Clicky

NEGÓCIOS

Diebold Nixdorf: Dinheiro em espécie não vai morrer tão cedo

Da redação do 5x5 TecSummit ... 11/12/2020 ... Convergência Digital

O dinheiro em espécie ainda vai existir por muito tempo. Enquanto isso, a tecnologia dos caixas eletrônicos segue evoluindo, pois bancos e fintechs continuam precisando oferecer aos seus clientes um meio de sacar e depositar papel moeda. A Diebold Nixdorf, uma das principais fabricantes de ATMs no Brasil, vem apostando na renovação do parque de caixas eletrônicos do País por modelos com recicladores. Trata-se de um equipamento capaz de contar as cédulas depositadas, substituindo o processo atual, no qual o dinheiro é depositado em envelopes que precisam ser encaminhados para o banco para contagem.

“O que leva um banco a investir em um reciclador é o TCO (total cost of ownership). O reciclador traz retorno financeiro forte, porque diminui a necessidade de abastecimento do equipamento, pois ele se abastece sozinho. Temos casos de agências que recebiam três visitas por semana de carro-forte, e agora recebem duas vezes por mês. Isso libera também a fila no caixa, que fica disponível para outras funções”, argumenta Matheus Neto, gerente de soluções de hardware da Diebold Nixdorf. O executivo participou de painel sobre investimento em tecnologia no setor financeiro durante o 5×5 TecSummit, nesta quinta-feira, 10.

O Brasil tem hoje cerca de 180 mil caixas eletrônicos. No começo do ano, cerca de 8% deles, ou 15 mil, possuíam recicladores. A expectativa é fechar o ano de 2020 com 21 mil recicladores, ou 12% da base. E dentro de cinco anos serão 40 mil, projeta o executivo.

5×5 TecSummit

O 5×5 TecSummit é um evento online organizado em uma parceria de cinco sites de jornalismo especializado em TI e telecom: Convergência Digital, Mobile Time, Tele.síntese, Teletime e TI Inside. O seminário discute tendências em tecnologia em cinco verticais: governo, saúde, energia, finanças e entretenimento. Inscreva-se gratuitamente e assista todo o conteúdo produzido pelo 5x5 TecSummit.


Cloud Computing
Banco Central elege Open Source e nuvem como bases da infraestrutura do PIX

A Red Hat, uma empresa da IBM, foi a vencedora da licitação feita pela Autoridade Monetária para a construção da arquitetura de TI do novo meio de pagamentos brasileiro. As novas funcionalidades do PIX, como transações de comércio eletrônico, também estão sendo desenvolvidas na plataforma Open Source.

No melhor momento em 30 anos, indústria de semicondutores quer Padis até 2029

Fábricas no Brasil tocam a transição para os modelos SSD e respondem ao aumento na demanda das memórias, mas temem o fim dos incentivos em 2022. 

Open Banking: Fase inicial não prevê compartilhamento de dados de correntistas

A partir desta segunda-feira, 01/02, entra em funcionamento no Brasil a primeira fase do Open Banking , cuja regulação será implementada de forma gradual, faseada e evolutiva, até 15 de dezembro de 2021.

Emissão de certificado digital pela internet vai usar bases de dados da CNH e do TSE

Videoconferência, já permitida para as renovações, também poderá ser usada na primeira emissão de certificados digitais. ITI - Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, responsável pela ICP-Brasil, vai definir bases públicas para confirmação da biometria. 

Multinacional de software reforça a atuação em Brasília

A Liferay comemora 10 anos na América Latina ampliando sua atuação no Centro-Oeste. Para tocar os negócios na capital brasileira, a empresa contratou Bruno Bergamaschi, ex-IBM e Gartner.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G