Clicky

Nova regra da Anatel reforça que IoT é valor adicionado para fugir de ICMS

Luís Osvaldo Grossmann ... 29/10/2020 ... Convergência Digital

Depois do Decreto 9.854/19, que indicou uma definição a Anatel avançou nesta quinta, 29/10, na regulamentação relativa à internet das coisas. Além de diferentes ajustes em normas portabilidade e direitos do consumidor, adotou uma redação que, a exemplo do mencionado Decreto, busca garantir o entendimento de IoT como serviço de valor adicionado – e, portanto, fora do escopo do ICMS. 

Nesse sentido, adotou como definição que “são considerados dispositivos de Internet das Coisas aqueles que permitem exclusivamente a oferta de serviços de valor adicionado baseados em suas capacidades de comunicação, sensoriamento, atuação, aquisição, armazenamento e/ou processamento de dados”. 

Como frisou o relator, conselheiro Vicente Aquino, “incertezas quanto ao enquadramento dessa tecnologia no plano tributário podem gerar externalidades negativas a seu desenvolvimento”, por isso “deve-se envidar todos os esforços para esclarecer a abrangência da IoT no tocante a seus usos e aplicações e os consequentes efeitos tributários deles decorrentes”. 

Os serviços de internet das coisas já tinham sido isentos de obrigações de qualidade, ainda em decisão de 2019. Também passam a não precisar cumprir o regulamento de direitos do consumidor. Questões relacionadas à código de numeração, certificação e segurança cibernética foram deixados para tratamentos específicos em curso na Anatel, bem como a discussão de ser destinado, ou não, espectro específico para aplicações IoT e eventual uso industrial. 

Adicionalmente, o Conselho Diretor determinou que a área técnica, em até 180 dias, “estude mais a fundo a regulamentação relativa a roaming para M2M/IoT, com seus possíveis casos e limites de uso, analisando, inclusive, a oportunidade e conveniência de se incluir o tema em agenda regulatória futura”. 


Internet Móvel 3G 4G
Itaú Unibanco e Vivo Empresas testam agência bancária com 5G

Tecnologia foi implantada em uma agência localizada no Brooklin, bairro da zona sul da capital paulista, por meio de uma licença experimental da Anatel, na frequência de 3,5GHz.

Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi

As faixas de 2,4 GHz e de 5 GHz estão congestionadas no Brasil e torna-se urgente ter mais frequência por mais capacidade e eficiência, afirma o chefe de Tecnologia da CommScope para Caribe e América Latina, Hugo Ramos.

Veja mais matérias deste especial

TIM emite R$ 1,6 bilhão em debêntures vinculadas à ESG

Operação é a primeira realizada por uma empresa de telecomunicações no país. Tele diz que todos os recursos arrecadados serão investidos em infraestrutura, em especial, no 5G.

Justiça condena Claro e Mercado Pago a indenizar dono de celular sequestrado

Jusitça usou o Código de Defesa do Consumidor como base para estabelecer a punição aos prestadores de serviços. Consumidores tiveram telefone registrado em outro chip e dinheiro sacado de plataforma de intermediação de pagamentos.

Pernambucanas investe em chip próprio de telefonia móvel

Varejista investe em telefonia MVNO em parceria com a Surf Telecom. Modelo de negócio não exige fidelidade e não cobra multas e não há plano fixo.

Anatel busca consultoria para implementar acesso dinâmico a espectro

Contratação será feita pela União Internacional de Telecomunicações e envolve análise do arcabouço normativo e proposta de novas possibilidades de regulação.




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G