Cloud ComputingConvergência Digital
Europa cria fundo de US$ 13 milhões para cloud

Convergência Digital - Hotsite Cloud Computing
:: Convergência Digital :: 30/01/2012

A Comissão Europeia quer estimular o crescimento do setor de cloud computing na região. O foco da comissão é estimular os governos a adquirir, de forma compartilhada, software e recursos computacionais c diretamente da web, explicou Neelie Kroes, comissária de questões digitais, nesta quinta-feira, 26, em Davos.

Para isso, os 27 membros do comitê executivo da comissão criaram um grupo de trabalho, chamado European Cloud Partnership, que terá um fundo inicial de US$ 13 milhões. O grupo formado por funcionários dos governos, compradores e fornecedores de cloud deverá trabalhar no desenvolvimento de padrões e requisitos comuns de segurança para toda a região, permitindo que as aquisições compartilhadas possam ser feitas.

O mercado global para serviços em nuvem, ou recursos computacionais sob demanda, como armazenamento de dados e aplicativos de software via web, deve saltar de US$ 40,7 bilhões em 2011 para US$ 241 bilhões em 2020, de acordo com o Forrester. Regras divergentes, como sobre proteção de dados, tornam difícil para empresas como a IBM ou a Atos, por exemplo, abordar seus clientes de modo padronizado.

“Precisamos agir para suportar a adoção rápida da nuvem na Europa. O mercado vai crescer, trazendo oportunidades para fornecedores tradicionais e novos entrantes. E os compradores, incluindo o setor público, vão querer mais com menos para se tornar mais eficientes”, disse Kroes.

A executivo espera que o projeto comece este ano e comece a mostrar seus primeiros resultados em 2013. Ela ressaltou que a parceria não trata da construção de uma super nuvem europeia e não vai forçar a combinação das infraestruturas existentes hoje e lembrou que o setor privado deverá seguir a lógica da parceria.

“Achamos a iniciativa benvinda e vamos colaborar com a União Europeia para que o setor, governos e usuários privados sintam-se mais seguros e confortáveis na adoção de serviços em nuvem. São eles que criarão a escala que viabilizará benefícios econômicos”, disse John Vassallo, líder da Microsoft para o mercado europeu.

A comissão apresentou uma proposta para a revisão das políticas de proteção de dados, implementadas há 17 anos. O plano inclui multas de até 2% das vendas globais anuais para empresas que perderem ou manusearem dados pessoais de forma incorreta e prevê que danos graves a dados devem ser comunicados em 24 horas.

Vassallo disse ser “quase impossível” notificar clientes e autoridades em 24 horas a partir da perda de dados, isso porque as companhia geralmente não ficam sabendo destes incidentes imediatamente. As regras propostas deverão obrigar as empresas a pedir aos usuários consentimento explícito cada vez que quiserem armazenar dados pessoais o que, segundo o executivo, criaria experiências “perturbadoras” para os usuários. “A proposta tem sua disposição para alcançar o equilíbrio, mas gostaríamos que ela estivesse aberta ao debate”, afirma.

Enviar por e-mail   ...   Imprimir texto
 

 Matérias relacionadas com o assunto Cloud Computing  

:: 07/07/2014 13:43
Endereço dos dados será irrelevante

:: 01/07/2014 16:42
Brasil ainda tem muito espaço para novos data centers

:: 01/07/2014 09:35
Guerra de 'titãs' baixa os preços de SaaS. Software brilha em compras de TI

:: 26/06/2014 12:33
Procuram-se arquitetos de dados no Brasil

:: 28/05/2014 10:13
Globalweb investe em centros de treinamento

:: 21/05/2014 10:30
Armazenamento é a aplicação mais procurada na nuvem brasileira

:: 12/05/2014 10:03
Big data dá fôlego ao IaaS

:: 28/04/2014 15:13
Justiça ordena que provedores repassem dados ao governo dos EUA

:: 09/04/2014 16:05
Brasil responderá por 3% do volume de dados mundial em 2014

:: 24/03/2014 12:10
Quando os dados em excesso viram um problema real

Soluções de TI Simples
Mídias sociais e cloud: quando o dano se alastra em tempo real

Mensurar o impacto de uma ação equivocada é, hoje, um desafio para as corporações. Mitigar o impacto exige táticas mais eficientes.

» Fui invadido. Minha marca está arranhada. Como reagir?
» Não deixe a TI causar um estrago incalculável
» Seis passos para não deixar seu negócio fracassar

Opinião
Big Data e indústria: é hora de entender e aprender a usar
:: Por Camilo Rubim*

VídeosMais vídeos



Destaques

Para EMC Brasil, teles e bancos puxam a adoção do big data

O presidente da empresa, Carlos Cunha, diz que o mercado nacional amadureceu para o uso de serviços de computação na nuvem, mas precisa de apoio para implementar essas soluções. O desafio, agora, é formar os cientistas de dados.


Na guerra da nuvem, Microsoft ativa data center brasileiro

Unidade é a primeira da empresa na América Latina e está localizada em São Paulo. O centro de dados servirá para consolidar os negócios de IaaS da empresa no país e servirá ainda para atender clientes dos países da região.


Banco do Brasil admite que big data desafia a área de TI

Vice-presidente de tecnologia do Banco do Brasil, Geraldo Afonso Dezena da Silva, diz que o banco está usando o big data para entender o comportamento do seu correntista. Já sobre computação em nuvem, o banco é conservador: a nuvem privada é a escolha.


Big data: qual é a linha entre ser ou não ser ético?

Como fazer quando as empresas começam a saber mais de nós do que nós mesmos?


Falta conhecimento para extrair valor do big data

Questão é o desafio número 1 para boa parte dos gestores de TI no país.


Copyright © 2014 Convergência Digital            Todos os direitos reservados.            É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.