Clicky

Convergência Digital - Home

Vivo contrata OpenStack, da Canonical, para levar cobrança online para a nuvem

Convergência Digital
Convergência Digital* - 13/01/2021

A Vivo, por meio da Telefonica, escolheu uma tecnologia aberta para levar sistema de cobrança online para a nuvem privada. A companhia fechou a contrtação da solução Charmed OpenStack, da Canonical, empresa por trás do Ubuntu. Os valores envolvidos não foram revelados pelas partes.

O projeto, batizado de Unica Next, prevê a construção de oito nuvens privadas, distribuídas geograficamente para atender aos clientes da operadora no país. A fase inicial do projeto foi lançada no início de agosto de 2020. De acordo com as empresas, o projeto é o primeiro de uma operadora na América Latina.

Com 76 milhões de assinantes móveis, a Telefonica/Vivo é a maior operadora móvel do Brasil e usa o sistema de cobrança online para oferecer a clientes B2C e B2B visibilidade e controle em tempo real de seu consumo de dados e de minutos de chamada de voz. Ao invés de selecionar um ambiente virtualizado convencional, a Telefonica optou pelo Charmed OpenStack visando escalabilidade futura, o que permite um planejamento de longo prazo.

“A migração do aplicativo OCS para a nuvem nos dará a estrutura e a agilidade que precisamos para oferecer as melhores soluções para nossos clientes de maneira consistente”, comentou o chefe de plataformas pré-pagas e OCS da Telefonica Brasil, Flavio Matiello. “A seleção da Charmed Open Stack foi uma escolha natural para nos permitir escalar nossos recursos de cobrança dentro de uma plataforma de nuvem privada que está preparada para o futuro”, completa. Como o OCS requer grande proximidade com a rede, as nuvens serão distribuídas geograficamente pelo Brasil. Essa arquitetura fornece a baixa latência necessária para atender às necessidades da ampla base de clientes da Telefonica e foi um fator-chave na seleção de uma infraestrutura de nuvem privada.

Além de ser construída na Charmed OpenStack, a nuvem OCS da Telefonica utilizará as ferramentas de código aberto da Canonical para automatizar a implantação e as operações de sua infraestrutura. A empresa se beneficiará também da oferta Managed OpenStack, que oferece manutenção e suportes contínuos. “Há uma tendência crescente de adoção da OpenStack por empresas de telecomunicações e estamos entusiasmados para ver quais outros serviços baseados em nuvem o setor conseguirá oferecer com base na ferramenta”, afirma o VP de Engenharia de Campo da Canonical, Nicholas Dimotakis.
 



 



 


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

Icatu Seguros: mudar atendimento ao cliente para a nuvem foi decisão irreversível

Seguradora contratou a CXone, da NICE, para migrar, em tempo recorde, os seus funcionários para o trabalho remoto. "Tínhamos de não perder a qualidade e a eficiência e adaptar o serviço ao dia a dia das casas dos colaboradores", conta o diretor de Marketing e canais, Rafael Caetano.

Destaques
Destaques

Justiça do DF diz que dados em nuvem não têm proteção contra quebra de sigilo

Para o relator do caso, "dados armazenados em nuvem não evidenciam uma comunicação de dados" e, por isso, não estariam protegidos pela legislação. 

"Chegamos para brigar com AWS, Google e Azure na nuvem pública", diz José Nilo, da Huawei

Empresa monta o seu segundo data center no Brasil, em local não revelado por segurança, e diz que vai também aumentar presença na oferta de Kubernetes e contêineres, hoje dominada pela Red Hat, da IBM.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

IA, nuvem e IoT exigem data centers mais eficientes

Por Ed Solis*

Adoção crescente de tecnologias como inteligência artificial, internet das coisas e PoE estão na lista para melhorar o desempenho das redes e a eficiência do gerenciamento.

A Covid-19 e o governo digital

Por Marcos Boaglio*

A digitalização impõe adotar uma cultura de inovação na qual se fomente a experimentação, derrubar barreiras a partir de novos veículos de aquisição e implementar uma classificação de dados moderna, assim como desenvolver capacidades para empoderar os trabalhadores para finalmente aproveitarem as novas tecnologias.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site