Clicky

Convergência Digital - Home

Governo adia pregão de nuvem e avalia mudar edital

Convergência Digital
Luís Osvaldo Grossmann - 18/12/2020

O Ministério da Economia adiou o pregão para a segunda contratação da nuvem pública do governo federal. Com escopo quatro vezes mais amplo que a primeira nuvem, atualmente com mais de duas dezenas de órgãos, o processo deverá sofrer pelo menos um ajuste pontual relacionado ao acordo de níveis de serviço (SLA), mas não está completamente descartada uma alteração mais substantiva.

Na prática uma correção sobre o termo de referência, o ajuste trata da efetiva divulgação de parte que acabou ficando de fora do texto publicado com relação ao SLA. Mas diante de vários pedidos para adiamento e para que seja aberta a possibilidade de subcontratação, o tema está em análise mais detida pela Central de Compras. 

Por enquanto, o pregão eletrônico que seria realizado nesta sexta, 18/12, não tem nova data para acontecer. Mas a perspectiva é de que o processo seja retomado a tempo de que a sessão pública de lances – no que se espera, pelo menos, tão disputada quanto a primeira, que reuniu 12 concorrentes – ocorra logo no início de 2021. 

Essa contratação busca um integrador, também chamado broker, para oferta de serviços de computação em nuvem para diversos órgãos públicos – algo entre 44 e 52 deles, por enquanto, que contemple no mínimo dois fornecedores e que haja datacenters instalados no Brasil. A estimativa no edital é de uma contratação de até R$ 370 milhões, por 24 meses de serviço. 


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

Icatu Seguros: mudar atendimento ao cliente para a nuvem foi decisão irreversível

Seguradora contratou a CXone, da NICE, para migrar, em tempo recorde, os seus funcionários para o trabalho remoto. "Tínhamos de não perder a qualidade e a eficiência e adaptar o serviço ao dia a dia das casas dos colaboradores", conta o diretor de Marketing e canais, Rafael Caetano.

Destaques
Destaques

Justiça do DF diz que dados em nuvem não têm proteção contra quebra de sigilo

Para o relator do caso, "dados armazenados em nuvem não evidenciam uma comunicação de dados" e, por isso, não estariam protegidos pela legislação. 

"Chegamos para brigar com AWS, Google e Azure na nuvem pública", diz José Nilo, da Huawei

Empresa monta o seu segundo data center no Brasil, em local não revelado por segurança, e diz que vai também aumentar presença na oferta de Kubernetes e contêineres, hoje dominada pela Red Hat, da IBM.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A Covid-19 e o governo digital

Por Marcos Boaglio*

A digitalização impõe adotar uma cultura de inovação na qual se fomente a experimentação, derrubar barreiras a partir de novos veículos de aquisição e implementar uma classificação de dados moderna, assim como desenvolver capacidades para empoderar os trabalhadores para finalmente aproveitarem as novas tecnologias.

Dados, quem sabe usar, sobrevive. Quem não sabe, fica fora da corrida!

Por Douglas Scheibler*

Se tem algo que não falta para 2021, são perguntas. Quando teremos a vacina eficaz para a Covid-19? Poderemos encerrar o isolamento social? Retomaremos nossas rotinas normais? Tudo isso ainda não tem resposta. Mas o que norteará a tomada de todas estas decisões, além de muitas outras nos ambientes social, empresarial e pessoal, serão dados. E em relação aos dados, já há tendências bem evidentes.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site