Cloud ComputingConvergência Digital
Europa cria fundo de US$ 13 milhões para cloud

Convergência Digital - Hotsite Cloud Computing
:: Convergência Digital :: 30/01/2012

A Comissão Europeia quer estimular o crescimento do setor de cloud computing na região. O foco da comissão é estimular os governos a adquirir, de forma compartilhada, software e recursos computacionais c diretamente da web, explicou Neelie Kroes, comissária de questões digitais, nesta quinta-feira, 26, em Davos.

Para isso, os 27 membros do comitê executivo da comissão criaram um grupo de trabalho, chamado European Cloud Partnership, que terá um fundo inicial de US$ 13 milhões. O grupo formado por funcionários dos governos, compradores e fornecedores de cloud deverá trabalhar no desenvolvimento de padrões e requisitos comuns de segurança para toda a região, permitindo que as aquisições compartilhadas possam ser feitas.

O mercado global para serviços em nuvem, ou recursos computacionais sob demanda, como armazenamento de dados e aplicativos de software via web, deve saltar de US$ 40,7 bilhões em 2011 para US$ 241 bilhões em 2020, de acordo com o Forrester. Regras divergentes, como sobre proteção de dados, tornam difícil para empresas como a IBM ou a Atos, por exemplo, abordar seus clientes de modo padronizado.

“Precisamos agir para suportar a adoção rápida da nuvem na Europa. O mercado vai crescer, trazendo oportunidades para fornecedores tradicionais e novos entrantes. E os compradores, incluindo o setor público, vão querer mais com menos para se tornar mais eficientes”, disse Kroes.

A executivo espera que o projeto comece este ano e comece a mostrar seus primeiros resultados em 2013. Ela ressaltou que a parceria não trata da construção de uma super nuvem europeia e não vai forçar a combinação das infraestruturas existentes hoje e lembrou que o setor privado deverá seguir a lógica da parceria.

“Achamos a iniciativa benvinda e vamos colaborar com a União Europeia para que o setor, governos e usuários privados sintam-se mais seguros e confortáveis na adoção de serviços em nuvem. São eles que criarão a escala que viabilizará benefícios econômicos”, disse John Vassallo, líder da Microsoft para o mercado europeu.

A comissão apresentou uma proposta para a revisão das políticas de proteção de dados, implementadas há 17 anos. O plano inclui multas de até 2% das vendas globais anuais para empresas que perderem ou manusearem dados pessoais de forma incorreta e prevê que danos graves a dados devem ser comunicados em 24 horas.

Vassallo disse ser “quase impossível” notificar clientes e autoridades em 24 horas a partir da perda de dados, isso porque as companhia geralmente não ficam sabendo destes incidentes imediatamente. As regras propostas deverão obrigar as empresas a pedir aos usuários consentimento explícito cada vez que quiserem armazenar dados pessoais o que, segundo o executivo, criaria experiências “perturbadoras” para os usuários. “A proposta tem sua disposição para alcançar o equilíbrio, mas gostaríamos que ela estivesse aberta ao debate”, afirma.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 

 Matérias relacionadas com o assunto Cloud Computing  

:: 25/02/2015 16:59
Cloud é foco da Interactive Intelligence na América Latina

:: 23/02/2015 09:33
Nokia usa potencial do rádio em solução de cloud

:: 11/02/2015 17:52
EMC: Nuvem não é uma solução mágica

:: 10/02/2015 16:14
Big data: para não doer no bolso e na alma

:: 09/02/2015 14:05
Falta maturidade e apenas 10% das empresas brasileiras adotam o big data

:: 06/02/2015 16:36
Santander entra na briga pelo serviço na nuvem

:: 05/02/2015 12:33
SaaS: mudar agora ou morrer

:: 02/02/2015 17:03
Cloud: preço baixo não é mais prioridade nº1

:: 27/01/2015 16:43
Nuvem foi a cura para solução de e-mail da Rede D´Or

:: 23/01/2015 11:28
Colégio Bandeirantes usa a nuvem para armazenar 16 terabytes

Opinião
Aumenta pressão na América Latina por uma rede melhor para a nuvem
:: Por Hector Silva*


VídeosMais vídeos




Destaques

Big data puxa projeto de Internet das Coisas no Brasil

Mesmo com a preferência dos CIOs pela nuvem privada, a nuvem pública deverá crescer 50% esse ano. A compra de dispositivos móveis representará cerca de 45% dos investimentos de TI.


Interoperabilidade entre nuvens desafia gestores de TI

Pesquisa revela ainda que a nuvem pública não está nas prioridades de investimentos.


Nuvem híbrida: Empresas brasileiras se revelam ainda confusas

Tendência está na lista de prioridades, mas a maioria não tem uma estratégia para a implementação.


Cientista de dados: se você tem um, cuide dele com cuidado

Especialista será um dos mais demandados em 2015 pelas empresas no Brasil.


Sem big data, não há inovação, frisam empresários no Brasil

Pesquisa da GE mostra que 77% dos empresários consideram essencial fazer análise de dados .


Copyright © 2005-2015 Convergência Digital            Todos os direitos reservados.            É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.