/2015
Usuários 2G ainda resistem à migração para 3G e 4G na América Latina

30/06/2015
Sem teles e varejo, chinesa Xiaomi deflagra guerra de preços no 3G e 4G

24/06/2015
LTE: Mais do que uma tecnologia ultrarrápida

15/06/2015
Claro muda de estratégia e fecha acordo 'zero rating' com OTTs

09/06/2015
4G cresce 151% no mundo no 1º trimestre

29/05/2015
4G fechou abril com 10,4 milhões de acessos no Brasil

27/05/2015
Testes vão medir convivência com TVs para antecipar 4G em 700 MHz

27/05/2015
Sky chega a 150 mil usuários da banda larga fixa 4G/LTE

21/05/2015
Anatel prevê disputa em fatia de 1.8GHz em São Paulo

Destaques
Destaques

Claro muda de estratégia e fecha acordo 'zero rating' com OTTs

Tele fechou acordo com WhatsApp, Facebook e Twitter para a não cobrança de dados no pacote Internet Turbinada 4G. Mas os serviços de voz desses aplicativos ficaram fora do acerto.

Vídeo é a grande estrela no consumo de serviços móveis na América Latina

Mas é necessário ampliar as redes 4G na região. Perspectiva é que a média do latino-americano passe de 0,8 GB/mês para 3 GB/mês até 2020. Nos EUA, porém, essa média será de 14GB/mês.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

LTE: Mais do que uma tecnologia ultrarrápida

Enrique Carrier *

As evoluções da tecnologia são ainda mais importantes do que a rápida adoção para propagar a banda larga móvel.


Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site