Clicky

Teles pisam no freio em 2020 e até setembro aportaram R$ 21,9 bilhões

Ana Paula Lobo ... 10/12/2020 ... Convergência Digital

As operadora de telecomunicações pisaram no freio em 2020 e, até setembro, investiram R$ 21,9 bilhões, o que determinará um aporte de R$ 9 bilhões nos três últimos meses do ano para chegar a R$ 30 bilhões, abaixo do investido em 2019, que ficou em R$ 33 bilhões. "Não sabemos se as operadoras vão aportar esses R$ 9 bilhões, mas podemos ter um resultado abaixo dos R$ 30 bilhões", afirmou Aluizio Byrro, diretor de Telecomunicações da Associação Brasileira da Indústria Elétrica Eletrônica (Abinee).

A projeção para 2021 é de voltar aos números de 2018, com um investimento de R$ 30 bilhões. "Estamos entendendo que 2020 dependerá muito do 5G. Poderemos ter investimentos das teles se o leilão acontecer no primeiro semestre como prometido. Se adiar, os aportes vão ficar para 2022", afirmou em coletiva de imprensa online sobre o ano de 2020 na indústria eletroeletrônica, realizada nesta quinta-feira, 10/12.

Paulo Castelo Branco, também diretor de Telecomunicações da Abinee, acredita que o setor possa crescer 10% em 2021 se o leilão acontecer  por conta dos investimentos em 5G nas áreas privadas. "As empresas estão muito interessadas em ter suas redes privadas e há uma demanda por infraestrutura", acrescentou. Um segmento que trouxe bons resultados foi o de Nuvem, especialmente, em função da pandemia de Covid-19. "Ao ir todo mundo para casa, a digitalização avançou muito e a nuvem foi mais utilizada. Nessa linha, também houve um incremento em segurança da informação", adicionou Castelo Branco.

Resultados

Mesmo em um ano de pandemia, a indústria eletroeletrônica conseguiu encerrar 2020 com um incremento de 4% em seu nível de emprego, que passou de 234 mil em dezembro de 2019 para 243 mil pessoas no final deste ano. As informações foram divulgadas hoje pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), em sua coletiva de imprensa anual.

O faturamento da indústria eletroeletrônica deve encerrar 2020 em R$ 173,4 bilhões. Apesar do crescimento nominal de 13% na comparação com 2019 (R$ 153 bilhões), o aumento real foi de apenas 1%, uma vez que a inflação do setor, segundo o Índice de Preços ao Produtor (IPP), fechou o ano em 12%. A produção industrial de bens eletroeletrônicos apresentou queda de 2% em 2020 em relação ao ano passado. Já a utilização da capacidade instalada caiu de 78% para 75% este ano. A estabilidade no faturamento e ligeira queda produção do setor em 2020 repete desempenho semelhante ao do ano passado, quando também não houve crescimento nestes indicadores.

Para 2021, considerando a projeção de crescimento do PIB de 3,5% e inflação em torno de 3,3% ao ano em 2021, o setor eletroeletrônico espera um crescimento nominal de 12% e real (descontada a inflação) de 7% no faturamento, que deve alcançar R$ 194 bilhões. A Abinee também projeta elevação de 6% na produção e aumento de 3% no nível de emprego, que deve passar de 243 mil para 249,5 mil trabalhadores. As exportações devem crescer 7% (US$ 4,7 bilhões) e as importações, 10% (US$ 31,6 bilhões).


Internet Móvel 3G 4G
Deutsche Telekom investe em roaming para ser global com NB-IoT

Operadora trabalha com parcerias com outras teles como Vodafone, Orange e Telecom Italia, o que abriria, por exemplo, espaço para uma parceria no Brasil com a TIM, qu tem uma forte estratégia de Internet das Coisas.

Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi

As faixas de 2,4 GHz e de 5 GHz estão congestionadas no Brasil e torna-se urgente ter mais frequência por mais capacidade e eficiência, afirma o chefe de Tecnologia da CommScope para Caribe e América Latina, Hugo Ramos.

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi

As faixas de 2,4 GHz e de 5 GHz estão congestionadas no Brasil e torna-se urgente ter mais frequência por mais capacidade e eficiência, afirma o chefe de Tecnologia da CommScope para Caribe e América Latina, Hugo Ramos.

Empresa brasileira se prepara para oferecer Wi-Fi como serviço

Definindo-se como uma empresa de software que precisa de hardware e frequência para atuar, a Mambo Wi-Fi diz que os hotspots públicos vão crescer até nove vezes até 2022 com a liberação da faixa de 6 GHz para serviços não licenciados.

Cambium Networks: é urgente a necessidade de atualização das redes para o Wi-Fi 6

“O número de aparelhos vai crescer de forma exponencial nos próximos três anos e é interessante começar a colher benefícios o mais cedo possível”, diz o vice-presidente de Gestão de Produtos da empresa, Scott Imhoff. 

Brasil assume liderança e se torna hub do Wi-Fi 6E nas Américas
Amazon: Wi-Fi 6 e Wi-Fi 6E têm um casamento perfeito com o 5G
Chile vai usar Wi-Fi 6E para a universalização do acesso à internet
Wi-Fi Alliance: é possível harmonizar serviços na faixa de 6 GHz
"Se já geramos trilhões de dólares com pouca frequência, imagina com três vezes mais espectro", diz o Wireless CTO da Intel
Cisco: demanda para Wi-Fi em toda a faixa de 6 GHz já chegou
Veja mais matérias deste especial

Vivo assume que rede neutra fará a diferença no 5G

Batizada de FiBrasil, a rede neutra terá papel central na estratégia nacional, afirmou o CEO da Vivo, Cristian Gebara.

Baigorri: Esperar demanda para exigir 5G pleno é o oposto de política pública

“O desconto no valor da frequência é uma decisão de Estado para financiar o investimento. É usar recurso público para garantir que Macapá, Boa Vista e Rio Branco tenham as mesmas funcionalidades de São Paulo”, afirma o relator do 5G na Anatel, Carlos Baigorri. 

CVM cobra Telebras que anuncia renovação por 10 anos de contrato com Eletrobras

Acordo vale para o uso de fibras óticas e infraestrutura de telecomunicações com a Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A (Eletronorte) e Furnas Centrais Elétricas S/A (Furnas). Estatal teve movimentação atípica de ações.

STF descarta ação da PGR e mantém gratuidade do direito de passagem

Maioria do Plenário acompanhou o entendimento do relator, Gilmar Mendes, de que um ordenamento unificado nacional faz parte das competências da legislação federal. Para Conexis, "STF reconheceu papel vital da conectividade".




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G