Clicky

Proposta do 5G abre participação para pequenos prestadores

Luís Osvaldo Grossmann ... 01/02/2021 ... Convergência Digital

A proposta de edital para o 5G apresentada pela Anatel nesta segunda, 1º de fevereiro, trouxe algumas boas notícias para as prestadoras de pequeno porte. A exigência de 5G pleno, ou standalone, o prazo para uso efetivo das frequências adquiridas e a ampliação do backhaul de fibra favorecem a desconcentração da disputa em torno apenas das grandes operadoras. A reunião da Anatel não teve uma decisão, uma vez que o presidente da agência reguladora, Leonardo de Morais, pediu vistas. Votação ficou para o dia 24 de fevereiro.

Ao exigir o 5G pleno, conforme o release 16 do 3GPP, a Anatel sinaliza que não dará uma vantagem adicional às grandes teles que já começaram a implantar o chamado 5G DSS – que roda sobre a rede 4G. Nesse caso, grandes e pequenas empresas largam do mesmo ponto de partida. 

Além disso, como previsto na Portaria 1.924, publicada pelo Ministério das Comunicações na véspera da apresentação do edital na Anatel, o texto como proposto prevê o que a pasta apontou como “definição de prazos para a ativação dos serviços nas faixas licitadas que, se não atendidos, possibilitem o uso da faixa por terceiros interessados, com garantias de proteção”. 

A proposta como está determina oferta pública para compartilhamento de espectro não utilizado a partir de 2026, ou dois anos a partir da disponibilidade de uso da faixa, no caso de 3,5 GHz. Com isso, caso as vencedoras não façam a cobertura exigida nesse prazo, por exemplo, em cidades menores consideradas de menor interesse econômico, outras empresas poderão se valer desse naco do espectro para oferecer serviços. 

Além disso, ao exigir a ampliação do backhaul de fibra óptica para todos os municípios do país, a política adotada viabiliza a interiorização do escoamento do tráfego, o que também é um componente importante para o sucesso de operações regionalizadas. 

Como defendido pelo relator, o leilão será dividido em quatro lotes. O primeiro deles com o que resta da faixa de 700 MHz, 10+10 MHz, ou dois blocos de 5+5 MHz caso não haja interessado na primeira rodada. 

O segundo lote é a faixa de 3,5 GHz. Nesse caso, são 400 MHz (de 3,3 a 3,7 GHz) em quatro blocos nacionais de 80 MHz e oito blocos regionais, também de 80 MHz. Caso sobre algum, será dividido em blocos de 20 MHz, sendo que o limite de compra por uma única empresa foi reduzido para 100 MHz. 

O terceiro lote é para a faixa de 2,3 GHz, com oito blocos nacionais de 50 MHz e outros oito regionais, de 40 MHz. Já o quarto lote, a faixa de 26 GHz, prevê cinco blocos nacionais de 400 MHz e 21 lotes regionais, também de 400 MHz. 


Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi

As faixas de 2,4 GHz e de 5 GHz estão congestionadas no Brasil e torna-se urgente ter mais frequência por mais capacidade e eficiência, afirma o chefe de Tecnologia da CommScope para Caribe e América Latina, Hugo Ramos.

Veja mais matérias deste especial

Por casa conectada, Vivo negocia opção de ser acionista minoritária na CDF

A CDF é um marketplace de solulções de assistência residencial e tecnológica e que já é parceira na oferta do Vivo Guru. Os novos serviços serão lançados em breve, mas um deles será voltado para a instalação e  configuração de dispositivos inteligentes.

Huawei: é cedo para dizer quem está dentro ou fora da rede privada do governo

“Existe uma portaria, mas os requisitos ainda não estão completamente claros”, afirma o diretor de cibersegurança da fabricante chinesa, Marcelo Motta.

Oi entra na briga pela fibra ótica em São Paulo

Companhia diz que os pilotos comercial e de rede estão acontecendo e o lançamento ao mercado será no segundo trimestre (abril a junho) para os mercados B2C e B2B. A Oi vai usar 5,2 mil Km de rede própria oriundas da compra da MetroRed e da Pegasus no passado.

Brasileiro retorna ao pré-pago e sonha com superaplicativo

O brasileiro diz que o pré-pago oferece maior flexibilidade de uso, de acordo com pesquisa global feita pela Ding. O estudo também mostra que os brasileiros querem um superaplicativo que combine mensagens instantâneas com mídia social, varejo e serviços.




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G