Clicky

GOVERNO » Compras Governamentais

Com três pregões abertos, governo prevê investir R$ 1,2 bilhão em PCs e monitores

Luís Osvaldo Grossmann ... 06/11/2020 ... Convergência Digital

O governo federal abriu nesta sexta, 6/11, três editais para comprar monitores e computadores, divididos em desktops e notebooks. No total são mais de 248 mil equipamentos, com custo total estimado em R$ 1,25 bilhão. As três disputas estão marcadas para 20/11. 

O pregão eletrônico para desktops, previsto para 16h, é dividido em dois lotes, com dois modelos de PCs, um deles, Tipo I, chamado ‘básico’, para 55.847 unidades. O outro, Tipo II, ou ‘padrão’, com demanda para 92.445 unidades. O primeiro tem preço estimado em R$ 5.358,43 – o que soma, portanto, R$ 299,25 milhões; e o segundo, R$ 6.888,10 – chegando a R$ 636,77 milhões. A estimativa, assim, é de investimento de R$ 936 milhões em computadores de mesa. 

Conforme o termo de referencia, tratam-se de PCs com arquitetura x86 corporativa (AMD Ryzen ou Intel Core), com suporte 32 e 64 bits, utilização de sistemas operacionais de 64 bits e controlador de memória, processamento gráfico integrado. As diferenças são poucas entre os dois modelos, essencialmente na frequência e capacidade da memória SDRAM – DDR4-2400 no Tipo I, DDR4-2666 no Tipo II; de 8GB e 16 GB, respectivamente. 

Notebooks

No mesmo 20/11, mas às 13h, está marcado o pregão para 49.940 notebooks. Também houve separação em dois modelos. Um deles, Tipo I, chamado de ‘alta mobilidade’, com demanda de 19.886 unidades. O preço unitário estimado desse é R$ 4.627,59, o que totaliza R$ 92 milhões. O outro, Tipo II, ou ‘padrão’, para o qual são 30.054 unidades, tem valor estimado em R$ 5.139,79, somando, assim, R$ 154,47 milhões.

Ambos devem ter processador com arquitetura x86 corporativa (AMD Ryzen ou Intel Core), com suporte 32 e 64 bits, utilização de sistemas operacionais de 64 bits e controlador de memória, com extensões de virtualização. Só valem modelos a partir de 1998 e que não tenham sido descontinuados. Em ambos os casos devem contar com barramento DDR4-2400 MHz ou superior e tela mínima de 14 polegadas. A principal distinção entre os modelos previstos é que o notebook Tipo I deve ter no mínimo 8GB de memória e o Tipo II, 16GB. 

Monitores

Também com pregão marcado para 20/11, mas neste caso para às 9h, serão comprados 70.166 monitores. O edital os descreve como “monitores extras destinados a atividades rotineiras que requerem expansão visual da área de trabalho como análise comparativa de documentos, produção de pareceres e outras atividades”.  

A configuração exige tecnologia LED (LED orgânico ou LCD iluminada por LED), com tela plana na dimensão de, no mínimo, 23 polegadas e formato widescreen (16:9). Nesse pregão, o lote é único, assim como o modelo exigido. O preço unitário foi estimado em R$ 994,19, o que significa uma aquisição de R$ 69,75 milhões. 


Liminar suspende processo de liquidação do Ceitec pelo governo Bolsonaro

Justiça Federal no Rio Grande do Sul acatou pleito em ação civil pública e determinou a suspensão da assembleia que nomearia liquidante da estatal do chip, localizada em Porto Alegre.

Bolsonaro recoloca Jarbas Valente no comando da Telebras

Ex-conselheiro e vice-presidente da Anatel deixou a estatal para ser substituído por Waldemar Gonçalves Ortunho Junior, em abril de 2019, mas, agora, retoma à companhia com a nomeação do coronel para a direção da Agência Nacional de Proteção de Dados.

BNDES vai pagar R$ 8 milhões para preparar a venda do Serpro e da Dataprev

Consórcio vencedor reúne Accenture, a multinacional de RP Burson-Marsteller e o escritório Machado, Meyer, Sendacz, Opice e Falcão Advogados.

Governo alega prejuízo de R$ 10 bi e vai ao STF contra desoneração da folha

Benefício, que acabaria este ano, foi prorrogado para dezembro de 2021, por decisão do Congresso Nacional, que derrubou o veto do governo. A desoneração da folha é considerada essencial para as empresas de TI e Telecom. Governo diz que medida é inconstitucional.

À espera de correção no imposto sobre componentes, indústria maneja estoques

Segundo Abinee, com a demora na publicação de nova resolução Gecex, fabricantes postergaram embarques para evitar imposto de importação. Ministério da Economia diz que novo texto já foi aprovado. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G