Clicky

Anatel: rede neutra única é um risco à competição

Ana Paula Lobo ... 30/10/2020 ... Convergência Digital

Ao participar do Futurecom Digital Week, nesta sexta-feira, 30/10, o superintentente de competição da Anatel, Abraão Balbino, sustentou que não há nenhum impedimento regulatório que impeça a atuação das redes neutras no Brasil, mas observou que agentes de mercado falam em redes neutras mantendo operação no varejo, referindo-se às operadoras de telecomunicações.

"Redes neutras só serão neutras de fato se houver uma separação efetiva do varejo e do atacado. Construir uma empresa e manter no grupo econômico de uma operadora do varejo não é exatamente uma rede neutra", observou o executivo da Anatel.

Do ponto de vista regulatório, insistiu, não há nada que impeça as redes neutras fixas ou móvel. Balbino foi além: A Anatel não vai criar solução para um problema que ainda não existe. "Uma operadora de rede neutra só terá de cumprir obrigações se tiver mais de 5% de participação de mercado", acrescentou.

O superintendente da Anatel reforçou que uma rede única, um único operador, uma única infraestrutura não estimula a competição. "Não se ache que a competição vá acontecer apenas no serviço. É claro que compartilhar é muito relevante, mas uma rede única não estimula a rivalidade que precisa existir".

O presidente-executivo da TelComp, João Moura, não citou nominalmente a Oi, mas observou que as operadoras tradicionais vislumbram atuar nos dois mercados, com a operadora de varejo como a âncora poderosa do negócio. "A rede neutra tem de ser neutra no seu DNA. Não pode ser neutra por conveniência de negócio", sustentou o executivo.

Para Abel Camargo, da American Tower, um agente de infraestrutura neutra não pode discriminar, tem de ser isonômico e estar aberta a atender qualquer prestadora e, fundamentalmente, 'jamais competir com o próprio cliente usando a sua infraestrutura'.

O executivo lembrou que o avanço da tecnologia impulsionou o conceito de compartilhamento. "´Há cinco anos não seria possível compartilhar uma rede de fibra ótica como acontece hoje. No modelo FTTH nós compartilhamosuma rede virtualizada, nós compartilhamos a luz entre várias operadoras. Na prática é a mesma fibra para diversas operadoras isso permite modelos de negócios mais eficientes", pontuou.

Para Tadeu Vianna, da Corning, Tadeu Vianna, o 5G será um grande incentivador das redes neutras e do compartilhamento no Brasil. Ele lembrou que ainda há um déficit real de infraestrutura no país, principalmente fora dos grandes centros. "Um estudo do Fórum Mundial mostra que o Brasil precisaria de R$ 60 bilhões para levar conexão para todos os brasileiros. Isso significa que temos muito por fazer", completou.


Internet Móvel 3G 4G
5G permite um respiro à indústria de celulares

Apesar do impacto evidente da Covid-19, o mercado de aparelhos móveis respira com o forte crescimento dos terminais 5G, que devem responder por quase 10% do total a ser produzido em 2020, aponta a IDC. O desafio imediato é fazer o preço desse smartphone 5G ficar cada vez mais próximo dos aparelhos 4G.

STF julga inconstitucionais leis de BA e RJ sobre créditos pré pagos e cobrança de serviços

Mais uma vez, Supremo ressaltou que, ainda que importantes ações em defesa dos consumidores, normas estaduais não podem invadir a competência privativa da União de legislar sobre telecomunicações. 

Portabilidade: Claro é a tele com mais adesões. Oi e TIM cedem assinantes

Oi, na fixa, e TIM, na móvel, foram as operadoras que mais cederam assinantes com a possibilidade de troca de empresa mantendo o mesmo número. Já a Claro foi a operadora que mais ganhou clientes nos 12 anos do serviço.

Nova Oi busca eficiência operacional e personalizar ofertas ao cliente

Network analytics tem diversos níveis de maturidade e vai desde a proximidade maior com a infraestrutura da rede até análises mais especializadas do serviço, afirma o diretor de Estratégia, Tecnologia e Arquitetura de Rede da Oi, Mauro Fukuda.

Artur Coimbra é nomeado como novo Secretário de Telecomunicações

Mudança era esperada com a passagem de Vitor Menezes da Setel para a Secretaria Executiva do Minicom. 

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • O Portal Convergência Digital é um produto da editora APM LOBO COMUNICAÇÃO EDITORIAL LTDA - CNPJ: 07372418/0001-79
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G